Missão |
Dimas Pedrinho
Ao Serviço da sua Igreja
<<
1/
>>
Imagem
Natural da freguesia de Magueija, mais propriamente, da povoação de S. Tiago, lugares do concelho de Lamego, Dimas Oliveira Pedrinho nasceu a 14 de dezembro de 1967. Atualmente é Coordenador do Departamento de Educação Moral e Religiosa Católica do Secretariado Nacional da Educação Cristã.

 

Frequentou a escola primária na sua aldeia. Completado o Ensino Secundário, entrou no Curso de Licenciatura em Ciências Religiosas, da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, que concluiu em 1993. Com esta licenciatura obteve a qualificação profissional como professor de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC), que desde há muito queria ser.

Em 2006-2007 realizou uma pós graduação em gestão escolar, na então designada Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. Esta formação complementar no campo da educação veio colmatar uma necessidade que sentia, visto que, no desenvolvimento da profissão que escolheu, vinha sendo chamado a desempenhar funções de liderança na coordenação educativa. Atualmente é Coordenador do Departamento de Educação Moral e Religiosa Católica do Secretariado Nacional da Educação Cristã.

 

Tradição Musical e Passagem pelo Conservatório

Pelo meio ficaram outras incursões formativas, umas por imperativos de valorização e qualificação profissional, outras simplesmente por gosto e valorização pessoal, tendo em vista a capacitação para desafios diversos, designadamente na pastoral eclesial. Foi o caso da frequência do curso de Guitarra Clássica, no Conservatório Regional D. Dinis, de Odivelas, onde ingressou em 1995.

A música tem uma longa tradição na sua família, sendo que vários parentes seus, dos antepassados e dos atuais, desenvolveram atividade nesse domínio. “Quanto a mim, estudei o dito solfejo por “carolice” e iniciativa própria, nos anos de adolescência, como complemento ao estudo escolar normal”, conta-nos Dimas Pedrinho.

“Por isso, tendo há muito aprendido a tocar viola com os amigos e terminada a formação da carreira de professor que escolhera, decidi experimentar o estudo da música a sério, mesmo sem a ambição de concluir curso, uma vez que o meu percurso profissional estava já traçado. O estudo no Conservatório ficou-se pelo 4º grau, nível que servia os meus intentos no domínio da música: a atividade pastoral.”

 

O casamento e a família

Dimas Pedrinho casou a 22 de julho de 1995 com Deolinda, na igreja de Santo António dos Cavaleiros, onde então residia e onde também decidiram morar.

O primeiro filho, o André, nasceu a 13 de maio de 1998. O casal Pedrinho viveu este acontecimento com especial alegria e gratidão, pois tendo uma espiritualidade profundamente mariana, e sem qualquer tipo de calculismo, viram o seu primeiro filho nascer num dia em que é vivida e celebrada a singular proximidade entre Nossa Senhora e os homens.

“A nossa segunda filha, a Ana Rita, nasceu a 23 de fevereiro de 2002. Foi para nós enternecedor e gratificante saborear agora a candura e a doçura natural de uma menina. Assim era a Ana Rita. A inesgotável energia do André era agora equilibrada com a tranquilidade e a doçura da irmã.”

Com os filhos a crescer e a necessitarem de mais espaço para as brincadeiras, a casa onde moravam ia-se tornando pequena. Por isso, depois de muito ponderar, em agosto de 2003, mudaram de casa para o Montijo, por ficar a meio entre a família de Deolinda, que morava em Setúbal, e os locais de trabalho, em Lisboa.

 

A mudança para o Montijo e a integração numa nova comunidade

A família Pedrinho foi então encontrar no Montijo, numa comunidade cristã em mudança, uma vez que a própria comunidade humana se vinha transformando, em virtude da chegada de inúmeras famílias novas que, como eles, ali se têm vindo a fixar. A paróquia era conduzida por um padre jovem mas já experiente e bem preparado, também recentemente chegado – o mesmo de hoje. De imediato os cativou com o entusiamo, a entrega e a sabedoria com que desenvolve o seu ministério. Acolheu-os com grande abertura e amizade e, sem perdas de tempo, os ajudou a desenvolver a fé e os dons e a colocá-los ao serviço dos outros. Com isto aproximou-os de muitas pessoas de valor, com as que, quase sem darem por isso, se viram inusitadamente próximos, quer no plano da fé, quer no plano da vida, no que tem de mais humano. Deste modo, rapidamente se integraram na nova comunidade.

Em 2008 nasceu a terceira filha – a Maria Inês. Quando os irmãos já eram crescidinhos ela veio acrescentar um toque de ternura e encanto ao lar de Dimas e Deolinda. Mais uma vez sentiram a alegria de ser pais, ao mesmo tempo que voltavam a organizar as rotinas em função dos cuidados que o bebé requeria, sem deixar de acompanhar e atender aos irmãos.

 

Ao Serviço do Evangelho de Cristo

Começou a lecionar a disciplina de EMRC em outubro de 1988, no Externato Marista de Lisboa. Aí lecionou até 1992 e, mais tarde, entre 2003 e 2006 em regime de acumulação com uma escola pública.

Em 1992, a fim de realizar a profissionalização em EMRC, incluída no curso de Ciências Religiosas, lecionou algumas horas semanais para uma escola do Estado. Concluída a profissionalização permaneceu a desempenhar funções nas escolas públicas, sendo atualmente professor do quadro.

Desde 2001 coopera ainda com Externato Marista de Lisboa na orientação da Escola de Música, valência que naquele ano foi reestruturada.

Ao longo do tempo cooperou igualmente com o Secretariado Diocesano do Ensino Religioso (Lisboa) na coordenação da disciplina de EMRC, desempenhando o cargo de Delegado de Zona nos anos de 1993 a 1997 e de 2007 a 2009 e integrando a equipa organizadora dos encontros intraescolas de nível diocesano entre 1994 e 1997.

“O desempenho destas tarefas, vividas em começo de carreira, revestia-se de grande novidade e também de aprendizagem. Não acontecendo por minha iniciativa mas de outros, que para elas me lançavam, surpreendiam-me e apanhavam-me desprevenido. Fiquei sempre com a sensação de que, depois do trabalho feito, tinha aprendido mais do que ensinado; tinha recebido mais de que aquilo que tinha dado.”

Desde Setembro de 2009, por iniciativa dos Senhores Bispos, encontra-se destacado pelo Ministério da Educação a desempenhar funções no Secretariado Nacional da Educação Cristã, como responsável pelo departamento de Educação Moral e Religiosa Católica.

Na vida de Dimas Pedrinho o percurso cristão e o percurso profissional cruzam-se. Contudo, ser cristão não é uma profissão mas, sobretudo, um modo de entender a vida e de a viver, à maneira de Cristo. Assim, na profissão de professor de EMRC, não se esgota o seu modo de ser cristão, embora seja dele um reflexo.

texto por FEC – Fundação Fé e Cooperação
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Foi há alguns dias que, na espaçosa capela de um colégio, presenciei uma cena que me deu que pensar.
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Celebram-se este ano cem anos do nascimento de Sophia de Mello Breyner, um sinal muito português e universal de talento, sensibilidade e sabedoria.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES