Lisboa |
Dia Nacional da Cáritas
Cristãos convidados a intensificarem as actividades solidárias
<<
1/
>>
Imagem

Perante as “crescentes situações de pobreza”, o vogal da Comissão Episcopal da Pastoral Social e da Mobilidade Humana, D. Joaquim Mendes, apelou “aos cristãos e às comunidades cristãs um fortalecimento da «consciência social» e da «intensificação das actividades solidárias»”.

 

Na celebração do Dia Nacional da Cáritas, no passado Domingo, 11 de Março, na igreja da Portela, em Lisboa, D. Joaquim Mendes apelou à construção do bem comum. “Hoje, Dia Nacional da Cáritas, somos convidados a redescobrir, à luz da fé em Cristo ressuscitado, o próximo como irmão, e a aliarmo-nos com ele na edificação do «bem comum», na construção de um futuro de esperança e de bem-estar para todos”.

D. Joaquim, que é também Bispo Auxiliar de Lisboa, sublinhou depois que “a caridade cristã, a que a Cáritas dá expressão e visibilidade, nasce da fé em Cristo ressuscitado”. Neste sentido, acrescentou, “a Cáritas está presente, na Igreja e na sociedade, como instância atenta e solícita em relação aos problemas sociais, nomeadamente da pobreza, mobilizando crentes e não crentes”. Neste Dia da Cáritas, “e perante o quadro social emergente de novas e crescentes situações de pobreza”, este membro da Comissão Episcopal da Pastoral Social e da Mobilidade Humana apelou ainda “aos cristãos e às comunidades cristãs para um fortalecimento da «consciência social» e da «intensificação das actividades solidárias»”.

“Precisamos, à luz da fé em Cristo ressuscitado, de sentir a responsabilidade de contribuir para a edificação do «bem comum» e de o considerar como uma «tarefa de todos e de cada um»”, terminou D. Joaquim Mendes, nesta celebração que assinalou o Dia Nacional da Cáritas.

Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Isilda Pegado
1. Neste tempo, em que o individualismo parece imperar, apesar da destruição que gera na Sociedade,...
ver [+]

P. Duarte da Cunha
Que todos os homens querem ser felizes não parece ser objecto de discussão entre pessoas sãs. Todos queremos, de facto, ser felizes.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES