Lisboa |
Salir de Matos
Primeira pedra do futuro Centro Pastoral apela à edificação da comunidade
<<
1/
>>
Imagem
Ao celebrar o padroeiro Santo António em dia de Solenidade da Santíssima Trindade, a 15 de junho, os paroquianos de Salir de Matos viram o primeiro passo do projeto do Centro Pastoral, ambicionado há décadas, finalmente concretizado. O pároco, padre Filipe Sousa, durante a procissão pelas ruas da localidade, benzeu a primeira pedra e o espaço envolvente em construção, com apelos à “comunhão alicerçada em Deus”.

 

“Quando nós procurarmos viver e entendermo-nos uns com os outros, com os aborrecimentos, as chatices e os feitios, mas estarmos juntos; quando mais depressa sairmos de nós mesmos, sendo uma comunidade à maneira da Santíssima Trindade, mais depressa também aquela casa se irá construir, perlongando no tempo a comunidade humana”, manifestou o padre Filipe na homilia da missa festiva. Segundo o sacerdote, a autossuficiência é uma ilusão. Um dos “perigos” da atualidade e de todos os tempos é “pensar que somos capazes de fazer tudo sozinhos e não precisarmos dos outros”, porque existem pessoas “bastante complicadas, que nos dão problemas e as quais até não simpatizamos”, acabando por evitar o envolvimento com o próximo e pedir auxílio. “A nossa realização pessoal só se concretiza quando entramos em comunhão uns com os outros, acontece sim, quando estamos unidos e juntos conseguirmos ultrapassar as dificuldades; solitários, sozinhos, autossuficientes, não vamos a lado nenhum”, sublinhou o padre Filipe Sousa, alertando os cristãos “para a necessidade urgente da construção da comunidade, em verdadeira comunhão”.

A bênção da primeira pedra do futuro Centro Pastoral foi o momento mais esperado pela população, que contou com a presença do anterior pároco, padre Eduardo Gonçalves, e dos autarcas locais, cooperadores da obra a edificar. Durante a cerimónia foi assinado um documento pelas entidades responsáveis, comprovativo da realização do acontecimento, devidamente fechado e colocado numa das sapatas da obra, “para conhecimento das gerações futuras”, integrando “um elemento histórico da paróquia de Santo António de Salir de Matos”.

texto e foto por João Polónia
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Isilda Pegado
1. Neste tempo, em que o individualismo parece imperar, apesar da destruição que gera na Sociedade,...
ver [+]

P. Duarte da Cunha
Que todos os homens querem ser felizes não parece ser objecto de discussão entre pessoas sãs. Todos queremos, de facto, ser felizes.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES