Missão |
Lígia Silveira e Rui Martins
Missão na comunicação
<<
1/
>>
Imagem

A Lígia e o Rui são o casal que hoje vamos conhecer melhor. Estão de parabéns pois, ontem, dia 13 de Outubro, celebraram o seu matrimónio e nesta edição aceitaram partilhar connosco o seu percurso de vida que os conduziu até este momento tão importante das suas vidas.

 

Caminhada cristã da Lígia

Quanto tinha 15 anos a Lígia foi convidada a participar num grupo de jovens que a atraiu pela sua “linguagem jovem” e pela sua dinâmica “comprometida com a comunidade paroquial, com encontros semanais onde se falava de Deus, onde cada um partilhava a forma como se sentia tocado e chamado a fazer a sua parte para a evangelização do jovem pelo jovem”. Foi no seio deste grupo que participou, já com 16 anos, numa actividade que viria a marcar o seu percurso cristão. Foi verdadeiramente um momento marcante na sua caminhada cristã pois foi então que decidiu fazer a Primeira Comunhão. Foi também o início de um caminho de entrega e compromisso com o Movimento Encontros de Jovens Shalom, no qual assumiu diversos trabalhos e equipas quer a nível paroquial, diocesano e nacional.

Foi no seio deste Movimento da Igreja que, durante o Jubileu do ano 2000, a Lígia integrou uma equipa que representou o Movimento no Congresso Eucarístico Internacional em Roma. Aí teve a possibilidade de “perceber uma Igreja maior do que a sua ‘paróquia’ ou o seu ‘movimento’, onde muitas linguagens e formas de trabalhar se juntam na altura de se sentirem pertencentes à mesma obra”. No ano seguinte, em 2001, a Lígia teve oportunidade de fazer uma experiência de voluntariado no Brasil. Foi no âmbito do projecto “Cuidar do Outro”, através do qual foram enviados 15 jovens para trabalhar em parceria com a Pastoral do Menor de Belo Horizonte. Foi um mês de trabalho com jovens que na sua maioria tinham sido vítimas de violência doméstica ou tinham sido apanhadas pelas “teias da prostituição”. Foi um tempo “muito rico em humanidade, em entender as pessoas como sinais de Deus”. Um tempo onde pôde conviver com “muitos que se gastavam pela dignidade do outro”. Regressada a Portugal, assumiu em 2002 a coordenação diocesana dos grupos do Movimento Shalom, missão que desempenhou durante três anos”.

 

Percurso cristão do Rui

A caminhada cristã do Rui também é fortemente marcada pelo Movimento Shalom. Depois de vários anos “afastado da Igreja”, o Rui foi desafiado por um amigo a participar num encontro deste movimento. A partir desse momento, a relação com Cristo foi crescendo também na medida em que o Rui se foi envolvendo no dinamismo deste grupo e na descoberta da Igreja no seio desta realidade muito concreta. Para além de tesoureiro, secretário e coordenador do grupo de Algés, este grupo também abriu ao Rui as portas de uma Igreja mais ampla e os desafios foram sempre crescendo. Em 1996, aceitou o desafio de partir por um ano para a Comunidade Shalom de Belo Horizonte, no Brasil. Aí teve oportunidade de acompanhar vários grupos de jovens e de integrar o dia-a-dia das comunidades locais. Nas suas próprias palavras, participou em “missas tecidas de ritmo, festa e partilha” e sentiu-se verdadeiramente “missionário quando ia ao encontro dos grupos e regressava à noite para partilhar alegrias, palavras, fracassos, esperanças e projectos.” Foi um tempo muito rico onde o Rui ganhou “a certeza de que todos deviam fazer uma experiência de missão [...] onde parece que o mundo e a Igreja se abrem e já não se pode ser como antes.” De volta a Portugal, começou a trabalhar na Capelania da Universidade Católica com o padre José Tolentino Mendonça, que o ajudou a “ampliar o olhar para a arte, a poesia e a cultura”. Aliás, ainda hoje dedica parte do seu tempo ao trabalho no Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, onde a cultura e a fé se cruzam na descoberta de novos trilhos em conjunto. Em 2004, voltou a responder aos desafios de Deus e entrou para o Seminário do Patriarcado onde viveu durante quatro anos, primeiro em Caparide e depois nos Olivais. Aí conheceu “padres e leigos generosos que fazem da vida uma missão no meio de sonhos e tristezas.” Aprendeu a “rezar mais e melhor”, o que desde então transformou a sua vida.

 

Missão na comunicação

O Rui e a Lígia partilham diariamente, desde 2009, o mesmo espaço de trabalho pois ambos trabalham na Agência Ecclesia. A Lígia integra a equipa que produz os programas de rádio da Ecclesia na Antena 1, e o Rui redige notícias para o site da Agência. Já antes os caminhos da comunicação os haviam cruzado, quando ainda durante o curso de Comunicação Social a Lígia entrevistou o Rui quando este estava no Seminário dos Olivais. Hoje, partilham os mesmos desafios da comunicação eclesial e procuram que a sua vida de casal seja também um testemunho de missão traduzida no concreto do quotidiano. 

O casamento que ontem celebraram e que agora são chamados a viver integra assim este longo “percurso de amadurecimento, de conhecimento interior, de entrega, de serenidade e esperança, de certeza de um amor maior que os une e os leva a ser um com o outro”.

texto por Emanuel Oliveira Soeiro, FEC – Fundação Fé e Cooperação
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Na semana passada li uma entrevista com um candidato a deputado (cabeça-de-lista) pelo circulo eleitoral do Porto.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Com “missão nas férias” não quero propor programas de férias missionárias, nem dizer que a missão está de férias.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES