Cáritas de Lisboa |
Compromisso e desafio da Cáritas Diocesana de Lisboa
Cáritas Jovem
<<
1/
>>
Imagem

Parte do programa da Cáritas Diocesana de Lisboa (CDL) para a Semana Nacional Cáritas deste ano, a Vigília de Oração de quinta-feira à noite não quis ser apenas lugar do anúncio do poder transformador da Caridade Cristã, pelo testemunho vivo de quem nele esteve presente, mas expressão do envolvimento ativo dos jovens da nossa diocese, na resposta a situações de pobreza e exclusão social. Presidida por um clero jovem, e animada por jovens da paróquia de Benfica, a vigília foi um verdadeiro momento de preparação à JMJ de Lisboa, e um desafio. À imagem da espera ativa do Senhor que vem, aguardar pela JMJ, como samaritanos comprometidos com a história de quem encontramos caído na berma da estrada, foi o repto que a vigília colocou, no final, a todos os jovens do nosso país.

O rejuvenescimento das Cáritas Paroquiais, através de um maior envolvimento dos jovens na realização da sua missão, é não só inquietação, mas real compromisso da CDL. Recentes experiências com a missão humanitária anual de jovens estudantes franceses e italianos, e o intercâmbio internacional de jovens de diversas paróquias, para uma ação de voluntariado em Alcobaça e Ferrette (Alsácia, França), manifestam, pelos resultados positivos que tiveram, que este é um caminho que urge continuar a fazer, não só a bem dos próprios jovens, ávidos de darem um sentido às suas vidas e de serem úteis a alguém, mas das pessoas que se encontram em maior dificuldade. São já algumas as Cáritas Paroquiais que na Diocese de Lisboa conseguem mobilizar os jovens para ações muito pontuais, e esta é seguramente uma boa maneira de se começar a trabalhar o interesse dos jovens pelo bem-estar de todos, através da ação sócio-caritativa da Igreja. E haverá sempre, nestas ocasiões, quem esteja pronto a colaborar. Campanhas de angariação ou recolha de diversos bens são disso exemplo.

Mas o rejuvenescimento de que falamos aqui é muito mais exigente e empenhativo. As Cáritas Paroquiais precisam hoje de jovens que assumidamente integrem o grupo que, de forma organizada, responde regularmente a situações de vulnerabilidade e carência. Mas é fundamental, que conscientes desta necessidade, as Cáritas Paroquiais se abram aos jovens com sucessivas estratégias que promovam o encontro com eles e o seu envolvimento com o seu normal funcionamento. Dar lugar aos jovens, oferecer-lhes o espaço onde possam sentir-se protagonistas imprescindíveis, responsáveis, não só de vez em quando, mas sempre, é condição crucial ao rejuvenescimento de qualquer Cáritas.

Os objetivos da Jovem Caritas Europa, como movimento europeu, exprimem esta mesma necessidade: a de proporcionar aos jovens uma maior e mais visível participação nas suas estruturas, nos seus projetos, nas suas ações.  E o que aqui dizemos não é apenas válido para as Cáritas em contexto de paróquia, mas para as Cáritas Diocesanas e Caritas Nacionais. Não se trata de substituir quem tem mais idade por quem é mais novo, mas de promover uma intervenção que seja também o resultado de um diálogo-cooperação intergeracional. Por outro lado, o envolvimento dos jovens com Cáritas já existentes não anula nem impede que os próprios jovens possam constituir-se como um movimento paroquial, diocesano, nacional, com uma voz e agenda própria. Antes pelo contrário. Dependendo sempre de necessidades muito reais, o movimento pode mesmo ganhar a forma de uma permanente estrutura ou a de um projeto ou iniciativa temporal. Existindo, será sempre um dos seus principais propósitos, mediar, promover a comunicação entre a Cáritas e a jovem sociedade civil.  

Se os mais novos são o nosso futuro, o futuro da Igreja mesma, então a Cáritas não pode alguma vez pensar-se sem eles, sem que eles mesmos sejam parte e constituam a diversidade do seu rosto. E ainda que sejam uma necessidade real, dado o atual envelhecimento de muitas Cáritas, e os efeitos dramáticos causados pela pandemia, a precisar neste momento de uma potenciada resposta tanto em bens, serviços, meios técnicos, como em pessoas, a mobilização dos jovens postula-se para lá de qualquer tipo de utilitarismo. A sua inclusão e participação ativa nos afazeres da Cáritas são uma questão de justiça e dignidade. Demitirmo-nos deles significaria uma demissão de nós próprios, como povo convocado, instruído pela Palavra e enviado a anunciar a Boa Nova aos pobres.

A Cáritas Diocesana de Lisboa está, pois, empenhada em trabalhar a inclusão dos jovens dentro de si mesma, e convida os grupos de jovens em cada paróquia e os departamentos que no Patriarcado servem a juventude de toda a diocese, a fazerem da preparação à JMJ Lisboa 2023, uma oportunidade de testemunho da sua fé em Jesus, através da Caridade organizada às famílias e pessoas da nossa diocese, e que este possa tornar-se um compromisso permanente no tempo.   


____________


Se a Cáritas Jovem é um projeto do seu interesse, não deixe de contactar a Cáritas Diocesana de Lisboa:

- Tel.: 213 573 386

- Email: comunicacao.projetos@caritaslisboa.pt

texto por Cáritas Diocesana de Lisboa
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
A primeira palavra que desejo exprimir hoje é de homenagem à memória do Padre Vítor Feytor Pinto, exemplo...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Fátima é o nome da filha de Maomé, mas é sobretudo o local em que Nossa Senhora apareceu seis vezes,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES