Lisboa |
Igreja de Santo António de Lisboa
A Casa onde se dá a conhecer o grande pregador da Palavra
<<
1/
>>
Imagem

Lisboa vive por estes dias as tradicionais Festas de Santo António, padroeiro da cidade. O rebuliço na zona da Baixa, Alfama e Sé contrasta com o sossego na Igreja de Santo António, o lugar onde, segundo a tradição, nasceu o santo português que foi um insigne pregador do Evangelho.


“Lisboa e o mundo estão cheios de testemunhos de Santo António – o seu santo mais querido e popular”. É desta forma que a página na internet da Igreja de Santo António de Lisboa (www.santo-antonio.webnode.pt) começa por descrever a vida do santo. É no Largo de Santo António da Sé, em Lisboa, que está situada a Igreja de Santo António, o lugar onde nasceu este santo português. “Esta é a igreja que assinala o lugar onde Santo António nasceu, segundo a tradição, e por onde passam muitos milhares de pessoas ao longo do ano, vindas de diferentes partes do mundo”, refere ao Jornal VOZ DA VERDADE o reitor desta igreja, padre Jorge Marques.

 

‘Mundo inteiro’ visita Santo António

Vêm de todo o mundo os visitantes da Igreja de Santo António, em Lisboa. “Vamos fazendo, anualmente, uma estatística dos grupos que vão passando pela nossa igreja e o ano passado, apenas de Itália, visitaram a igreja 976 grupos, formados em média por 50 pessoas”, destaca o padre Jorge, franciscano, apontando que o segundo país de onde vêm mais visitantes “é o Brasil, com 177 grupos, a que se segue a Polónia, Espanha, Estados Unidos, Alemanha e França”.

Há também grupos que vêm de países mais distantes ou com menos raízes cristãs, como assinala o responsável pela Igreja de Santo António. “Visitam-nos também uns grupos de cristãos muito interessantes, embora sejam menos numerosos, naturalmente, vindos das Filipinas, Coreia do Sul, Líbano, Sri Lanka, Eslováquia, Eslovénia, Vietname, Rússia, Burkina Faso ou China”. O mito de que o santo é de origem italiana fica desde logo desfeito com a chegada dos peregrinos estrangeiros. “Nas visitas guiadas à igreja, os guias turísticos explicam que, de facto, Santo António nasceu aqui! Todo o mundo lhe chama Santo António de Pádua, mas foi em Lisboa que ele nasceu, que ele cresceu. Foi na Sé de Lisboa que Santo António foi baptizado! Foi também na Sé que ele fez de acólito. Aliás, há mesmo uma imagem na Sé com Santo António vestido de acólito”, conta este sacerdote franciscano.

 

Santo António, o grande pregador do Evangelho

Diariamente, são muitos os que passam pela Igreja de Santo António. “Passam quer curiosos e visitantes, quer peregrinos e devotos”. São precisamente “os peregrinos e devotos que marcam a vida” desta igreja em Lisboa: “Este santuário é marcado todos os dias por aqueles que vêm rezar por intercessão de Santo António”.

Santo António é o padroeiro principal da cidade de Lisboa e secundário de Portugal. A missão deste santuário é, por isso, dar a conhecer a vida cristã deste santo português. “Naturalmente, a maioria das pessoas vem à igreja pedir que Santo António resolva as suas necessidades humanas, básicas. A nossa missão não é destruir essa faceta – porque faz parte da vida – mas é apresentar a vida cristã do santo e mostrar também como Santo António foi um insigne pregador da Palavra de Deus. Isso é o mais importante! Para além dos milagres e das florinhas, que estão à volta da vida de Santo António, o importante é que Santo António foi um grande pregador do Evangelho e um grande devoto de Jesus”, sublinha o reitor da Igreja de Santo António de Lisboa, recordando as imagens do santo: “Normalmente, a imagem de Santo António traz a Bíblia na mão e o Menino ao colo. Aqui na igreja procuramos tirar muito partido dessa imagem!”.

 

Frade simples e humilde

Santo António foi um grande estudioso da Bíblia. “Foi aqui bem perto, na Catedral, que Santo António foi crescendo na vida cristã. Mas foi especialmente em Coimbra – após São Vicente de Fora – que durante muitos anos ele estudou a Bíblia! O mosteiro de Santa Cruz de Coimbra era uma das grandes escolas bíblicas da Europa”, conta o padre Jorge. É também nesta fase da vida de Santo António que nasce a sua vocação missionária. “Quando ainda era vivo São Francisco, passam por Coimbra, a caminho de Marrocos, os primeiros frades franciscanos. Quando batem à porta do mosteiro, são recebidos por Santo António, e é natural que nasça daqui a sua vocação missionária de anunciar e levar a Palavra de Deus”.

O reitor da Igreja de Santo António de Lisboa lembra ainda a simplicidade do santo português: “Apesar da sua sabedoria bíblica, nunca deixou de ser um frade simples, humilde, atento às necessidades das pessoas”.

 

João Paulo II, o ilustre peregrino

A cripta, com entrada pela sacristia, é tudo o que resta da igreja original que foi destruída pelo terramoto de 1755. A nova igreja foi iniciada em 1757, sob a direcção de Mateus Vicente, arquitecto da Basílica da Estrela. Diz a história que a igreja foi parcialmente paga pelas crianças, que pediam ‘um tostãozinho para o Santo António’.

No interior, na descida para a cripta onde está uma relíquia do santo português, um painel de azulejos assinala a visita do Papa João Paulo II. “No dia 12 de Maio de 1982, o Santo Padre João Paulo II, por sua iniciativa e devoção, visitou e orou neste lugar onde nasceu Santo António”, recorda uma placa.

Diariamente, a Igreja de Santo António tem duas Eucaristias, às 11h e às 17h, em português. “Todos os dias temos muitas pessoas para a Eucaristia, mas o grande movimento são os grupos estrangeiros. Há dias em que temos Missa quase de hora a hora, em inglês, depois polaco, a seguir italiano ou espanhol”, refere o padre Jorge Marques, que está em funções há dois anos e que conta com a colaboração dos padres José Marques, de 84 anos, e Albertino Rodrigues, que é o encarregado do canto e da animação litúrgica. Aos sábados e Domingos, além dessas duas celebrações, a Igreja de Santo António tem Missa também às 19h.

No dia da Festa de Santo António, a 13 de Junho, a igreja é visitada por inúmeras pessoas, segundo observa o reitor da Igreja de Santo António, padre Jorge Marques: “É um corrupio! Não é uma multidão, é mesmo um corrupio!”.

 

_________________


Pão de Santo António

O Pão de Santo António nasceu da preocupação do santo pelos mais pobres. “Conta-se que Santo António se comovia tanto com a pobreza que, certa vez, distribuiu aos pobres todo o pão do convento onde vivia. O frade padeiro ficou em apuros, quando, na hora da refeição, percebeu que os frades não tinham que comer. Atónito, foi contar a Santo António o ocorrido e este mandou-o verificar melhor o lugar onde os tinha deixado. O irmão padeiro voltou estupefacto e alegre: os cestos transbordavam de pão! Tantos, que foram distribuídos aos frades e aos pobres que visitavam o convento”, conta o reitor da Igreja de Santo António, padre Jorge Marques.

Em Lisboa, desde que os franciscanos assumiram a Igreja de Santo António, em 1920, por incumbência do Cardeal Cerejeira, que se mantém a tradição de distribuir pão pelos mais pobres e necessitados. Inicialmente, o Pão de Santo António era distribuído às pessoas mais carenciadas da zona uma vez por semana; actualmente, o pão é dado três vezes por semana, a um grupo de 95 pessoas que estão inscritas, acompanhado por alguns alimentos de primeira necessidade. “Esta é uma obra de solidariedade que temos sempre procurado manter!”, assegura o responsável pela Igreja de Santo António de Lisboa. 

 

_________________


‘TV Santo António’ e ‘Voz de Santo António’ percorrem o mundo

A Igreja de Santo António de Lisboa iniciou recentemente as transmissões vídeo pela internet das celebrações na igreja. “É um projecto muito simples, em que procuramos fazer a transmissão diária do Terço e da Missa para todo o mundo. Estamos ainda a tentar melhorar, mas sabemos que temos visualizações a partir do Brasil, do Canadá, de Itália. É uma pequena experiência, que tem sido interessante”, assinala o reitor da Igreja de Santo António, padre Jorge Marques. A ‘TV Santo António’, acessível através do link www.livestream.com/stantonius, transmite diariamente a recitação do Terço, às 16h20, e a Eucaristia, às 17h, bem como outras celebrações de grupos de peregrinos que visitam a igreja. O novo site permite ainda visualizar as transmissões efectuadas anteriormente.

Ao nível da comunicação, a Igreja de Santo António publica bimestralmente o jornal ‘Voz de Santo António’, que pode ser encontrado na igreja ou através da página na internet www.santo-antonio.webnode.pt/voz-de-s-antonio.

texto e fotos por Diogo Paiva Brandão
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Pe. Alexandre Palma
Quais serão as realizações da Igreja em Portugal, fruto do seu empenho e compromisso, minimamente nacionais?...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
O príncipe Harry e a esposa, Meghan Markle, declararam que não pretendem ter mais do que dois filhos,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES