Lisboa |
Cardeal-Patriarca celebra Dia Mundial da Paz
“A paz também tem, sobretudo, uma dimensão interior”
<<
1/
>>
Imagem

O Cardeal-Patriarca destacou que a paz é mais do que o aspeto exterior, de ausência de conflitos militares. Na Igreja da Graça, em Lisboa, D. Manuel Clemente lembrou ainda a mensagem do Papa para o Dia Mundial da Paz.

“A paz também tem, e tem sobretudo, uma dimensão interior, uma harmonia do profundo do nosso coração com o próprio Deus e, a partir de Deus, com todos”, realçou o Cardeal-Patriarca de Lisboa, na Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus. Na manhã de dia 1 de janeiro, Dia Mundial da Paz, D. Manuel Clemente focou também o diálogo entre gerações, a educação e o trabalho na construção da paz, evocando assim mensagem do Papa Francisco para este dia.

Sobre o primeiro instrumento, lembrou que “é neste diálogo entre gerações que a paz verdadeiramente se consegue”, convidando as pessoas a manterem-se unidas “nas várias gerações” e lembrando que, em Portugal, “nas nossas cidades, um terço da população idosa vive só e pouco acompanhada”, até porque nem todos dominam os instrumentos digitais. O Cardeal-Patriarca apontou depois que a educação “só se pode fazer nesta relação intergeracional” proposta pelo Papa, e deve incluir a dimensão religiosa, com o seu património global. “Isto faz parte dessa educação, do esforço que cada geração faz para transmitir às que chegam o melhor daquilo que adquiriu, porque lhes faz bem, porque nos faz bem”, precisou. D. Manuel Clemente falou ainda das questões ligadas ao trabalho, tanto pelas migrações dos que procuram uma vida melhor como dos que vivem na Europa com “um trabalho muito precário”. “Hoje sabemos que mesmo entre gente empregada há gente pobre, que não atinge aqueles índices absolutamente necessários para uma vida digna, nem têm um salário que seja digno”, lamentou.

O Cardeal-Patriarca lembrou ainda o Ano Europeu da Juventude, que se iniciava naquele primeiro dia do ano 2022, e apontou à Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em 2023, em que Lisboa vai receber “uma enorme quantidade de jovens” de todo o mundo.

D. Manuel Clemente concluiu a homilia com votos de um “ano de paz, essa que Deus sempre garante”.

A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Continuamos a ler os Atos dos Apóstolos, e a acompanhar Paulo e Barnabé no seu percurso: «Naqueles...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
A dor não é uma desgraça, mas uma experiência de amor que, ao unir-nos ao sacrifício de Cristo na Cruz, nos aproxima dos irmãos.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES