Na Tua Palavra |
D. Nuno Brás
Que será?
<<
1/
>>
Imagem

É cada vez maior o número de personalidades que, em público, se confessam crentes em Deus. Habitualmente recordam como na sua infância e juventude foram à catequese, receberam os sacramentos da iniciação cristã e viveram com alguma intensidade a vida da fé, integrados num grupo de jovens, num movimento ou comunidade paroquial. Mas, agora que são adultos e figuras públicas, preferem viver individualmente a fé. Vivem com um “Deus sem instituições”, dizem. Não precisam da Igreja e dos outros cristãos. Bastam-se a si mesmos.

Claro que fico contente por todos aqueles que se afirmam publicamente crentes. Mas não posso deixar de me interrogar sobre qual a realidade que os afastou da Igreja, da comunidade da fé. Aliás, penso-o quase sempre quando celebro o sacramento do crisma. À medida que confirmo todos aqueles jovens que se apresentam, cheios de sinceridade, para receber o sacramento da plenitude do Espírito Santo, dou comigo também a pensar sobre quantos deles continuarão com uma vida cristã pelos meses e anos que se seguem…

Sei bem que muitos regressarão se, mais tarde, encontrarem na universidade quem lhes mostre que ser cristão não é contra a ciência ou contra a razão, bem pelo contrário; ou que muitas das ideias feitas que no secundário lhes ensinaram em história, ciências ou filosofia (ou até em “moral”…), e que viram espalhadas e confirmadas pela comunicação social, são puras invenções de quem não se dá ao trabalho de procurar a Verdade. Ou que regressarão quando tiverem filhos e os quiserem também educar na fé. Ou ainda mais tarde, quando os filhos saírem de casa e se depararem com uma vida mais vazia e perto do fim. Ou quando, simplesmente, um qualquer acontecimento, feliz ou cheio de sofrimento, os interrogar acerca da verdade do Deus connosco.

Mas não posso deixar de me entristecer por todo aquele tempo de vida de fé que perderam – e que nós e as comunidades cristãs perdemos por não os termos connosco a professar e a procurar a fé.

Que será que acontece (ou que não acontece) nas nossas comunidades para, no mínimo, todos estes interregnos de fé, senão mesmo abandonos? Que falta ao nosso testemunho de vida no Espírito?

foto por João Viegas

A OPINIÃO DE
Pe. Alexandre Palma
Quais serão as realizações da Igreja em Portugal, fruto do seu empenho e compromisso, minimamente nacionais?...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
O príncipe Harry e a esposa, Meghan Markle, declararam que não pretendem ter mais do que dois filhos,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES