Editorial |
P. Nuno Rosário Fernandes
Tudo pode ser caridade
<<
1/
>>
Imagem
“Seguir o Senhor é vocação de «todos» os batizados, tomando a cruz de cada dia, isto é, fazendo de cada momento uma entrega a Deus e aos outros; e dedicando-se aos outros a partir de Deus, como o fez Jesus e o seu Espírito em nós o perfará agora. Só assim “ganharemos o mundo inteiro”, quando tudo for caridade, essa mesma que nunca acaba em profundidade e extensão. A eternidade é do tamanho da entrega. Do tamanho da cruz”. Retomo aqui as palavras de D. Manuel Clemente, Cardeal-Patriarca de Lisboa, na homilia do passado Domingo, na celebração das ordenações de padres e diáconos permanentes, no Mosteiro dos Jerónimos. De facto, a proposta de seguir o Senhor é proposta feita a todos os baptizados, e não apenas a alguns, que se possam considerar como eleitos ou escolhidos. É convite deixado a todos, mas que implica, também, fazer de cada momento “uma entrega aos outros”. Trata-se de uma entrega diária, que não pode ser assumida apenas como uma atitude generosa de um momento específico, a quem dou apenas de mim, mas deve ser parte integrante da vida de cada um, na situação concreta de vida, dando Deus. Isto é, não se trata de dar-me a mim próprio, mas a partir de mim dar Deus ao outro.

Se eu preciso, neste momento, acompanhar alguém que me é próximo, pela sua situação de fragilidade em que se encontra, não o devo fazer apenas porque sim, ou porque me fica mal se não o fizer, ou porque o afecto por essa pessoa me leva a isso. O momento que sou chamado a viver é oportunidade de entrega a Deus, de viver a missão, de abraçar a cruz, dando Deus pela minha vida. A missão, a vocação baptismal assim vivida ganha um novo sentido. Não são apenas os sacerdotes, missionários, religiosos ou consagrados os chamados a dedicarem-se aos outros a partir de Deus. A consagração baptismal compromete-nos a todos, e de modos muito diferentes. Por isso mesmo, é importante ter bem presente, como afirma D. Manuel Clemente, que tudo pode ser caridade.

 

P. Nuno Rosário Fernandes, diretor

p.nunorfernandes@patriarcado-lisboa.pt

Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Isilda Pegado
1. Termina agora o ano judicial e milhares de casos de crianças, pais e mães envolvidos em longas contendas,...
ver [+]

P. Duarte da Cunha
Os nossos olhos e tudo o que lhes está associado no cérebro tornam possível essa coisa maravilhosa que é ver.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES