Especiais |
Nova Terra, a livraria e paramentaria do Patriarcado de Lisboa
Um espaço para todos, sonhado por um cardeal
<<
1/
>>
Imagem

Prestes a entrar no 15º ano de existência, a livraria Nova Terra, no Patriarcado de Lisboa, foi o concretizar de um sonho do então Cardeal-Patriarca. “O senhor D. José Policarpo queria que a diocese tivesse uma livraria de referência”, observa Teresa Novo, gerente, desde o primeiro dia, deste espaço ‘escondido’ no Mosteiro de São Vicente de Fora.

 

É uma livraria. É também uma paramentaria. É ainda um local onde se pode encontrar uma grande variedade de artigos religiosos. Para oferecer, para guardar, para recordar ou simplesmente para assinalar um momento importante na vida de alguém. Além dos catecismos e dos manuais da disciplina de EMRC – Educação Moral e Religiosa Católica, a Nova Terra tem também disponível para o público tudo o que seja livros de temática católica, CD’s e DVD’s, pagelas, terços, imagens, velas, medalhas, molduras, diplomas de sacramentos, os retratos oficiais do Papa Francisco e do atual Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, cálices, patenas, vestes litúrgicas, missais, partículas, vinho de Missa, círios, crucifixos… “Tudo quanto se relacione com os sacramentos é possível encontrar na Nova Terra! Por exemplo, temos todo o tipo de lembranças para dar ao menino que se batiza, que faz a primeira comunhão ou se crisma, mas também para os casais que celebram aniversário de casamento”, destaca ao Jornal VOZ DA VERDADE a gerente da Nova Terra, Teresa Novo. “Procuramos estar ao serviço da Igreja, das paróquias, dos párocos, de todas as pessoas”, frisa esta responsável.

Em tempo de Natal, os presépios são uma das principais apostas da Nova Terra. “É variada a oferta”, refere Teresa Novo, salientando que os presépios disponíveis são feitos “em vários materiais e com preços para todas as bolsas”: desde os tradicionais, até aos feitos de barro, de gesso, de lã, de vidro, de madeira, de papel, com luzes, sem luzes, com o Menino Jesus deitado ou ao colo de Maria.

 

Uma livraria de referência

A livraria Nova Terra foi inaugurada em dezembro do ano 2000, por desejo do então Cardeal-Patriarca de Lisboa D. José Policarpo. ‘Escondida’ nas traseiras do Mosteiro de São Vicente de Fora, o acesso à Nova Terra é feito através do Campo de Santa Clara, pelo local onde está situada a Cúria Diocesana do Patriarcado de Lisboa. Não tem, por isso, entrada direta pela rua, o que leva a que muitos desconheçam a existência desta loja. “Temos a vantagem, por outro lado, de que quem nos visita, vem para comprar”, observa Teresa Novo que é, desde a primeira hora, gerente deste espaço, por convite do Cardeal Policarpo, e que durante muito tempo contou com a colaboração de João da Silva, falecido há poucos anos.

Antes de 1998, quando o Patriarcado de Lisboa funcionava no Campo Mártires da Pátria, “a diocese tinha apenas uma sala com venda de livros”, principalmente da catequese. “Quando em outubro de 1998 a Cúria Diocesana veio para o local onde ainda hoje se encontra, no Mosteiro de São Vicente de Fora, começámos por ter um espaço no 2º piso e só mais tarde abriu a loja onde estamos atualmente, no rés-do-chão”, conta Teresa Novo. “O desejo do senhor Patriarca, nas palavras dele, era ‘ter uma livraria de referência’. Comecei então a estudar e a inteirar-me de acordo com as visitas que os vendedores das editoras me faziam, e comecei a aprender a ler ‘rapidamente’ as contracapas e as introduções dos livros e a perceber o que era importante e o que não valia muito a pena. Fui percebendo que a referência do senhor Patriarca não era a Nova Terra ser um tipo de biblioteca ou algo do género a que se viesse fazer consultas. Foram conceitos que na minha cabeça se foram aclarando”, expõe ainda a gerente. A ajuda que foi tendo, segundo revela, sobretudo de párocos e outros sacerdotes, chegou não pelo seu pedido de auxílio, mas pelas críticas em relação ao que havia para venda. “Por um lado, diziam-me: ‘Não deixe de ter este ou aquele livro’; por outro, lembravam: ‘Olhe que este autor não interessa a ninguém…’”. Foram alertas que Teresa foi aprendendo a escutar, por forma a levar a diante o sonho do Cardeal Policarpo.

 

Um espaço para os sacerdotes

A Nova Terra é também uma loja muito procurada pelos padres. Afinal, bem perto do centro de Lisboa, e sem necessidade de irem a Fátima ou a Roma, os sacerdotes encontram neste espaço casulas, estolas, os chamados ‘kits’ para celebrações – uma mala com tudo o que é inerente a uma celebração, desde a estola, o cálice, o recipiente para óleos ou as velas – e até camisas com cabeção. “As camisas para os padres eram mandadas vir sobretudo de Roma. Temos costureiras em Portugal e não havia razão nenhuma para não termos disponíveis boas camisas de origem nacional”, refere Teresa Novo, salientando “as cores suaves, como o azul ou cinzento claro” das ‘suas’ camisas com cabeção.

A paramentaria não foi ‘inaugurada’ aquando da abertura da livraria, no ano 2000. Teresa Novo explica que também a paramentaria foi um pedido de D. José Policarpo. “O senhor Patriarca queria muito que houvesse uma paramentaria, porque havia muito poucas em Lisboa. Quando a livraria estava já organizada, começámos a investir no novo espaço”. Esta gerente, segundo conta, tinha na cabeça um determinado tipo de mobiliário para esta futura ‘valência’ da Nova Terra. “Sabíamos que a paramentaria não podia ter mobiliário como o da livraria. Teria de ter um cunho mais tradicional, mais vetusto, mais solene”. Contudo, refere, não era possível investir logo na aquisição desse mobiliário de antiquário. Foi então, cerca de 2-3 anos depois da abertura da livraria, que o Patriarcado de Lisboa recebeu doações de “móveis muito bons, a necessitar de algum restauro”, e que ‘preencheram’ totalmente a nova paramentaria da diocese.

A Nova Terra dispõe de paramentos “de todas as cores e com diferentes preços”. Além dos paramentos por catálogo, vindos sobretudo da Holanda, da Bélgica, de Espanha e de Itália, a paramentaria Nova Terra conta ainda com a colaboração de uma tecelã portuguesa de tear manual, Isabel Bordaleiro (www.isabelbordaleiro.com), que “faz peças únicas para os sacerdotes”. Naturalmente, “por serem feitas à mão, são casulas também um pouco mais caras”. Teresa Novo acredita que a paramentaria do Patriarcado “é hoje uma referência nacional para os padres de todos os país”.

 

Reconhecimento

Amiga de D. José Policarpo durante mais de 40 anos – Teresa Novo pertencia a uma equipa de casais que era assistida pelo antigo Cardeal-Patriarca desde a sua chegada de Roma, em 1968 –, esta gerente tem como principal recordação destes quase 15 anos um sorriso do grande impulsionador da Nova Terra. “A recordação que eu guardo foi ver o agrado com que o senhor D. José Policarpo me falava da livraria e da paramentaria. É uma recordação muito cara para mim, em especial o ar de satisfação e de ternura aquando da visita que aqui realizou quando todas as obras com a paramentaria tinham terminado. Foi gratificante e fica cá”, assume Teresa Novo.

texto por Diogo Paiva Brandão; fotos por Filipe Teixeira
Na Tua Palavra
“Todos” significa “todos”!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Duarte da Cunha
O que interessa hoje em dia ao cidadão europeu? Faço esta pergunta não por um simples exercício intelectual,...
ver [+]

Isilda Pegado
1 – A “Caminhada pela Vida” nasceu no âmbito das campanhas do referendo do aborto de 1998 e 2007.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES