Lisboa |
Conferência ‘Europa, onde está a tua alma?’
“A Igreja mantém intacta toda a sua fé e esperança no futuro da Europa”
<<
1/
>>
Imagem

O ex-deputado europeu José Ribeiro e Castro considera que a Igreja tem esperança no futuro da Europa. A conferência ‘Europa, onde está a tua alma?’, que juntou também o padre Hermínio Rico e a jornalista Laurinda Alves, pretendeu lançar a iniciativa ‘Juntos pela Europa’, que acontece a 12 de Maio em vários países europeus e também em Lisboa.

 

No auditório da paróquia do Campo Grande, em Lisboa, o padre Hermínio Rico considerou “muito positivo” os movimentos procurarem estar “juntos pela Europa” porque “esta é também uma oportunidade de testemunhar o próprio valor, importância e impacto da vivência da religião nos dias de hoje”. Na conferência ‘Europa, onde está a tua alma?’, que decorreu no passado dia 24, este sacerdote jesuíta lembrou que “a Europa é a única região do mundo onde a religião está em declínio” e que isso é um desafio à nova evangelização. “Parece que o secularismo é algo que vai triunfar. Como podemos responder a isto? Primeiro, voltando a acordar nas pessoas o desejo, o sentido e a capacidade de uma experiência pessoal de Deus. E nisto, os movimentos têm uma responsabilidade enorme. Depois, sendo capazes de contribuir de uma forma relevante, competente, credível para influir e colocar os valores cristãos e humanistas nos grandes diálogos públicos, da política, da cultura, da filosofia”. Mas, ficou o alerta: “Aquilo que o cristianismo foi na Europa não dá especiais direitos aos cristãos para decidirem hoje o seu presente e o seu futuro. O nosso desafio deve ser alimentar, descobrir, desvelar e revelar uma alma para a Europa! É sermos semente de um futuro novo”, aponta o padre Hermínio.

Para o ex-deputado europeu José Ribeiro e Castro, os cristãos “só poderão gostar do perfume da Europa se lá colocarem o seu cheiro, se se envolverem, se derem um passo em frente”. Assumindo-se como católico, “com especial ligação aos Cursilhos de Cristandade”, Ribeiro e Castro lembrou que “o projecto europeu foi fundado por cristãos, no rescaldo da II Guerra Mundial”. Segundo este ex-deputado europeu, “não há um único texto da Igreja que seja contra” o projecto europeu. “A Igreja mantém intacta toda a sua fé e toda a sua esperança no futuro da Europa”, garantiu, lembrando as palavras do Papa Bento XVI em Lisboa: “Hoje, participando na edificação da comunidade europeia, levai o contributo da vossa identidade”. A crise da Europa e da alma da Europa, sentenciou, “deve desafiar todos os cristãos a procurarem uma Europa livre, democrática, pacífica”.

A jornalista Laurinda Alves, uma “euro entusiasta confessa”, recordou palavras de João Paulo II sobre a “crise de memória, que é tão grave como a crise financeira”. Com a crise de memória, “as pessoas esqueceram-se de qual o fermento” da união europeia. “Na fundação da Europa está o espírito cristão de entreajuda, de pôr em comum, de partilha, de acreditar que podemos ajudar quem mais precisa. Isto são verdades eternas!”, sublinhou. Convidando, por isso, a “actualizar o olhar” sobre a Europa, esta jornalista garantiu que “mais importante do que coligar Estados é unir povos e pessoas”, porque “o ser humano é sempre o motivo da construção europeia”. E esta construção “é sempre feita pela esperança!”.

 

Reavivar a alma cristã da Europa

O ‘Juntos pela Europa’ (www.juntospelaeuropa.blogspot.com) é uma jornada europeia que quer reavivar a alma cristã da Europa e que vai ter uma nova jornada de cariz europeu no próximo dia 12 de Maio. Portugal, através de oito movimentos da Igreja (Comunidade Emanuel, Família Missionária Verbum Dei, Equipas de Jovens de Nossa Senhora, Equipas de Nossa Senhora, Metanoia, Movimento Apostólico de Schoenstatt, Movimento dos Cursilhos de Cristandade e Movimento dos Focolares), acolhe também esta iniciativa em sete cidades diferentes, entre as quais Lisboa.

texto e foto por Diogo Paiva Brandão
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Isilda Pegado
1. Neste tempo, em que o individualismo parece imperar, apesar da destruição que gera na Sociedade,...
ver [+]

P. Duarte da Cunha
Que todos os homens querem ser felizes não parece ser objecto de discussão entre pessoas sãs. Todos queremos, de facto, ser felizes.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES