Missão |
Irmã Adelina Maciel, Espiritana
Missão em Angola, Cabo Verde, Brasil e… Alcântara
<<
1/
>>
Imagem

A Comunidade Espiritana de Alcântara foi fundada há 70 anos e marca a entrada das Irmãs Missionárias do Espírito Santo em Portugal. A Irmã Adelina é uma referência obrigatória, pois ali viveu e trabalhou de 1956 a 1960, de 1975 a 1978 e de 2005 até hoje. Nascida em terras de Viana, foi missionária em Cabo Verde, Angola e Brasil, mas é a partir de Alcântara que faz Pastoral em S. Francisco de Paula e voluntariado no Centro Padre Alves Correia (CEPAC) com imigrantes.

 

De Viana a Alcântara…

Nasceu em Carvoeiro (Viana do Castelo), entrou nas Espiritanas em Braga onde professou em 1954. Alcântara (Dispensário Rainha D. Amélia) foi o seu campo de Missão de 1956 a 1960, de 1975 a 1978, e desde 2005. Alcântara foi a primeira comunidade das Espiritanas em Portugal, projecto iniciado há 70 anos naquele já longínquo 26 de Dezembro de 1941. A Irmã Adelina trabalhou no Dispensário, recordando-se ainda bem das visitas que fazia ao problemático bairro do Casal Ventoso e dos estudos que fez em Enfermagem Tropical e de Professora de Posto. Foi esta a bagagem que levou para a sua longa missão em terras de África e Brasil.

 

De Cabo Verde a Angola…

Cabo Verde acolheu-a de braços abertos em 1960. Eram tempos duros, de muita seca, pobreza e isolamento. Foi enviado ao interior da Ilha de Santiago, para trabalhar no Internato das Meninas em Santa Catarina, onde passou seis anos.

Angola acolheu-a em 1968. A sua formação em enfermagem e educação foram preciosas na Missão de Cachingues, bem no interior da Diocese de Silva Porto (Kuito-Bié). Dali partiu para o litoral, estando na nova fundação do Lobito, donde foi forçada a sair para Portugal em 1975, após a independência.

 

27 anos no Brasil…

Mais três anos em Alcântara e eis que parte para o Brasil. Em 1978 é recebida no bairro Cecap em S. Paulo e, mais tarde, trabalhará em Miguel Couto, numa área muito violenta de Nova Iguaçu, nas periferias pobres do Rio de Janeiro. Foram 27 anos de intensa missão: “Gostei muito do Brasil e muita gente ainda me escreve. A realidade é muito diferente daqui, mas a pastoral enche as medidas”. Dedicou-se de alma e coração à pastoral, coordenando a catequese, formando catequistas, ministros de baptismo e comunhão, fazendo reuniões de pais… levando muitas pessoas a comprometer-se na comunidade. Ali foi Superiora Principal durante três anos.

 

Alcântara de novo…

O ano 2005 marca o regresso a Portugal e a Alcântara, uma Comunidade com quatro Irmãs, sendo três portuguesas (Adelina, Luisa e Rosa) e uma nigeriana (Margareth). A sua missão estende-se desde a pastoral na paróquia de S. Francisco de Paula até ao Banco Alimentar, passando pelo Centro Padre Alves Correia (CEPAC). A Irmã Adelina passa três manhãs por semana no CEPAC, IPSS fundada pelos Espiritanos para apoiar imigrantes. Ela encontra pessoas pobres que vêm de todo o mundo e que sofrem na pele os efeitos da crise. Está mais ligada à secção de roupa e tem alegria de apoiar ali muitas pessoas que vêm dos países onde trabalhou: “Saí de África e da América latina, mas continuo a trabalhar com pessoas destes continentes”.

Em S. Francisco de Paula, a paróquia a que pertence a Comunidade, a Irmã Adelina é catequista, uma experiência difícil porque as crianças são poucas, as famílias não se envolvem e esta situação contrasta muito com as experiências de Cabo Verde, Angola e Brasil.

 

Alcântara… 70 anos

A irmã Adelina vive e trabalha a partir da Comunidade de Alcântara, de que fala a Irmã Rosa Braga: “70 anos… muita história, muita dedicação e muito serviço às populações circunvizinhas. Comunidade berço do Distrito de Portugal, onde gerações de Irmãs Missionárias do Espírito Santo, viveram sua vocação missionária e se prepararam para partir rumo a Cabo Verde, Angola… e outros países se seguiriam… e outros ainda nos esperam. De início através do Dispensário e hoje em colaboração com o Banco Alimentar, continua a ser pela assistência aos mais pobres, que é pautada a presença missionária daquela que foi a nossa primeira Comunidade em terras lusas”.

 

Um balanço feliz…

Com 81 anos de densa e intensa Missão, a Irmã Adelina confessa que sempre se sentiu disponível para partir onde fosse mais precisa a sua presença. O que mais lhe custou foi deixar o Brasil ao fim de 27 anos. Depois de evocar os limites da idade e da saúde, abre um grande sorriso e diz: “Sinto-me muito realizada na minha vocação”.


 

PERFIL

 

1930 – Nascimento em Carvoeiro – Viana do Castelo

1954 – 1ª Profissão no Seminário de Santiago – Braga

1956 – Comunidade de Alcântara

1960 – Missão em Cabo Verde

1968 – Missão em Angola

1978 – Missão no Brasil

2005 – Regresso a Alcântara

Tony Neves
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Outubro ficará na história da Igreja em Portugal por dois principais motivos: a entrada, para o colégio cardinalício, de D.
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Se houve nas últimas décadas uma cristã militante social da maior relevância, exemplo do compromisso...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES