Roma |
A uma janela de Roma
“A oração sustenta e dá força”
<<
1/
>>
Imagem

Bento XVI lembrou o poder da oração. Numa semana em visitou a Universidade Católica em Roma e falou de educação aos bispos norte-americanos, o Papa fez um pedido aos novos Guardas Suíços, enviou uma mensagem a Cuba e assegurou a sua presença no Encontro Mundial das Famílias, em Milão.

 

1. O Papa garantiu que no momento da provação, é a oração que sustenta e dá força. Recordando ó último episódio da vida de São Pedro narrado nos Actos dos Apóstolos, sobre a sua prisão em Jerusalém, Bento XVI sublinhou que “a calma” de Pedro “era fruto da sua confiança em Deus, em cujas mãos se abandonara”. “Enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja orava continuamente a Deus por ele. Também nós, por meio de uma oração constante e confiada, experimentamos como o Senhor nos liberta das cadeias e nos guia no meio das noites que atormentam o nosso coração, dando-nos a serenidade para enfrentar as dificuldades da vida”, sublinhou, na audiência-geral da passada quarta-feira.

Bento XVI agradeceu ainda a todos os que rezam por si, “sobretudo nos momentos mais difíceis”, apelando à serenidade dos cristãos face à “recusa, oposição e perseguição” que possam enfrentar. “Desde o primeiro momento da minha eleição como sucessor de Pedro [Papa], senti-me sempre apoiado pela oração da Igreja, pela vossa oração”, disse aos milhares de peregrinos presentes na Praça de São Pedro, para a audiência pública desta semana. “Obrigado do fundo do coração”, acrescentou o Papa, após uma salva de palmas dos presentes.

 

2. O Papa visitou a Universidade Católica do Sagrado Coração, em Roma, alertando para a “sombra de uma crise do pensamento” que considera estar a projectar-se sobre o saber científico e a vida académica, e pediu maior abertura para a reflexão sobre a transcendência. “O homem do nosso tempo vive muitas vezes condicionado pelo reducionismo e o relativismo, que levam à perda do sentido das coisas”, afirmou Bento XVI, no discurso que proferiu durante a visita a esta universidade católica, no 50º aniversário da fundação da Faculdade de Medicina. Segundo o Papa, há um deslumbramento face à “eficácia técnica” que leva a esquecer “o horizonte essencial da questão do sentido, relegando assim à insignificância a dimensão transcendente”.

Bento XVI aludiu ainda à “missão insubstituível” das universidades católicas, locais “onde a relação educativa é colocada ao serviço da pessoa” para promover “competência científica” e oferecer um “património de saberes que as várias gerações destilaram em sabedoria de vida”. Aos estudantes de Medicina, o Papa pediu-lhes que vivam a sua futura profissão na dimensão do cuidado para com o próximo.

 

3. Os Bispos dos Estados Unidos foram recebidos em audiência, com Bento XVI a sublinhar a importância da educação católica para a nova evangelização no mundo de hoje. “Não é exagerado dizer que assegurar aos jovens uma sólida educação na fé representa o maior desafio interno que a comunidade católica enfrenta no vosso país. O depósito da fé é um tesouro precioso que cada geração tem de transmitir à seguinte, conquistando corações para Jesus Cristo e formando os espíritos no conhecimento, na compreensão e no amor à sua Igreja”, salientou o Papa.

 

4. O Papa pediu aos novos Guardas Suíços para serem firmes na fé e estarem atentos ao próximo. “O segredo do vosso trabalho no Vaticano é seguir Cristo”, recordou Bento XVI aos novos Guardas Suíços, recebidos em audiência esta semana, no Vaticano, com as respectivas famílias. Os novos recrutas da Guarda Suíça prestaram juramento, tendo o Papa reafirmado a importância da sua missão ao serviço da Igreja e de todos os que se deslocam em peregrinação ao Túmulo dos Apóstolos. “Sede atentos uns aos outros” e “conservai o estilo de caridade evangélica em relação às pessoas que encontrais dia a dia”, recomendou Bento XVI.

 

5. Bento XVI enviou uma mensagem ao presidente de Cuba, Raul Castro, deixando votos de que o país avance pelos caminhos da “liberdade, da solidariedade e da concórdia”. A missiva papal foi publicada integralmente na sexta-feira pelo jornal ‘Granma’, órgão oficial do Partido Comunista Cubano. O Papa expressa ao presidente cubano a sua “viva gratidão” pela atenção que recebeu durante a visita que realizou à ilha, entre 26 e 28 de Março.

Entretanto, o presidente da Conferência Episcopal de Cuba considerou que a recente visita de Bento XVI ao país contribuiu para espalhar uma “mensagem de reconciliação”. Em declarações à  Rádio Vaticano, D. Dionisio Garcia sublinhou que “a Igreja em Cuba pede uma mudança interior” e que a visita papal deu o impulso necessário para “promover a compreensão que torna possível cada mudança”. O Arcebispo de Santiago salientou ainda que “em Cuba ainda se fala com profunda gratidão” da passagem de Bento XVI.

 

6. O Papa lembrou que faltam cerca de 15 dias para o Encontro Mundial das Famílias e confirmou que estará presente em Milão, de 1 a 3 de Junho. “Desejo lembrar que, em menos de um mês, será realizado em Milão o 7º Encontro Mundial das Famílias. Eu também, se Deus quiser, terei a alegria de participar e, por isso, viajarei à cidade italiana entre os dias 1º e 3 de Junho”, declarou Bento XVI perante milhares de pessoas reunidas na praça de São Pedro, no Vaticano.

O 7º Encontro Mundial das Famílias começa dia 30 de Maio e tem como lema ‘A família, o trabalho e a festa’. O Conselho Pontifício para a Família e a Arquidiocese de Milão estimam a presença de 1 milhão de pessoas no evento.

Aura Miguel, à conversa com Diogo Paiva Brandão
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Isilda Pegado
1. Neste tempo, em que o individualismo parece imperar, apesar da destruição que gera na Sociedade,...
ver [+]

P. Duarte da Cunha
Que todos os homens querem ser felizes não parece ser objecto de discussão entre pessoas sãs. Todos queremos, de facto, ser felizes.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES