Mundo |
Neste Natal, a Fundação AIS quer dar roupa quente a 30 mil crianças sírias
A prenda mais desejada
<<
1/
>>
Imagem

Não são brinquedos, nem guloseimas, nem telemóveis ou jogos de vídeo. São apenas calças e camisolas que fazem falta para os dias muito frios de Inverno na Síria. A Fundação AIS lançou, em parceria com as irmãs da Congregação de Jesus e Maria, uma formidável Operação Natal para este ano. O objectivo é simples: dar roupa quente a 30 mil crianças sírias.

 

A Síria é um país mergulhado em profundo sofrimento. Ao fim de uma década de conflito armado, o desespero das pessoas parece não ter fim. Falta quase tudo. Desde a alimentação aos cuidados básicos de saúde, passando pelo fornecimento de energia eléctrica… A crise é tão profunda que há relatos de famílias que só sobrevivem a pão e água. Metade da população, que era de 23 milhões de habitantes quando a guerra começou em 2011, foi forçada a fugir. O Núncio Apostólico da Síria, Cardeal Mario Zenari, afirmou já que 90% da população síria vive, actualmente, abaixo do limiar da pobreza. Por sua vez, o Pe. Hugo Alaniz, do Vicariato Latino de Alepo, diz que “o número de indigentes está a aumentar significativamente”, e o Papa Francisco já denominou esta situação como um “escândalo”.

 

Operação Natal

Foi neste contexto que a Fundação AIS lançou esta iniciativa solidária para com a população mais necessitada da Síria. “Não é fácil fazer chegar roupa quente a cerca de 30 mil crianças, mas com a ajuda de todos estamos a conseguir”, reconhece a directora do secretariado português da Ajuda à Igreja que Sofre. Esta é uma verdadeira Operação Natal. Trata-se de uma iniciativa idealizada pela Ir. Annie Demerjian, da Congregação de Jesus e Maria, em que se pretende distribuir peças de roupa, nomeadamente calças de ganga e camisolas quentes às crianças sírias. “Esta campanha, na sua simplicidade, diz muito sobre o nosso trabalho, o nosso compromisso junto das comunidades cristãs mais vulneráveis em todo o mundo. Se os cristãos da Síria estão nesse grupo, que dizer das crianças…”, acrescenta Catarina Martins de Bettencourt.

 

A alegria das crianças

A adesão dos Portugueses a esta Operação Natal levou também a própria Ir. Annie a enviar-lhes uma pequena mensagem. “Em nome das nossas crianças, famílias e grupos por toda a Síria, e também em nome das nossas irmãs, agradeço os maravilhosos presentes que deram às nossas crianças este Natal. Não imaginam a alegria e o sorriso nos seus rostos!...”, diz esta religiosa que tem desenvolvido um trabalho notável junto da comunidade cristã deste sofrido país do Médio Oriente. A iniciativa da Fundação AIS tem como objectivo minorar o sofrimento de crianças e jovens, que fazem parte do grupo mais vulnerável da população. Para lhes fazer chegar a roupa foi necessário montar uma logística considerável que está a mobilizar não só as religiosas da Congregação de Jesus e Maria, mas toda uma rede de voluntários da Igreja Católica. Cerca de quatro dezenas de famílias cristãs estão a produzir as calças de ganga e as camisolas que vão ser distribuídas. Esse foi outro dos objectivos desta iniciativa: aliviar o magro rendimento de alguns agregados familiares com a encomenda especial destas peças de roupa.

 

“Rezem por nós…”

Os Portugueses têm vindo a manifestar um enorme carinho por mais esta iniciativa da Fundação AIS, o que é visível não só nas respostas individuais de benfeitores e amigos da instituição, mas também de movimentos, paróquias e grupos de fiéis que se têm vindo a juntar com o objectivo de apadrinharem também esta Operação de Natal. As 30 mil crianças estão identificadas e encontram-se nas cidades de Damasco, Alepo, Homs, mas também em Kameshli, Hassakeh, Swidaa e Horan. Na mensagem de vídeo que fez questão de gravar no meio da azáfama da distribuição das peças de roupa, a Ir. Annie Demerjian tem palavras de agradecimento pela ajuda, mas pede também que os cristãos Portugueses não deixem nunca de rezar pela sua amada Síria. “Queremos agradecer-vos e desejar-vos um Natal abençoado, esperando que o próximo ano venha cheio de paz e de saúde para todos e pedimos que continuem a rezar por nós. Deus vos abençoe!”

 

“Solidariedade fantástica”

Também Catarina Martins de Bettencourt agradece a solidariedade que os Portugueses têm manifestado a mais esta campanha da Ajuda à Igreja que Sofre. “Por vezes, as palavras quase que se banalizam, mas não há outra forma de agradecer a preciosa ajuda que tem vindo a ser dada à Fundação AIS para esta campanha para a distribuição de roupa quente para as crianças da Síria senão dizer muito obrigada! Em nome de todas as crianças cristãs da Síria, em nome das suas famílias e em nome também da Ir. Annie Demerjian, agradeço a solidariedade fantástica que os Portugueses estão a dar a esta campanha e desejo a todos um Santo Natal.” Não são brinquedos, nem guloseimas. Não são telemóveis, nem jogos de vídeo. São apenas calças e camisolas que fazem falta para os dias muito frios de Inverno na Síria. A prenda de Natal mais desejada para cada uma das 30 mil crianças sírias custa apenas 11 euros. Está nas nossas mãos fazer com que elas passem um Inverno um pouco mais confortável.

texto por Paulo Aido, Fundação Ajuda à Igreja que Sofre
A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
No momento em que traço estas notas, o mundo anda em rebuliço: vastíssimos incêndios a ceifar vidas...
ver [+]

António Bagão Félix
Escreveu Miguel Torga na sua carta ao romancista e poeta brasileiro Ribeiro Couto (“Traço de...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES