Lisboa |
Paróquia da Bobadela
Um sonho que ganha forma
<<
1/
>>
Imagem

Situada a pouco mais de 10 minutos de Lisboa, a paróquia da Bobadela inaugurou a creche que vai acolher mais de 60 crianças. O novo espaço é parte de um sonho desta paróquia que aposta na pastoral juvenil e quer fazer comunhão através da caridade.

 

O pároco da Bobadela assume: “Os jovens são a grande prioridade pastoral da paróquia de Nossa Senhora dos Remédios da Bobadela”. Segundo o padre Raimundo Alberto, essa tem sido a aposta desde que chegou a esta paróquia da Vigararia de Sacavém, no concelho de Loures, em 2010. “Encontrei um projecto virado para a juventude que é muito interessante. O objectivo é cativar jovens que possam integrar a comunidade! É um trabalho que foi muito bem feito pelo padre José Luzia, que era o pároco de então, e de facto essa tem sido também a minha aposta!”, salienta este sacerdote, que assumiu os destinos da paróquia em Setembro último, após um ano como coadjutor.

 

Muros

Natural de Benguela, Angola, o padre Raimundo Quintas Alberto foi ordenado em 1998 e veio para Portugal em Novembro de 2007. “O Senhor Cardeal-Patriarca teve um contacto com o meu Bispo de então, que agora é emérito, D. Óscar Braga, pedindo alguns padres que ajudassem na pastoral e que ao mesmo tempo pudessem continuar a sua formação”. Chegou a Lisboa com o padre João Bento e esteve três anos em Camarate, antes de ir para a Bobadela auxiliar o padre José Luzia. “Quando cheguei à Bobadela encontrei algumas diferenças em relação à realidade que tinha encontrado em Camarate. A Bobadela é uma zona de gente que nem sempre habita por cá: nas grandes festas, as pessoas desaparecem! Acredito que vá tudo para a terra!”, salienta o padre Raimundo.

A igreja paroquial da Bobadela fica situada no Bairro da Petrogal. “Antigamente, este era um bairro onde apenas moravam os funcionários da Petrogal. Tinha inclusivamente muros que faziam a divisão entre o bairro e a Bobadela propriamente dita”. Com os passar dos anos, os muros foram caindo, mas a ‘separação’ mantém-se, sublinha o pároco. “Eu noto que esses muros físicos influenciaram também, muitas vezes, os muros psicológicos das pessoas. Na Bobadela, dá para sentir que é uma comunidade dividida no sentido em que as pessoas do Bairro da Petrogal pouco se identificam com as do centro da Bobadela”, lamenta o padre Raimundo. Além destas duas comunidades – Bairro da Petrogal e centro da Bobadela –, esta paróquia do concelho de Loures tem uma terceira comunidade, a comunidade de Nossa Senhora da Paz, situada no Bairro da Fraternidade.

 

Sempre a juventude

Ao nível pastoral, o padre Raimundo diz que encontrou uma comunidade muito dinâmica. “Esta é uma comunidade muito dinâmica, o que revela o grande trabalho que foi feito a nível pastoral pelos anteriores párocos, em especial pelo padre Luzia, pelo então padre Ildo – agora D. Ildo, Bispo do Mindelo – e pelo padre Zeferino, entre outros. Deixaram obra feita, como se costuma dizer!”.

Desta forma, no último meio ano, o padre Raimundo tem procurado dar continuidade aos vários projectos, em especial com os jovens. “Temos os vicentinos jovens, que é um grupo ligado à caridade e ao voluntariado, e que tem tido correspondência por parte da juventude. Nós notámos que os vicentinos adultos da paróquia são pessoas com idade avançada, que faziam um belo trabalho, ligado à distribuição dos alimentos vindos do Banco Alimentar. Este grupo de vicentinos jovens faz também visita aos idosos e apoia o centro social”. Ao nível da pastoral juvenil, a paróquia da Bobadela conta ainda com “um grupo de jovens, que teve início o ano passado, e que tem tido um trabalho muito bem sucedido”.

O agrupamento de escuteiros, com as quatro secções, integra cerca de 60 jovens e adolescentes. “O número de chefes e dirigentes é que é um pouco reduzido, porque a realidade do escutismo exige muito e as pessoas nem sempre têm tempo…”, frisa o padre Raimundo.

A catequese é outra das fortes apostas. “No Bairro da Fraternidade têm catequese 60 crianças e na igreja paroquial mais de 80. No total, são cerca de 150 crianças a quem ajudamos a transmitir a fé”, refere, satisfeito, o pároco.

No que diz respeito a movimentos eclesiais, a paróquia conta ainda com a Legião de Maria, “que é uma grande força da comunidade”, e o Apostolado de Oração, “que todas as sextas-feiras faz Adoração do Santíssimo”.

Além do pároco, padre Raimundo Alberto, a paróquia da Bobadela conta com a presença e colaboração de um diácono permanente, o diácono António Manuel Ferreira de Campos. “Um auxílio precioso”, segundo refere o padre Raimundo. “Graças a Deus, o Senhor Patriarca deu-nos este ano um diácono! É uma grande ajuda! É uma pessoa que está sempre disponível e atento às necessidades”.

 

Uma comunidade criativa

O actual Centro Social Paroquial da Bobadela funciona, já desde os anos 80, num edifício que não pertence à paróquia. “A falta de condições e de espaço exigiu que os antigos párocos pensassem noutro edifício”, recorda o padre Raimundo. Neste sentido, para responder a necessidades de âmbito social, a paróquia da Bobadela está a construir um novo centro social paroquial, que viu a creche ser inaugurada no passado sábado, dia 7, pelo Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo.

A comunidade sentiu como sua esta obra e todos os meses organizou diversas iniciativas de angariação de fundos. “A comunidade tem feito um esforço enorme! Todos os meses temos uma actividade que permite juntar algum dinheiro, sejam almoços, rifas, grupos a cantar… Estamos abertos a toda a ajuda dos cristãos!”, salienta o pároco da Bobadela.

O novo equipamento social irá dispor de creche, com capacidade para 66 crianças dos quatros meses aos três anos, centro de dia para 60 pessoas, lar de idosos para cerca de 30 utentes e ainda apoio domiciliário a cerca de uma centena de necessitados.

 

Desafio

Toda esta obra constitui, neste momento, “um desafio para a comunidade”. Durante a sessão solene de bênção e inauguração da creche, o padre Raimundo salientou que a abertura deste espaço “vai permitir desenfrear um pouco o fôlego na prestação mensal de juros dos três milhões e quinhentos mil euros”. A dívida à banca, referiu o pároco de Bobadela que é também presidente da direcção do centro social paroquial, vai ter que ser paga “nos próximos quinze anos”, o que reconhece ser “muita sobrecarga para uma comunidade modesta que vive de poucos recursos financeiros”. No entanto, manifesta a sua confiança. “Não há dinheiro fácil para financiar esta preciosa oferta de serviço social à freguesia e arredores, mas sabemos que tempos de crise são sempre para gente corajosa e decidida”, afirmou na sessão de inauguração.

A construção desta obra é herança de um sonho com muitos anos, e a finalização desta primeira parte significa agora “o coroar de muitos esforços feitos pelos paroquianos da Bobadela e seus respectivos párocos”, destacou ainda o padre Raimundo Quintas Alberto. “No dia 9 de Dezembro de 1993, era pároco o padre Virgínio, fez-se a bênção da primeira pedra da construção, por D. Januário Torgal Ferreira”, conta revelando que “a comunidade não poupou esforços e conseguiu juntar um milhão e duzentos mil euros”. Em 25 de Maio de 2010, o então pároco, padre José Luzia, “reacendeu a esperança da comunidade que tão longamente esperou por um caminho que pudesse providenciar um fim de vida tranquila e sereno, e às jovens mães um lugar para os seus filhos”. Deu-se, então, início à construção da obra, cujo edifício “tem características diferentes do projecto inicial. Projectou-se um espaço diferente onde a oração se faz social”, explica. Deste modo, a espiritualidade não foi esquecida no novo edifício e está a ser construída uma capela nos espaços do novo Centro Social Paroquial da Bobadela.

 

Apoios garantidos

A realização desta obra social, que segundo o pároco vai servir a Bobadela e as zonas vizinhas de São João da Talha, Sacavém e Santa Iria da Azóia, “garante a possibilidade de 30 postos de trabalho” e está a ser construída ao abrigo do Programa de Alargamento de Equipamentos Sociais (PARES), com a parceria da Câmara Municipal de Loures e a Junta de Freguesia da Bobadela. “Temos pela frente uma grande batalha. Nesta luta, estamos a contar com o programa PARES e a Câmara de Loures, e só com a união de esforços conseguiremos concluir esta obra”, garante o padre Raimundo. Em resposta, o presidente da Câmara Municipal de Loures, Carlos Teixeira, garante: “Os compromissos que a Câmara assumiu irá cumpri-los até ao último momento e esta obra não ficará a meio por qualquer motivo”.

 

Esperança

Um voto de confiança e de esperança foi deixado pelo Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, que presidiu a bênção da nova creche paroquial da Bobadela. Salientando as muitas expressões da Igreja, o Patriarca de Lisboa destacou que “sem anular a atitude pessoal de uns para com os outros, hoje a prática da caridade supõe também estruturas. E a Igreja lançou-se na aventura de criar grandes estruturas sociais, onde o espírito da caridade fraterna deve presidir. São normalmente estruturas pesadas e a Diocese de Lisboa tem um parque social enorme” observou.

Nas suas palavras, D. José Policarpo encorajou depois a comunidade cristã da Bobadela. “O sonho está a ganhar forma. Não tenham medo mas sejam objectivos! A comunidade assumiu um encargo pesadíssimo que vai ser uma concretização do serviço dos irmãos durante muito tempo. E quando participardes financeiramente para a construção desta obra não vos esqueçais que isso tem o mesmo sentido do que se désseis a um dos vossos irmãos que precisa. Havemos de ser capazes”, concretizou. 

 

 

Donativos para o Centro Social Paroquial da Bobadela

NIB (Millenium bcp): 003300004540448497905

texto e fotos por Diogo Paiva Brandão e Nuno Rosário Fernandes
A OPINIÃO DE
P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Onde está a Igreja nesta guerra mundial, que é a pandemia do coronavírus? Está, como sempre esteve, na...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Na impossibilidade de celebrações eucarísticas presenciais, em boa hora a Conferência Episcopal Portuguesa...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES