Lisboa |
50º Dia Mundial das Comunicações Sociais
Comunicação peca por “ausência de misericórdia”
<<
1/
>>
Imagem
O presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais lamentou a “ausência de misericórdia” que marca os media e alimenta a cultura de exclusão na sociedade.

 

Na apresentação do 50.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, que decorreu no passado dia 5 de maio, no Museu de São Roque, em Lisboa, D. Pio Alves considerou fundamental que os órgãos de comunicação social saibam “de que lado querem estar”. Do lado “da inútil sobrevivência a prazo, a qualquer preço, ou da construção de pontes que possibilitem a união da humanidade na sua rica diversidade?”, questionou. Debruçando-se sobre a Mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, intitulada ‘Comunicação e Misericórdia, um encontro fecundo’, o prelado admitiu que a junção destas duas palavras, comunicação e misericórdia, poderá causar estranheza, sobretudo “nestes tempos tão complicados”. No entanto, prosseguiu D. Pio Alves, a mensagem de Francisco também frisa que “num mundo dividido, fragmentado, polarizado”, só uma comunicação orientada pela misericórdia conseguirá trazer a necessária “proximidade” entre as pessoas.

A apresentação contou com a participação de várias dezenas de participantes, entre bispos, jornalistas e colaboradores da Igreja Católica, para além do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Pedro Santana Lopes, para quem a mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações Sociais oferece um “bom manual de conduta” para as pessoas e instituições. “É bom que reflitamos na força intrínseca das boas notícias”, sustentou.

A iniciativa ficou ainda marcada pela publicação de um livro que reúne todas as 50 mensagens dos Papas para o Dia Mundial das Comunicações Sociais e pelo lançamento do ‘Prémio de Jornalismo D. Manuel Falcão’. De forma honorífica, este prémio foi atribuído pelo Secretariado Nacional das Comunicações Sociais a dois antigos responsáveis deste organismo, os cónegos António Rego e João Aguiar.

A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
D. António de Sousa Braga, dehoniano, Bispo emérito de Angra, celebrou 50 anos de Sacerdócio a 17 de...
ver [+]

José Luís Nunes Martins
Deus quer que eu seja livre e escolha bem, que escolha o bem. Deus não me impõe um projeto de vida que devo cumprir sob pena de ser infeliz.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES