Lisboa |
Festa de Santo António
“Santo António foi verdadeiramente «sal da terra» e «luz do mundo»”
<<
1/
>>
Imagem
O Bispo Auxiliar de Lisboa D. Joaquim Mendes convidou os cristãos a serem como Santo António. Na Missa de dia 13 de junho, o prelado falou também de santidade.

 

“Santo António foi verdadeiramente «sal da terra» e «luz do mundo». Por isso, o sentimos próximo, amigo, familiar, presente e vivo no nosso coração e na nossa vida, a quem estendemos as mãos nos momentos difíceis. Como ele, também nós queremos ser «sal» e «luz». «Sal» com sabor e «luz» que ilumina, que indica aos outros que ter fé, ser cristão, seguir o Senhor torna a nossa vida boa, fecunda, aberta a Deus e aos outros”, referiu o Bispo Auxiliar do Patriarcado, na igreja de Santo António, em Lisboa, no passado dia 13, sublinhando igualmente a santidade: “Santo António não nasceu santo tornou-se santo percorrendo o caminho da fé, que teve início no Batismo, «a porta da fé», um caminho que dura toda a vida”. Na sua homilia na Festa de Santo António, D. Joaquim Mendes sublinhou a ânsia de anúncio que o santo tinha. “A experiência da fé e do amor de Cristo abre o coração à dimensão do mundo. A fé e o encontro com o Senhor e com o seu Evangelho transformam, enchem a nossa vida, enchem o nosso coração, de tal maneira que não o podemos guardar só para nós. Como aconteceu com Santo António, também nós devíamos ser tomados por esta ânsia, por este amor de partilhar com os outros, com todos, a nossa experiência cristã. Desejarmos que os outros conheçam também o Senhor e possam experimentar como Ele é capaz de encher o nosso coração e dar sentido à nossa vida”.

Na tarde do dia 13 de junho, decorreu a Procissão de Santo António, com o cortejo a partir da igreja de Santo António, com o andor do patrono carregado numa viatura dos bombeiros sapadores, que escoltaram a imagem. A procissão foi presidida por D. Joaquim Mendes e percorreu as ruas dos bairros de Alfama e da Sé. “Creio que o de mais precioso e útil podemos levar connosco é o testemunho luminoso de vida cristã, de amor a Deus ao próximo, que Santo António deu com a sua vida. Santo António entregou a sua vida a Deus, para a dar aos outros”, recordou.

foto por Ana Luísa Cunha Alvim
A OPINIÃO DE
Pe. Alexandre Palma
Não aprecio o género. Não só por isso, mas também por isso, nem sequer sou conhecedor da matéria. Mas,...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
A comunicação social vem acompanhando com todo o interesse, quase como se de uma novela se tratasse,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES