Missão |
Pe. José Augusto Duarte Leitão, svd
“É o amor à Missão que me faz correr!”
<<
1/
>>
Imagem

“Em toda a minha vida me senti missionário”. Assim se resume o perfil de vida do Pe. José Augusto Duarte Leitão, svd, que hoje procuramos conhecer melhor na Voz da Verdade. Nasceu em 1957, no concelho de Castelo Branco, Diocese da Guarda. Como o próprio refere, “as raízes continuam lá na Beira Baixa; os horizontes, esses ganharam asas da Missão que Deus me confiou”.

 

Formação

Em 1968, entrou para o Seminário Menor do Verbo Divino, em Tortosendo, onde viveu durante 7 anos. Já em Fátima, durante o período conturbado da segunda metade da década de setenta, fez o noviciado. Como o Pe. José Augusto refere, esse “tempo de revolução no país” foi também um tempo de uma “procura vocacional pessoal muito intensa e no final venceu a opção de arriscar e professar os primeiros votos”.

Terminado o noviciado, seguiu para Lisboa onde iniciou o curso de Teologia na Universidade Católica Portuguesa. Este tempo de formação foi ainda enriquecido pelo trabalho pastoral que entretanto foi desenvolvendo na paróquia da Charneca do Lumiar. Entre 1978 a 1980, regressou ao norte do país, onde assumiu a função de formador dos seminaristas menores em Guimarães. Terminada esta missão que o Pe. José Augusto recorda como uma “experiência muito positiva de contacto com a juventude”, voltou a Lisboa onde terminou a sua Licenciatura e foi ordenado Diácono.

No dia 5 de Maio de 1984, foi ordenado presbítero em Fátima e o seu primeiro ano de sacerdócio foi vivido no Seminário Maior do Verbo Divino, em Lisboa, onde exerceu também as funções de ecónomo.

 

Angola e Brasil

Em Fevereiro de 1986, partiu para Angola. Em plena guerra civil, permaneceu na missão de Nzeto, no litoral Norte do país. As palavras deste missionário, traduzem-nos bem a riqueza deste período na sua vida: “Os perigos da guerra, as dificuldades de comunicação e de deslocação, a falta de meios de sobrevivência e a fragilidade perante doenças para as quais não tinha anticorpos naturais emagreceram-me o corpo, mas fortaleceram-me a fé e o amor a esse povo que me acolheu como filho. Foram quatro anos em que fiz de tudo um pouco: mecânico, enfermeiro, professor, electricista, canalizador, agricultor... mas era o amor à Missão que me fazia correr! Em tempo de guerra aprendi o dom que é viver em paz; em tempo de penúria aprendi o valor do essencial frugal e da partilha solidária”.

Em Fevereiro de 1990, o Pe. José Augusto deixou a missão de Nzeto e acolheu outro desafio. Partiu para o Brasil para estudar Missiologia na Faculdade da Assunção, em S. Paulo. Para além do tempo dedicado ao estudo, teve ainda oportunidade de trabalhar numa paróquia da periferia desta grande metrópole, mais concretamente em duas favelas. “Foram duas escolas de fé e missão: a Faculdade durante a semana e as comunidades de base no fim-de-semana”.

 

Regresso a Portugal

Terminado o mestrado em Outubro de 1992, o Pe. José Augusto regressou a Portugal, para ser formador dos novos missionários do Verbo Divino. Durante nove anos acompanhou aqueles que, como ele, dispunham o seu coração para estar ao serviço de Deus e da sua Missão. Durante este tempo trabalhou ainda no bairro da Musgueira Sul, no Lumiar, num trabalho conjunto com as irmãs Doroteias. Foi ainda durante este período que o Pe. José Augusto fundou e organizou um grupo de voluntariado, chamado Diálogos.

Entre 2001 a 2007 foi nomeado superior provincial dos Missionários do Verbo Divino em Portugal e de 2002 a 2007 respondeu positivamente ao desafio de ser presidente dos IMAG (Institutos Missionários Ad Gentes) em Portugal.

Desde 2007 que o Pe. José Augusto está em Fátima e tem ao seu cuidado o Steyler Fátima Hotel e a Paramentaria Verbo Divino que funcionam como suporte económico e solidário das comunidades e projectos dos missionários do Verbo Divino. É também desde 2007 o responsável em Portugal da Rede África Europa Fé e Justiça, missão que assume com natural entusiasmo e que o leva a procurar estabelecer pontes de desenvolvimento entre os dois continentes.

Desde 2011, tem procurado também estar presente noutros espaços de missão. Publica diariamente uma meditação bíblica no seu blogue (www.dialogoaberto.blogspot.pt) e no Facebook. Tal como ele próprio afirma “é mais um areópago onde procuro disseminar a boa nova de Jesus Cristo e a actualidade da sua mensagem. A Nova Evangelização quer-nos todos inteiros no aprofundamento da Fé e na proclamação do Evangelho”.

O sim generoso do Pe. José Augusto a todos os desafios que Deus tem colocado no seu caminho, traduz-se nas suas próprias palavras: “Continuo à procura d’Aquele que anuncio e celebro como Salvador do Mundo”.

 

______________________

 

Continuo a acreditar

que vale a pena anunciar

a beleza dum Deus humano,

divinamente fiel e amante.

Confiou-me um tesouro

que cuido com amor desajeitado.

Quero continuar a partilhá-lo

pois só é tesouro, quando dado.

(Fátima, 6 de Maio 2010)

 

José Augusto Duarte Leitão, svd

texto por Emanuel Oliveira Soeiro, FEC – Fundação Fé e Cooperação
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Na semana passada li uma entrevista com um candidato a deputado (cabeça-de-lista) pelo circulo eleitoral do Porto.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Com “missão nas férias” não quero propor programas de férias missionárias, nem dizer que a missão está de férias.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES