Vocações |
Mensagem de Natal do diretor do Sector de Animação Vocacional do Patriarcado de Lisboa, padre Bernardo Trocado
“Santo Natal e que o Menino Jesus vos abençoe”
<<
1/
>>
Imagem

Mensagem para os animadores paroquiais vocacionais e para todos os que animam as vocações com verdade.

Este ambiente do Natal é um ambiente profundamente vocacional, desde o sim de Maria, o abandono de Maria à vontade de Deus; o sim de José. A forma como todo o nascimento do Menino Jesus acontece, em que vemos toda uma correria até ao Presépio. Vários foram os chamados para entrar no Presépio e encontrar o grande sinal, encontrar o Filho de Deus que se fez Homem.

Gostava de deixar aqui algumas luzes para a vossa missão, contemplando especialmente o Presépio.

Deus Nosso Pai, quis-nos dar o seu próprio Filho. O Presépio é esse grande dom. Deus dá-nos o seu Filho como a grande Palavra que nos quer dar, o grande chamamento.

Deus quer vir falar-nos e vem falar-nos através do seu Filho Jesus, feito Homem.

Como vemos, Deus não é um Deus distante, desinteressado da nossa história, mas é um Deus que vem semear, na nossa história, a sua Palavra. Oferece-nos o seu próprio Filho para nos guiar nos caminhos da vida.

Mas reparem bem como essa Palavra foi dada, mas para que essa Palavra fosse encontrada, apareceram os Anjos que primeiro falaram aos pastores e, falando aos pastores, os pastores correram até ao Presépio, correram até à Palavra feita carne.

Primeiro apareceu uma estrela. Essa estrela brilhou para os Magos vindos do Oriente, e através dessa estrela os Magos foram trilhando caminho e chegaram ao Presépio onde viram a Palavra feita carne.

Eu acredito que a missão do animador paroquial das vocações é ser como essa estrela, é ser como os Anjos que apareceram aos pastores. O Senhor quer falar a muitos dos vossos paroquianos; o Senhor quer chamá-los; o Senhor quer-lhes oferecer uma Palavra; quer lhes mostrar uma missão de vida.

Mas se calhar primeiro, primeiro aparecem vocês. Vocês, com a vossa missão concreta, com os pequenos passos que vão tentando dar aí na paróquia para transformar os grupos, para transformar o ambiente, para que cada vez mais a paróquia seja um lugar onde se escuta Deus. Mas primeiro aparece a estrela; primeiro aparecem os anjos, primeiro aparece a vossa missão e aquilo que vocês vão fazendo na paróquia.

Acredito profundamente que tal como na estrela e através dos Anjos, os pastores e os Magos encontraram a Palavra, também através de vocês, na vossa missão fiel, muitos paroquianos também se encontrarão com os sinais de Deus e poderão começar um caminho com Deus e poderão descobrir a Palavra que Deus guardava para eles. Também através de vocês muitos paroquianos poerão chegar ao Presépio, poderão chegar a esse encontro com a vontade de Deus.

 

Ao mesmo tempo, olhando o Presépio, vemos como é impressionante ver a pequenez. É Deus a manifestar-se, mas manifesta-se de forma tão pequena, tão simples e discreta. Maria e José, que estavam nesse Presépio como guardiões deste Menino, amando este Menino, souberam recebe-l’O, souberam guardá-l’O e souberam vê-l’O crescer, ajuda-l’O a crescer. Permaneceram ao seu lado, educaram-n’O, cuidaram d’Ele, sustentaram-n’O. Esse mesmo Bebé, pequenino, à medida que foi crescendo foi revelar- se como o nosso Salvador.

Se olhássemos para a pequenez do Bebé no Presépio se calhar diríamos que é pouco provável que esteja aqui a Salvação. Como é que um Bebé me pode salvar? Mas quando temos a coragem de permanecer diante dessa pequenez, guardar essa pequenez, depois veremos como é esse mesmo Bebé, esse mesmo recém-nascido que virá e que veio para nos salvar.

Tal como Maria e José, acredito que vocês também são convidados a não terem medo da pequenez. Especialmente se a vossa missão na paróquia ainda parece pequena; se porventura pensam que ainda não está a dar tantos frutos como seria de esperar; ou porque ainda estão a dar os primeiros passos, ainda estão nos começos, ainda estão a fazer pequenas experiências. Não tenham medo! Tenham o mesmo amor que Maria e José tiveram pelo Menino Jesus, tenham esse mesmo amor pela vossa missão e pelos passos que já começam a dar.

 

Quando as coisas parecem pequenas e quando as coisas ainda não dão frutos, é fácil desmobilizar e é fácil pensar que dificilmente alguma coisa vai acontecer. Mas voltem a olhar para o Presépio e vejam como é que Deus escolhe salvar o mundo, como é que Deus escolhe fazer brilhar a sua Palavra e o seu chamamento. É assim, escondido num Presépio, num lugar deste mundo onde poucos se calhar estavam a olhar. Ali está o começo da salvação do mundo.

Nesse sentido quero muito convidar-vos a que, olhando para o Presépio, renovem o vosso amor a esta missão e não tenham medo. Olhando para o recém-nascido tenham também a coragem de recomeçarem, voltarem a um novo princípio, de voltarem a agarrar esta missão vocacional com um coração novo, com um novo amor, como uma nova coragem.

Que a Luz que brilha do Presépio seja também para vocês a coragem de saber recomeçar e de saber voltar a abraçar esta missão com toda a alegria e com todo o amor. Não tenham medo. O Senhor salva o mundo através da pequenez e o Senhor também irá tocar a vossa paróquia através da vossa pequenez.

 

________________


POÇO – UM DIA DE RETIRO DE SILÊNCIO AO AR LIVRE

Inscrições: http://vocacoes.patriarcado-lisboa.pt/poco

 

O QUE SÃO AS TERÇA.COM NAMORADOS?

Inscrições: http://vocacoes.patriarcado-lisboa.pt/terca-com-namorados

Padre Bernardo Trocado, diretor do Sector de Animação Vocacional do Patriarcado
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Continuamos a ler os Atos dos Apóstolos, e a acompanhar Paulo e Barnabé no seu percurso: «Naqueles...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
A dor não é uma desgraça, mas uma experiência de amor que, ao unir-nos ao sacrifício de Cristo na Cruz, nos aproxima dos irmãos.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES