Liturgia |
Os Padres da Igreja ao ritmo da Liturgia
«Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo»
<<
1/
>>
Imagem

«Digno é o Cordeiro que foi imolado de receber o poder e a riqueza, a sabedoria e a força, a honra, a glória e o louvor». E ouvi todas as criaturas que há no céu, na terra, debaixo da terra e no mar, e o universo inteiro, exclamarem: «Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro o louvor e a honra, a glória e o poder pelos séculos dos séculos». Os quatro Seres Vivos diziam: «Amen!»; e os Anciãos prostraram-se em adoração. (Ap. 5, 12-14)

 

Santo Agostinho, doutor da Igreja, no séc. V, como bispo de Hipona, no Sermão 229 P, 1-4, no sábado da Oitava da Páscoa, pregou:

Os acontecimentos que se seguiram à Ressurreição de Jesus lêem-se hoje segundo o relato do evangelho de João. Entre as coisas lidas encontram-se as perguntas feitas pelo Senhor a Pedro sobre se O amava mais que os outros. Vemos que em Pedro se nos insinua a pedra. O nome deste discípulo vem de pedra como o de cristão vem de Cristo. Quis recordar-vos estas coisas para vos indicar que em Pedro há que reconhecer a Igreja. Com efeito Cristo edificou a sua Igreja não sobre um homem, mas sobre a confissão de Pedro. Tu és Cristo. O Filho de Deus vivo: eis aqui a pedra, eis aqui o cimento, eis aqui onde será edificada a Igreja que as forças do inferno não vencem. Que são as portas do inferno senão a soberba dos hereges?

Este Pedro, fazendo as vezes de algo tão grande como que vos indiquei, depois da Ressurreição é interrogado pelo Senhor, como acaba de ser lido. A pergunta foi esta: Simão, filho de João, tu amas-me mais do que estes? Pergunta aquele que tudo sabe. O Senhor não pretendia saber nada que não soubesse, mas buscava a confissão de Pedro. Pergunta-lhe pela primeira vez e Pedro responde: Tu sabes que Te amo. E Ele: Apascenta as minhas ovelhas. Pergunta-lhe pela segunda vez como se não bastasse a primeira: Simão, filho de João, tu amas-me? «Amo-Te, Senhor; amo-te, Senhor», volto a repeti-lo. E de novo escuta isto: Apascenta os meus cordeiros. E aquele que sabe tudo de antemão interroga-o: Amas-Me? Pedro entristeceu-se, como se, ao repetir-lhe as perguntas, estivesse a sugerir que duvidava dele, e disse: Senhor, Tu sabes tudo; bem sabes que eu Te amo. E Ele: Apascenta as minhas ovelhas. Três vezes confessou o amor a quem o temor havia negado outras três vezes. Eis o motivo pelo qual o Senhor perguntou três vezes; para que a tríplice confissão apagasse a tríplice negação.

Este é Pedro, que amava e negava ao mesmo tempo; negava por debilidade humana e amava por graça divina. Na negação, Pedro descobriu-se a si mesmo. Mas o médico auscultava a artéria do seu coração. No seu interior estava doente. Por isso foi interrogado pela criada, e cumpriu-se o que o médico predissera, isto é, que antes de o galo cantar, aquele servo iria negar o Senhor. Que está escrito no evangelho que sucedeu depois da negação? O Senhor olhou-o e Pedro chorou amargamente. Não teria chorado se o Senhor o não o tivesse olhado. Examinai o evangelho e vede que quando Pedro o negou, o Senhor não estava num lugar onde pudesse olhá-lo com os olhos de carne, pois estava a ser interrogado no interior da casa, ao passo que Pedro o negou no átrio. Mas para onde não olha quem está em toda a parte?

Confiou-lhe os seus cordeiros quem os fizera cordeiros. Como os fez seus cordeiros o cordeiro? Eis o cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. Desta maneira converteu em cordeiros estes que vemos agora vestidos de branco. Oxalá não os devorem os lobos. Guarda-os Tu, Senhor; Tu que os confiaste a Pedro. Sê Tu o seu guardião como também és o guardião de Pedro. Quando confiava a Pedro as suas ovelhas, a nós nos confiava. E quando confiava as nossas pessoas a Pedro, confiava os seus membros à Igreja. Confia, pois, Senhor, a tua Igreja à tua Igreja e encomende-se a Ti a tua Igreja. Que somos nós sem Ti senão o que foi Pedro quando Te negou três vezes? Para mostrar Pedro a si próprio, quer dizer, para mostrar Pedro ao próprio Pedro, o Senhor afastou dele o seu rosto por um tempo, e então Pedro negou-O. Voltou de novo o seu rosto para ele quando o olhou e Pedro pôs-se a chorar. Lavou a sua culpa com as lágrimas, derramou água dos seus olhos e baptizou sua consciência.

(PLS 2, 756-758; Lambot 3; NBA 32/1; Antologia Litúrgica 3907e-h).


Foto:

Aparição do Ressuscitado no Lago de Tiberíades.

Duccio di Buoninsegna, séc. XIV

Retábulo que faz parte da obra A Majestade, pintado para a catedral de Siena, Itália.

Departamento de Liturgia do Patriarcado de Lisboa
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Na semana passada li uma entrevista com um candidato a deputado (cabeça-de-lista) pelo circulo eleitoral do Porto.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Com “missão nas férias” não quero propor programas de férias missionárias, nem dizer que a missão está de férias.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES