Lisboa |
JDJ 2022 reúne mais de três mil jovens em Oeiras
“Estamos aqui porque Jesus atrai”
<<
1/
>>
Imagem

Dois dias de festa e alegria, mas também de oração e missão, como aperitivo da JMJ do próximo ano. Assim foi a Jornada Diocesana da Juventude (JDJ) 2022, que reuniu, em Oeiras, mais de três mil jovens que se sentem “atraídos por Cristo”, segundo o Cardeal-Patriarca de Lisboa.

 

Nas últimas palavras que deixou aos mais de três mil jovens que participaram, durante dois dias, em Oeiras, na Jornada Diocesana da Juventude 2022, o Cardeal-Patriarca de Lisboa, visivelmente satisfeito, atirou: “Isto é apenas um aperitivo! Porque o que vem a seguir, meus amigos, a Jornada Mundial da Juventude, vai ultrapassar todas as expectativas. Não se esqueçam de se inscreverem”, aconselhou D. Manuel Clemente, no breve encerramento deste encontro juvenil, a 19 e 20 de novembro.

O Cardeal-Patriarca quis também “agradecer muito” a todos os envolvidos na organização desta JDJ “tão bonita”. “Tenho acompanhado todas as jornadas e esta foi, sem dúvida nenhuma, aquela que teve maior participação e maior variedade de elementos e de componentes. Foi realmente uma grande Jornada Diocesana da Juventude”, salientou.

D. Manuel Clemente referia-se às diversas iniciativas que o Serviço da Juventude do Patriarcado de Lisboa / COD de Lisboa (Comité Organizador Diocesano), em parceria com os sectores pastorais da Catequese, Família, Universitária e Vocações, tinha preparado para a JDJ 2022, com o tema da mensagem do Papa Francisco para a 37.ª Jornada Mundial da Juventude 2022-2023: ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ (Lc 1, 39). O programa de um fim-de-semana teve o epicentro no Jardim Municipal de Oeiras e incluiu, no sábado, workshops, um concerto, a vigília de oração com exposição do Santíssimo Sacramento – à qual se associaram os seminaristas que vão ser ordenados diáconos, neste Domingo – e a dormida, como se de uma mini-JMJ se tratasse. Tudo isto além do habitual Parque do Perdão, onde os jovens se podiam confessar, ou a Feira Vocacional, com um conjunto de bancas onde ficavam a conhecer movimentos juvenis e congregações religiosas.

 

‘Abraço JMJ’

No Domingo de manhã, após o pequeno-almoço, os jovens rezaram a oração, seguida de uma breve catequese e várias dinâmicas. Sentados no chão, em conjunto, iam respondendo ‘sim’ (cartão verde) ou ‘não’ (cartão laranja) às questões colocadas, num momento que deu um colorido diferente ao jardim. Aproveitando as novas tecnologias, nomeadamente os smartphones, os jovens fizeram depois pequenos grupos, de três a seis elementos, para responder, num site, a quatro breves questões. Todas as respostas seriam depois entregues, pela organização, ao Cardeal-Patriarca, que também escutou a jovem Joana, da paróquia de Benfica, sublinhar que se deve “levar Jesus aos outros através do exemplo, sem medos nem receios”. Já Carolina, da paróquia de Massamá, sublinhou a necessidade de “escutar e estar disponíveis para os outros, para os jovens, para a Igreja, para sermos uma comunidade melhor e mais forte”, e Sara, da paróquia de Alenquer, apontou como “a nossa Mãe, Maria, dá o exemplo para levantar e seguir Jesus”. Diogo, da paróquia de Mafra, encerrou a dinâmica testemunhando a vontade de “levar Cristo a todo o lado”. “Cristo está aqui e é com Ele que queremos estar”, assegurou.

Nas palavras que dirigiu aos jovens, D. Manuel Clemente deixou o convite: “Não tenham medo! O Evangelho funciona por si e acontece, antes de mais, no coração de vocês, de cada um de nós. Deus responde em Jesus, como Maria O acolheu e O transmitiu”.

Antes ainda do almoço, ao som de cânticos, ritmados por palmas e muita alegria, os jovens dirigiram-se à praia de Santo Amaro para um gesto de acolhimento aos jovens de todo o mundo que virão a Portugal para a JMJ Lisboa 2023. À frente do cortejo improvisado, o Cardeal-Patriarca, o Bispo Auxiliar D. Joaquim Mendes e o vereador na Câmara Municipal de Oeiras com os pelouros da Educação, Desporto e Juventude, Pedro Patacho, acompanhados de vários jovens, seguravam uma faixa com a inscrição ‘Bem-vindos à JMJ Lisboa 2023’. Já no areal, ao centro, duas centenas de jovens seguravam as bandeiras de todos os países do mundo, e à volta os restantes milhares de jovens, de mãos dadas, circulavam entre as bandeiras, simbolizando o ‘Abraço JMJ’.

 

Entusiasmo

Foram muitas as paróquias e movimentos juvenis na diocese que marcaram presença na JDJ 2022, em Oeiras. De bem perto, Barcarena, um grupo de 35 jovens garantia, ao Jornal VOZ DA VERDADE, que a jornada “estava a ser ótima, fantástica, com muita gente”. “Somos três mil! Dormiram mil e quinhentos nas escolas e correu muito bem. Tem sido muita alegria, muitos jovens. É bom”, manifestava Fábio Simões, de 29 anos, que integra o COP (Comité Organizador Paroquial). “Procuramos sempre divulgar a JDJ na paróquia. Alguns já tinham participado e costumam corresponder”, frisa este jovem, que participou na JMJ de Cracóvia, em 2016. “A paróquia está muito ansiosa para saber como vão acolher peregrinos e o que podem fazer para ajudar”, garante.

Da cidade de Lisboa, a paróquia do Lumiar também se fez presente. “Não somos muitos, viemos sete – poucos, mas bons! – e estamos a gostar imenso”, referia João Silva 21 anos, que pertence ao COP. “Viemos ontem [sábado] e pernoitámos na Escola Secundária Sebastião e Silva. Estamos muito entusiasmados para poder, agora, levar o que estamos a aprender, e toda a energia que estamos a viver, para a nossa paróquia”, deseja, ao Jornal VOZ DA VERDADE, este jovem, que para o ano se vai “estrear” numa JMJ. “Está a ser um desafio que estamos a aceitar com muito entusiasmo”, diz.

 

“Jesus atrai”

Na celebração da Missa na Solenidade de Cristo-Rei, o Cardeal-Patriarca destacou a “realeza de Cristo”. “O Reino de Cristo é um amor que vence a morte, é uma vida que vence a morte, é um serviço total a todos e a cada um, como Deus se manifesta em Cristo e se oferece agora. É isso que estamos a celebrar aqui e é isso que vamos celebrar na Jornada Mundial da Juventude, em agosto, com tantos jovens que vêm de todo mundo. Vêm porque este Reino atrai. Ninguém os obrigaria a isso. O que vai acontecer em Lisboa e arredores acontece porque Jesus atrai”, observou D. Manuel Clemente.

Diretor do COD de Lisboa, João Clemente agradeceu a várias instituições e entidades, mas também a todos os voluntários. “Que bom foi estarmos aqui! Esta festa só foi possível devido ao envolvimento de todos”, frisou o responsável pela Pastoral Juvenil no Patriarcado de Lisboa. E foi ao som de ‘Esta é a juventude do Papa!’, cantado a plenos pulmões pelos mais de três mil jovens, que terminou a Jornada Diocesana da Juventude 2022. O olhar, esse, está já em agosto do próximo ano, para a JMJ Lisboa 2023.

 

_________


Testemunhas

Diretor do Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa, o padre Tiago Neto convidou os jovens a serem “testemunhas de Jesus Cristo”. “É o grande desafio da vida cristã”, apontou o sacerdote, numa breve catequese, sublinhando que “o testemunho passa, em primeiro lugar, pela nossa vida”. “O Papa diz-nos que Maria é a nossa influencer, que nos desafia a viver como cristãos”, terminou.

 

_________


Voluntariado

Mais de 30 jovens participantes da JDJ colaboraram com a Cáritas Diocesana de Lisboa numa ação de voluntariado, na escolha “de carrinhos, ovos e cadeiras de bebé” para serem doados. “Outros jovens estiveram na arrumação da Mercearia Social de São Julião da Barra. O ambiente foi de fraterna dedicação e alegria. A Caridade não faltou na JDJ, com jovens muito decididos a estarem atentos às necessidades à sua volta e a darem uma mão a quem precisa”, salienta a instituição.

 

_________


Oeiras disponível

O presidente da Câmara Municipal de Oeiras assegurou ter sido “motivo de regozijo” acolher a Jornada Diocesana da Juventude e garantiu que “a Igreja Católica é um parceiro institucional de valor inestimável para o município e para os munícipes”. No encerramento da JDJ 2022, Isaltino Morais revelou que o município se disponibilizou, “junto do senhor Cardeal-Patriarca e junto do Governo”, para acolher no seu território “parte do programa e parte dos jovens” da Jornada Mundial da Juventude. “Este fim-de-semana passado em Oeiras foi, para nós, razão de orgulho”, reforçou.

 

_________


Sinal para o mundo

Tal como numa Jornada Mundial da Juventude, a noite de sábado da JDJ foi de vigília. “Deixai que a urgência que apressou o passo de Maria, apresse também o vosso passo, o passo de cada um de nós, para que a Boa Nova de Jesus, que chegou até nós, possa chegar a todos os ambientes, e que o vosso entusiasmo e a vossa alegria se torne efetiva e transbordante, se torne um grande sinal: um sinal para o mundo de esperança na juventude, um sinal que suscite a fé e a confiança em Cristo, que atraia para Cristo”, desejou D. Joaquim Mendes, Bispo Auxiliar de Lisboa. “Não renuncieis a ser este sinal”, convidou.

 

_________


Autores de êxitos como ‘O Amor É Assim’, os HMB, banda portuguesa de soul e funk, animaram o fim de tarde do primeiro dia da JDJ 2022, com um concerto no Jardim Municipal de Oeiras.

 

_________


JDJ 2022 - Oeiras

texto por Diogo Paiva Brandão; fotos por Município de Oeiras - GC e COD Lisboa
A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
Acolhendo a Paz como dom de Deus, somos chamados a contruí-la, como tarefa permanente, em todos os...
ver [+]

José Luís Nunes Martins
Será que há um Deus capaz de dar fé a uns, mas a outros não? Será que somos nós que devemos inventar...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES