Mundo |
Num bairro de lata no Paquistão, nasce uma paróquia para os mais pobres
O primeiro padre
<<
1/
>>
Imagem

Nos arredores da imensa cidade de Rawalpindi, no Paquistão, a vida é dura, os Invernos são penosos, as pessoas tentam sobreviver. Num desses bairros de lata, onde os pobres são vistos quase como impuros, vamos encontrar uma pessoa especial. É um padre. Ele está a construir uma paróquia.

 

Os arredores da cidade de Rawalpindi estendem-se por quilómetros de um emaranhado de ruas, casas e barracas. Por ali vivem milhares de pessoas na mais absoluta pobreza. Falta quase tudo nesses bairros que circundam a cidade que viu nascer, ao lado, a capital do Paquistão. A vida é dura, muito dura, mas é num destes bairros que um sacerdote decidiu construir uma paróquia… David Anosh não é um padre qualquer. Pelos menos ali, ele é especial. É olhado com carinho, com ternura. Até com admiração. Normalmente, as pessoas tentam sair do bairro, tentam viver noutros lugares, onde possa haver mais conforto, mais dignidade. Mas ele, não. Ele escolheu viver ali, entre os mais pobres, os que não conseguem abandonar aquelas ruas empoeiradas que no Inverno se transformam em lodaçais, onde correm, lado a lado, as águas das chuvas e os esgotos a céu aberto. O Padre David não se deixou intimidar com toda aquela pobreza, com toda aquela gente excluída e fez nascer um sonho: criar por ali raízes, erguer uma Igreja para que possa estar sempre de portas abertas a todos, especialmente aos mais pobres, aos indesejados, aos que não conseguem viver noutro lugar que não os bairros de lata dos arredores da grande cidade. “Esta é uma área muito carenciada”, explica perante as câmaras de filmar. “Existe um grande esgoto que passa no meio desta colónia. Toda a água vai para lá, mas passa pelas casas e pelas ruas das pessoas…”

 

Amar os enjeitados

É o Padre David que conta tudo isto a uma equipa da Fundação AIS. Ele explica como é a vida naquela zona, naquele bairro, naquele lugar onde ninguém deseja ir. “Devido à falta de água limpa, há mosquitos… Já vi tantas famílias que sofrem por causa do vírus do Dengue…” O bairro de lata onde o Padre David sonha construir uma paróquia é quase só habitado pelos enjeitados da sociedade. Por ali é tudo muito degradado, muito provisório, muito frágil, muito pobre. As palavras do Padre David não mostram revolta, mas também não estão pacificadas. “Não há gás. Não há rede de esgotos e não há saneamento, nada, e também não há água limpa.” Falta tudo o que confere dignidade à vida das pessoas. Os que trabalham, limpam os escritórios e as casas dos mais ricos da cidade. Muitos outros, sem trabalho, revolvem o lixo à procura de comida. Muitos destes homens e mulheres muito pobres são cristãos. São os escolhidos do Padre David Anosh. Ele não tem mãos a medir. O seu sonho é tão grande e tão vasto quanto a pobreza do bairro que se estende quase a perder de vista. “Estou a tentar estabelecer uma paróquia. Sou o primeiro pároco deste lugar. O povo está muito feliz. Temos tentado fazer muitas coisas para o seu desenvolvimento. Lá em cima há uma pequena escola, que na realidade eu comecei a partir da catequese. As pessoas pobres não podem enviar os seus filhos para as escolas de Islamabad. Não têm como pagar.” Por isso, a escola não cobra praticamente nada. O maior investimento é no futuro daquelas crianças. “Nesta escola só há cristãos. Algumas das crianças são órfãs. Elas são educadas livremente”, continua a explicar o Padre David à equipa da Fundação AIS que está a realizar um documentário sobre a Igreja no Paquistão.

 

Um sonho quase impossível

O sonho do Padre David parece quase impossível face à pobreza dos que moram por ali, face à própria dimensão diminuta da comunidade cristã. Mas este sonho é alimentado pela fé e a paróquia de São João Paulo II, em Rawalpindi, vai vendo, aos poucos, a sua própria igreja a ser construída. Muito lentamente, é verdade, ao sabor das esmolas e dos sacrifícios da sua população, mas avançando. “Algumas pessoas deram 100 rupias [cerca de 1,23 euros], outras 50. Aos poucos, construímos a igreja até ao telhado. Estamos a tentar fazer outro telhado na parte superior. Mas é muito difícil…” Nos arredores da cidade de Rawalpindi, a vida é dura, os Invernos são penosos, as pessoas tentam sobreviver. Num destes bairros de lata, onde os pobres são vistos quase como impuros, vive um padre especial que está a construir uma comunidade, abraçando os excluídos, vivendo com eles, partilhando os seus sonhos e dificuldades. O Padre David Anosh precisa da nossa ajuda. Sozinho vai ser difícil erguer o telhado e acabar as obras na igreja. Vamos ajudá-lo?

texto por Paulo Aido, Fundação Ajuda à Igreja que Sofre
A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
No momento em que traço estas notas, o mundo anda em rebuliço: vastíssimos incêndios a ceifar vidas...
ver [+]

António Bagão Félix
Escreveu Miguel Torga na sua carta ao romancista e poeta brasileiro Ribeiro Couto (“Traço de...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES