JMJ Lisboa 2023 |
Arquidiocese de Évora recebeu os símbolos da Jornada Mundial da Juventude
“De coração aberto e disponível a receber e levar os símbolos da JMJ a todos”
<<
1/
>>
Imagem

O Arcebispo de Évora deseja que a presença dos símbolos da JMJ “desperte, em todos”, um “sinal de paz e solidariedade”. Na passagem de ano, a 31 de dezembro, a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora foram entregues pela juventude de Beja a uma delegação de jovens eborenses.

“É com a maior alegria, e gratidão à Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, que recebemos os Símbolos da Jornada Mundial da Juventude, a decorrer, querendo Deus, em Lisboa no próximo ano de 2023 de 1 a 6 de agosto. Eis-nos de coração aberto e disponível a receber e levar os símbolos da JMJ a todos”, escreveu D. Francisco Senra Coelho, numa mensagem. Após uma peregrinação de mais de dois mil quilómetros na Diocese de Beja, durante o mês de dezembro, os símbolos da Jornada Mundial da Juventude passaram para a Arquidiocese de Évora, no dia 31 de dezembro, através das águas do Alqueva. “Sejam bem-vindos os símbolos da JMJ! Eles são para nós sinal de comunhão com o Papa, a Igreja Universal e todos os jovens do mundo. Vamos dar o nosso melhor e fazer o possível para que a sua presença desperte, em todos, sinal de paz e solidariedade”, desejou o arcebispo.

Segundo D. Francisco Senra Coelho, a “disponibilidade para o acompanhamento é a atitude fundamental da reforma e conversão pastoral que, segundo o Papa Francisco, torna as comunidades cristãs sinodais e samaritanas, ou seja, ‘Igreja em saída’, decididamente missionárias”. Porém, “escolher a via do acompanhamento, como perspetiva fundamental da ação pastoral, comporta uma conversão de mentalidade e de metodologia”, alertou.

 

Reforçar a fidelidade

Na passagem de ano, a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora foram entregues pela juventude de Beja a uma delegação de jovens de Évora. Embarcaram no Cais de Alqueva e chegaram ao Cais de Campinho duas horas depois, para iniciar a peregrinação pela Arquidiocese de Évora, ao longo do mês de janeiro. “Entrego ao coração de cada jovem, aos movimentos e grupos eclesiais de jovens, o êxito pastoral desta peregrinação missionária, desta convocatória comprometedora dos Símbolos da JMJ à Arquidiocese de Évora. Que no SIM de Maria, reforcemos a nossa audácia, criatividade, empreendedorismo e fidelidade. Rezo convosco e acompanho-vos em cada momento com a disponibilidade possível. Contai comigo! Eu conto com a unidade de todos os jovens, sem exceção”, terminou o Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho.

 

Mais de 2 mil quilómetros

Ao longo de todo o mês de dezembro, os símbolos da JMJ fizeram uma peregrinação de mais de 2 mil quilómetros por Beja, tendo sido acolhidos no hospital, na prisão, em quatro corporações de bombeiros de vários pontos da diocese, em oito centros sociais, 13 escolas e 45 paróquias. O padre Francisco Molho, que coordena o secretariado da Pastoral Juvenil na Diocese de Beja e o COD (Comité Organizador Diocesano) de Beja, acompanhou permanentemente a peregrinação dos símbolos da JMJ na diocese e afirmou, em declarações ao site oficial da Jornada (www.lisboa2023.org/pt), que a presença da Cruz e do Ícone de Nossa Senhora foi uma oportunidade de “criar proximidade” à juventude do território, uma ocasião de evangelização e de divulgação e convocação dos jovens para a Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023. “Foi uma oportunidade para impulsionar os jovens, bem como os dinamismos e estruturas que estão particularmente atentos à juventude, a se empenharem, com entusiasmo, na preparação desse grande encontro”, salientou o sacerdote. 

 

____________


Ano Europeu da Juventude pode “universalizar o convite” para a JMJ Lisboa 2023

O presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 considera que o Ano Europeu da Juventude, iniciado no passado dia 1 de janeiro, é uma ocasião para “universalizar o convite” para a Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023. “O Ano Europeu é uma oportunidade de fazermos este convite, mais operacionalmente, à juventude europeia. A Europa tem milhões de jovens que estão à espera de um desafio, de um convite, estão à espera de ser surpreendidos pelo convite para a Jornada Mundial da Juventude. E o Ano Europeu da Juventude pode ser uma ferramenta para fazermos chegar o convite a todos os jovens do continente europeu”, afirmou D. Américo Aguiar, em entrevista à Agência Ecclesia. Este responsável lembrou ainda a Peregrinação Europeia de Jovens (PEJ) a Santiago de Compostela, entre 1 e 6 de agosto de 2022, que vai contar com uma participação de jovens portugueses e é uma “etapa importante” para também fazer chegar o convite da JMJ aos jovens europeus.

Sobre a organização da Jornada Mundial da Juventude que vai decorrer em Portugal, o presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 referiu que 2022 é o ano da “implementação”, da “concretização” e da abertura das inscrições. “O Papa será primeiro peregrino a inscrever-se. Há coisas muito materiais, dos terrenos, das infraestruturas que vão ser concretizadas, e há a programação do Festival da Juventude, da Feira das Vocações. Há muita coisa que se vai concretizar durante o ano 2022 e, por isso, será o ano de muita curiosidade e expectativa”, salientou D. Américo Aguiar.

fotos por Arlindo Homem
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Continuamos a ler os Atos dos Apóstolos, e a acompanhar Paulo e Barnabé no seu percurso: «Naqueles...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
A dor não é uma desgraça, mas uma experiência de amor que, ao unir-nos ao sacrifício de Cristo na Cruz, nos aproxima dos irmãos.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES