Lisboa |
Dia da Igreja Diocesana
Passar da escuta à missão
<<
1/
>>
Imagem
Video

Em plena caminhada sinodal e no ano dedicado à Vida Consagrada, o Cardeal-Patriarca de Lisboa apelou aos religiosos que estão presentes na diocese para manterem presentes, nas suas vidas, o “som” de Deus para a “harmonia geral da missão da Igreja”. D. Manuel Clemente destacou ainda três circunstâncias que vão marcar o próximo ano pastoral.

 

“Um carisma de especial consagração e missão é sempre um modo de Cristo falar com oportunidade e destaque. Peço-vos muito que mantenhais esse som reconhecido e próprio, na harmonia geral da missão da Igreja, hoje como ontem – aqui, mais além, ou de novo aqui”, pediu D. Manuel Clemente aos consagrados, presentes no Dia da Igreja Diocesana, no passado Domingo, 31 de maio, nos Salesianos de Lisboa. No encontro que teve como tema ‘Consagrados numa Igreja em missão, rumo ao Sínodo Diocesano’, o Cardeal-Patriarca de Lisboa lembrou que as palavras escutadas no Evangelho de Mateus – ‘Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo...’ – são “tudo o que importa” para a ativação da missionariedade na Igreja. “Nestas palavras está tudo o que importa, para que a Igreja seja Igreja e a missão seja missão, como há-de acontecer cada vez mais entre nós: A ordem de ir (ou sair); a participação desse modo na vida trinitária de Deus (em que Pai e Filho de si mesmo saem para se encontrarem no Espírito); e a presença de Cristo entre nós, como Palavra recebida e ativa. Oiçamo-la sempre e atentamente, para cada vez mais a transmitirmos. E assim mesmo se concretizará aquele «sonho missionário de chegar a todos»”.

 

Levar a todos a vida de Cristo

A celebração do Dia da Igreja Diocesana, no Domingo da Santíssima Trindade, foi também uma oportunidade para D. Manuel Clemente referir o trabalho sinodal que se vai experienciando na diocese e apelar à escuta da Palavra de Deus. “No caminho sinodal que vamos seguindo em Lisboa, tudo se traduz em comunicação e modo certo de a fazer – o que é muito bom sinal de coincidência com Deus e os seus propósitos. Na verdade, se, trimestre após trimestre, milhares de diocesanos – ordenados, consagrados e leigos – vamos rezando, refletindo e ensaiando os capítulos sucessivos da exortação apostólica ‘Evangelii Gaudium’, outro objetivo não temos senão esse mesmo de encontrar o melhor modo de levar a todos e a cada um o que nós próprios recebemos, isto é, a vida de Cristo, Verbo incarnado, Deus comunicado, Palavra divina que humana se fez e tão concretamente disse, viva e eficazmente disse. Ou seja, para chegarmos àquela “terra” inteira cujos confins estão por vezes bem perto, nas várias periferias existenciais que importa atingir e cristãmente preencher. Assim nos tornaremos «discípulos missionários» – palavras redundantes, pois ouvir a Cristo é ecoá-l’O também. (…) Quem realmente O ouve, imediatamente O comunica, passando da escuta à missão – e sem deixar de escutar, para missionar ainda mais”, referiu o Cardeal-Patriarca, na celebração de encerramento, que decorreu na igreja dos Prazeres, dirigindo-se, em particular, às comunidades familiares, paroquiais e consagradas.

 

Novo ano pastoral

O Dia da Igreja Diocesana, que foi organizado pelo Secretariado de Ação Pastoral do Patriarcado de Lisboa, contou com a presença de aproximadamente meio milhar de pessoas, sobretudo religiosos. O encontro que começou pelas 10h30 com a oração da manhã e com o painel ‘Carismas em missão’ (ver rodapé), alternados com momentos musicais, contou ainda, nos espaços contíguos ao pavilhão desportivo, com inúmeras bancas, apresentando as diferentes congregações e institutos seculares que desenvolvem o seu trabalho na diocese.

A partilha de experiências e a vontade de saber mais sobre os carismas dos fundadores e a história das instituições religiosas foram um dos momentos altos deste dia, que também contou com a apresentação do programa e calendário para o ano pastoral 2015-16. O Cardeal-Patriarca de Lisboa, fazendo referência ao texto introdutório do documento que apresenta as datas das diferentes atividades para o próximo ano pastoral, destacou dois pontos: “A missão como propósito”, capaz de realizar “aquela ‘conversão missionária’ das comunidades que o Papa Francisco tanto urge” e a “sinodalidade como método”, forma de “realizar a missão, pois só em comum somos e propomos – como Jesus com o Pai, no mesmo Espírito”.

Durante a apresentação do calendário, que contém as diversas atividades propostas pelos departamentos e sectores da Cúria Diocesana, D. Manuel Clemente destacou três momentos que vão marcar o próximo ano pastoral na diocese: o Sínodo dos Bispos sobre a Família, “com as conclusões a que chegar e o seguimento que o Papa Francisco lhe dará, sublinhando certamente a realidade eclesial como ‘família de famílias’”; o Jubileu da Misericórdia, a partir de dezembro e “em boa hora proclamado pelo Santo Padre”, que “mais fortemente viveremos e partilharemos o sentimento principal de Deus a nosso favor, na constante vontade de nos retomar e salvar, com um amor comprovado que a todos chega e a ninguém olvida”; e a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, entre janeiro e fevereiro de 2016, a “‘Mãe de Misericórdia’, que há quase um século nos soergueu em esperança viva e duradoura, que tantas vidas restaurou e restaura”.

 

_________________


Carismas em Missão - Testemunhos

O Dia da Igreja Diocesana 2015, dedicado ao tema ‘Consagrados numa Igreja em missão, rumo ao Sínodo Diocesano’, contou com o testemunho de um painel de cinco convidados, moderados pelo padre Artur Teixeira, superior provincial dos Missionários do Coração de Maria – Claretianos, que concluiu que “o exemplo da própria vida é a melhor recomendação dos institutos e o convite para abraçar a vida consagrada”. 

 

“Tinha medo de perder o emprego. Passado uns dias, fui a uma Missa e escutei o Evangelho de São Lucas, em que diz: ‘Aquele que deitar as mãos ao arado e olhar para trás, não é digno de mim’. Senti uma força muito grande do Senhor e, passados quase 34 anos, continuo a sentir que Ele continua comigo, a sustentar os meus passos.”

Irmã Maria do Sameiro Magalhães Martins, superiora provincial das Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus

 

“Um grupo de jovens, com uma vivência espiritual intensa, promoveu um ‘ir ao encontro’, que decorreu num bairro de lata onde era perigosíssimo passar. Hoje estabeleceu-se uma harmonia. Qual a receita? A mesma de sempre... é a ligação a Jesus, alimentada pela vida espiritual. As grandes obras da Igreja são proporcionais à intensidade e ao ardor de vida espiritual que ali se estabelece.”

Padre Rui Valério, Missionário Monfortino, pároco da Póvoa de Santo Adrião

 

“A consagração não nos afasta do mundo mas insere-nos mais profundamente nele, dando-nos um especial sentido de responsabilidade pelo seu evoluir histórico. É um projeto de vida ao serviço da humanidade tendo como modelo Jesus Cristo e no horizonte a santificação da família.”

Nazaré Soares, Instituto Secular das Cooperadoras da Família

 

“Estive vários meses a viajar sozinho, pela América do Sul, com uma mochila às costas. Pus-me a pensar na vida e surgiu a pergunta sobre a minha vocação... Atualmente, o trabalho com a juventude ajuda-me a viver a minha consagração.” 

Padre Diogo Mendes Barata, Instituto Secular dos Padres de Schoenstatt

 

“A Alexandrina (nome fictício), jovem mãe, africana, chegada da Guiné para tratamento foi acolhida na paróquia da Buraca, deixando na sua terra natal os seus três filhos. Nas nossas celebrações, ela declarava que nunca se encontrou tão perto dos filhos como quando encontrou o Senhor, no momento da oração.”

Padre Lucílio Galvão, Missionário Redentorista, pároco da Buraca

  

_________________


‘Ser Igreja, ser na Igreja’

O Cardeal-Patriarca de Lisboa apresentou o livro ‘Ser Igreja, ser na Igreja – Do ser comunhão ao agir vocacional’, da autoria do padre José Miguel Barata Pereira, reitor do Seminário dos Olivais. Durante a apresentação, D. Manuel Clemente destacou a “importância e oportunidade” desta publicação para “mostrar Cristo presente”, tal como impele o programa da caminhada sinodal da diocese.

Informações: www.paulus.pt

 

_________________


Programa e calendário diocesano 2015-16

O programa e calendário diocesano para o próximo ano pastoral pode ser adquirido, em formato papel, na Livraria Nova Terra, no Patriarcado de Lisboa, ou descarregado através do link: http://goo.gl/gGhg2P#mce_temp_url#.

texto e fotos por Filipe Teixeira
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Isilda Pegado
1. Neste tempo, em que o individualismo parece imperar, apesar da destruição que gera na Sociedade,...
ver [+]

P. Duarte da Cunha
Que todos os homens querem ser felizes não parece ser objecto de discussão entre pessoas sãs. Todos queremos, de facto, ser felizes.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES