Lisboa |
189ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa
“A Igreja nunca deixará de defender a vida como bem absoluto para o homem”
<<
1/
>>
Imagem

Os Bispos portugueses manifestaram a “total rejeição da eutanásia”. O comunicado final da 189ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que decorreu em Fátima, de 4 a 7 de abril, apelou à intensificação da “rede de cuidados paliativos”.

 

Ao longo de quatro dias, o Episcopado português esteve reunido em Fátima, e refletiu sobre a eutanásia, a partir da recente nota pastoral do Conselho Permanente e com a presença de alguns peritos na área do direito e da medicina. “A Assembleia reafirmou a total rejeição da eutanásia, que elimina a vida de uma pessoa, matando-a. A Igreja nunca deixará de defender a vida como bem absoluto para o homem, rejeitando todas as formas de cultura de morte. A Assembleia apelou a que se promova cada vez mais uma efetiva proximidade junto dos que mais sofrem e que se intensifique a rede de cuidados paliativos como direito para todos, os quais servem para ajudar a viver e fomentar a esperança”, destaca o comunicado final.

A Assembleia Plenária da CEP “solidarizou-se com todos os refugiados, lamentando que a morte continue a acontecer em vários lugares”. Os Bispos lamentam “igualmente a ineficácia da comunidade europeia perante o drama dos refugiados, esperando que se encontrem rapidamente soluções que restituam um estatuto de dignidade a quem sofre em condições indignas” e manifesta que “a Igreja continuará a apoiar de um modo muito especial, através das suas instituições, aqueles que permanecem nos países atingidos por conflitos”.

 

Matrimónio, Ucrânia e Fátima

A nota final da reunião revela que os Bispos refletiram sobre os desafios da reforma processual da declaração de nulidade do matrimónio e, em particular, sobre o processo «mais breve». “Sendo uma das grandes novidades do «Motu Proprio», esta proposta do Papa Francisco, além de procurar a celeridade e a simplificação dos processos, protege a verdade do vínculo matrimonial e sua indissolubilidade”, salientam os prelados, lembrando depois o pedido do Papa Francisco para solicitar “a todas as comunidades cristãs e à sociedade em geral apoio aos habitantes da Ucrânia, residentes nos dois lados de zona de guerra”. “Os ofertórios do próximo dia 24 de abril destinam-se a apoiar as graves e urgentes necessidades destas populações”, recordam.

Sobre o Centenário das Aparições, “a Assembleia acolheu a sugestão do Santuário quanto ao modo de envolver todas as Dioceses no acolhimento da Imagem Peregrina na celebração do próximo dia 13 de maio, que incluirá a consagração das Dioceses de Portugal a Nossa Senhora de Fátima, a ser proferida pelo Presidente da CEP”, D. Manuel Clemente.

foto por Agência Ecclesia
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Erram os que pensam que o mistério da paixão e morte de Cristo é algo passado e que, portanto, não lhes diz respeito.
ver [+]

P. Nuno Amador
Quando as mulheres foram ao sepulcro de madrugada, o primeiro sinal que encontraram foi o túmulo vazio.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES