Lisboa |
D. João Marcos
«O meu jugo é suave»
<<
1/
>>
Imagem

D. João Marcos é ordenado Bispo este Domingo, dia 23 de novembro, às 16h00, numa celebração na igreja do Mosteiro dos Jerónimos. Membro do presbitério de Lisboa, D. João Marcos era o diretor espiritual do Seminário dos Olivais e do Seminário Redemptoris Mater, e foi nomeado, a 10 de outubro último, pelo Papa Francisco, Bispo Coadjutor de Beja, com direito de sucessão. A entrada solene na diocese alentejana ocorre no dia 30 de novembro, também às 16h00.

 

Brasão de armas

Escudo semi-redondo, cortado. No campo superior, vermelho, o leão de São Marcos em ouro. No inferior, azul, uma cruz, uma estrela de sete pontas no cantão inferior dextro e uma flor‑de-lis no cantão inferior esquerdo, tudo de prata.

O escudo assenta sobre cruz pastoral de ouro, encimada por chapéu eclesiástico de cordão de seis borlas de cada lado, tudo de verde.

Na base do escudo, listel de prata com a legenda em maiúsculas: «O MEU JUGO É SUAVE».

 

Leitura

O leão, que na tradição iconográfica cristã simboliza o evangelista São Marcos, tal como aparece no escudo de São João XXIII que o tomou das armas da cidade de Veneza, alude ao nome do titular; tem asas porque é uma das figuras do tetramorfo que o profeta Ezequiel contemplou na visão do «carro de Deus», em que se manifesta o Filho do Homem (cf. Ez 1), e segura um livro aberto, o Evangelho, com as palavras latinas: «Pax tibi Marce, evangelista meus» («Paz a ti Marcos, meu evangelista»). O fundo vermelho significa o fogo do Espírito e o zelo que, segundo Ef 6, 15, é o calçado próprio de quem anuncia o Evangelho.

A parte inferior do escudo, azul, significa o Universo iluminado pela cruz gloriosa, sinal da vitória de Cristo sobre a morte. A estrela de sete pontas significa a Virgem Maria. O lírio branco é uma alusão a São José, servo fiel e prudente que o Senhor colocou à frente da Sagrada Família de Nazaré, padroeiro da Igreja Universal e da Diocese de Beja.

Resumindo: a parte superior do escudo alude a São João XXIII e a parte inferior tem semelhanças com o escudo de São João Paulo II. São assim homenageados estes dois pastores insignes canonizados neste ano de 2014, e que são tomados como protectores do ministério episcopal do novo bispo.

O lema escolhido, «O meu jugo é suave» (Mt 11, 30), lembra que o amor e a fidelidade de Cristo e do Bispo tornam suave o ministério pastoral. Lembram também a conjugalidade espiritual do Bispo com a Igreja, esposa que ele deve amar, servir e defender.

Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
A canonização de Frei Bartolomeu dos Mártires, da Ordem dos Pregadores (1514-1590), constitui um motivo...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Nestes últimos tempos, duas notícias chocaram particularmente os portugueses: o nascimento do Rodrigo,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES