Vocações |
Pastoral das Vocações
O permanente cuidado das famílias e comunidades cristãs na responsabilidade de alimentar a fé
<<
1/
>>
Imagem

Depois das férias, e com o novo ano pastoral ainda em fase de preparação, relembramos aqui alguns conteúdos catequéticos de cariz vocacional, que poderão guiar o permanente cuidado das famílias e comunidades cristãs na responsabilidade de alimentar a fé de modo que esta seja sempre relação e resposta a Deus e não se desvirtue numa mera ideologia moral ou até numa religiosidade natural de tipo pagão.

  • Promoção de um ambiente vocacional nas famílias e nos fiéis.

·       Ensinar o hábito de escutar Deus e alimentar-se de Deus.

·       Criar o hábito de perguntar, no concreto da vida, pela vontade de Deus.

·       Enraizar o hábito de decidir as coisas com e a partir de Deus.

·       Suscitar o hábito de pedir perdão (e confessar-se) por não decidir segundo Deus.

·       Promover o hábito de rezar pelas vocações.

·       Tornar natural o hábito de falar das vocações.

·       Valorizar a apresentação das vocações como tesouro para a Igreja e para o mundo.

·       Acentuar a apresentação positiva das vocações nos seus aspectos de encanto e beleza.

·       Criar o hábito de ver/escutar, ajuizar/discernir e responder/agir em chave vocacional.


  • Atenção para com as vocações.

·       Estar atento aos adolescentes e jovens, no concreto.

·       Ter com eles alguma relação personalizada.

·       Enquadrar a descoberta dos afectos e das relações na pergunta pelo projecto de Deus.

·       Fazer desafios diferenciados e pessoais (evitando convites massificados).

·       Propor claramente a questão vocacional concreta a dada altura.

·       Convidar a uma experiência de encontro/grupo vocacional.

 

  • Apresentação das vocações.

Na óptica do amor:

·       Amor filial de Jesus: comprometer a vida no seguimento e missão de Jesus envolvidos nas realidades do mundo, reconduzindo a humanidade à relação com Deus, como filhos no Filho – leigos (consagrados ou não).

·       Amor nupcial de Jesus com a Igreja: comprometer a vida numa aliança matrimonial para levar a todos a santidade, a fecundidade e a perenidade do amor de Deus – matrimónio.

·       Amor sacerdotal de Jesus, vivendo in persona Christi: consagrar a vida, sendo presença viva da entrega de Cristo na Cruz, para oferecer as graças da redenção que salvam o mundo – sacerdócio.

·       Amor radical de Jesus, configurando-se com Ele: consagrar a vida, configurando-se com Jesus, para anunciar (antecipando) a comunhão fraterna e a totalidade do Reino – vida religiosa (masculina e feminina, apostólica (e missionária) e monástica).

·       Amor esponsal a Jesus, desposando-O: consagrar a vida para estender ao mundo a fecundidade espiritual e total do amor virginal, vivido como esposa com o Esposo – virgens (leigas).           

 

Na óptica do carisma e missão:

Vida laical

·       Vocação sobrenatural: ser sinal consciente do amor-providência de Deus.

·       Carisma: construção da comunidade e testemunho ousado.

·       Missão: transformação evangélica do mundo.

 

Matrimónio

·       Vocação sobrenatural: ser sacramento do amor-aliança de Deus.

·       Carisma: vida em casal e serviço à vida.

·       Missão: construção da família como Igreja doméstica.

 

Celibato

·       Vocação sobrenatural: ser sinal do amor-eternidade de Deus.

·       Carisma: coração indiviso e amor universal.

·       Missão: anúncio do absoluto de Deus.

 

Ministério ordenado

·       Vocação sobrenatural: ser sacramento do amor-redenção de Deus.

·       Carisma: serviço da comunhão e da autoridade sacramental.

·       Missão: ensino, santificação e condução pastoral dos cristãos.

 

Vida consagrada

·       Vocação sobrenatural: ser sinal do amor-caridade de Deus.

·       Carisma: perfeição na caridade e vida fraterna.

·       Missão: anúncio vivo da felicidade do Céu.

 

Reconhecimento de alguns traços de uma possível vocação à vida consagrada ou ao sacerdócio.

·       Personalidade equilibrada (de acordo com a idade; diferente de “ser certinho”)

·       Sentido e apelo de Deus (de acordo com a idade)

·       Delicadeza de consciência e capacidade de escuta (de acordo com a idade)

·       Generosidade e solidariedade (de acordo com a idade)

·       Integração com os seus pares

·       Liderança discreta          

Pastoral das Vocações
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Isilda Pegado
1. Neste tempo, em que o individualismo parece imperar, apesar da destruição que gera na Sociedade,...
ver [+]

P. Duarte da Cunha
Que todos os homens querem ser felizes não parece ser objecto de discussão entre pessoas sãs. Todos queremos, de facto, ser felizes.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES