Lisboa |
Comissão de Proteção de Menores do Patriarcado de Lisboa
Prevenção e superação
<<
1/
>>
Imagem
Video

O Bispo Auxiliar de Lisboa D. Américo Aguiar, que vai coordenar a recém-criada Comissão de Proteção de Menores do Patriarcado, garante que as prioridades da nova estrutura são “a prevenção” e a “superação”.

“Queremos fazer duas coisas que o senhor Cardeal-Patriarca nos pediu e que são eco daquilo que o Papa Francisco também transmitiu aos presidentes das Conferências Episcopais de todo mundo, que é a prevenção – a primeira prioridade é a prevenção, transversal a toda a sociedade – e também a superação, ou seja acolhermos os casos que porventura surjam e sermos capazes, em estreita colaboração com as autoridades policiais e judiciais, de colaborarmos de maneira a que as vítimas sejam recuperadas e respeitadas, e aqueles que cometeram os crimes sejam devidamente punidos e também devidamente acolhidos naquilo que foi porventura a sua fragilidade”, explicou o coordenar da Comissão de Proteção de Menores do Patriarcado de Lisboa, num vídeo publicado a 12 de abril, dia em que a comissão reuniu pela primeira vez e em que a diocese deu a conhecer os nomes da nova estrutura: D. Américo Manuel Alves Aguiar (coordenador), cónego Álvaro Ferreira Bizarro (ecónomo diocesano), Francisco Maria Correia de Oliveira Pereira (ex-diretor nacional da PSP), José Adriano Machado Souto de Moura (ex-procurador-geral da República), José Alberto Campos Braz (ex-inspetor da Polícia Judiciária), Pedro Luís de Assis Pacheco Strecht Ribeiro (peudo-psiquiatra), Rute Sandra Guerreiro Agulhas (psicóloga), Teresa Isabel de Almeida Figueiredo Canotilho (direção da Renascença), Vítor Viegas Cotovio (psiquiatra). Segundo D. Américo, a comissão vai “acolher esta problemática tão dolorosa para todos nós” e é constituída “por profissionais de primeira referência das mais diversas áreas”. “Temos todos plena consciência que é um desafio enorme que nos é colocado. Estamos muito gratos a estes profissionais de primeira referência, em todas estas áreas”, acrescentou o coordenador da comissão.

No decreto em que revelou os membros da comissão, o Cardeal-Patriarca explicou também os objetivos da nova estrutura. “As comunidades e instituições católicas da Diocese, como as da Igreja em geral, devem ser espaços de convivência feliz e segura para todos, especialmente para os menores e os mais frágeis. Para colaborar neste sentido, prevenindo e superando tudo o que o contrarie, crio no Patriarcado de Lisboa uma Comissão para a Proteção de Menores, composta por pessoas com experiência nas áreas da psicologia, psiquiatria, justiça civil e canónica e comunicação social. A Comissão seguirá a legislação civil e canónica, bem como as orientações da Santa Sé e da Conferência Episcopal Portuguesa”, revela o documento, assinado por D. Manuel Clemente.

Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Na semana passada li uma entrevista com um candidato a deputado (cabeça-de-lista) pelo circulo eleitoral do Porto.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Com “missão nas férias” não quero propor programas de férias missionárias, nem dizer que a missão está de férias.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES