Entrevistas |
Dia dos Seminários: ?Toda a Igreja pode ajudar os seminários através da oração?
<<
1/
>>
Imagem

De que forma as comunidades cristãs poderão ajudar os seminaristas e os seminários? Maria José Secca pertence ao grupo de animadores vocacionais da paróquia de Algés – Miraflores e em entrevista à VOZ DA VERDADE conta como é que a paróquia tem acolhido os jovens seminaristas em trabalho pastoral.

Pertence ao grupo de animadores vocacionais da paróquia de Algés – Miraflores, que nos últimos anos tem recebido diversos seminaristas em trabalho pastoral. Qual a importância para a comunidade cristã de ter os futuros padres da diocese a colaborar na paróquia?

É importante, sobretudo porque com a presença dos seminaristas entre nós as pessoas têm um contacto mais directo com estes jovens que se estão a formar para o sacerdócio. Portanto, o padre deixa de ser uma figura distante, inatingível, porque passamos a ter um contacto com eles, uma vivência diária. Por outro lado, os seminaristas trazem consigo aquela paz, aquela alegria, a ajuda aos outros. É muito bonito e vê-se que os cristãos gostam de os ter nas suas paróquias. Há mesmo uma afinidade, uma aproximação grande das pessoas com estes seminaristas que têm realizado trabalho pastoral em Algés – Miraflores. Até porque, sendo muito novos, entusiasmam os mais velhos e convivem com os mais novos (escuteiros, grupo de jovens…) tornando-se valiosas testemunhas de Cristo no meio de todos.

 

De que forma as paróquias acolhem estes jovens, que são os padres de amanhã?

Os seminaristas são sempre muito bem recebidos! Aqui na nossa paróquia tem havido sempre um bom acolhimento. Por vezes, os padres não têm possibilidade de estar connosco em todos os momentos e quando estão cá os seminaristas há sempre muita gente à volta deles, a perguntar-lhes coisas, a pedir apoio.

 

O trabalho pastoral dos seminaristas nas paróquias é essencial para a formação dos padres, concorda?

Penso que sim. Porque é uma vivência, uma experiência que os seminaristas têm com as várias realidades da paróquia e das comunidades cristãs. E com as suas diferenças, desde as faixas etárias, aos carismas. Acredito que o trabalho pastoral ao longo de dois anos numa paróquia, em contacto permanente com os cristãos, vai trazer-lhes, de certeza, mais-valias para o futuro como sacerdotes. No fundo, os seminaristas passam da teoria – ou seja, da formação teológica na Universidade Católica e no Seminário dos Olivais – para a prática, com o contacto directo com o povo de Deus.

 

Para além de os acolherem, como é que pensa que as paróquias podem ajudar os seminaristas e os seminários da diocese?

Primeiro de tudo através da oração. Mas também partilhando com eles as dificuldades do dia-a-dia, da vivência. Uma comunidade é sempre heterogénea, ou seja, há sempre diferenças de apoios, E quanto mais apoio a comunidade cristã der aos seus futuros padres melhor. Mas acredito que a diocese pode ajudar os seus seminaristas sobretudo através da oração e dando a entender aos mais novos a importância do chamamento de Deus, para que os seminários possam crescer.

 

Sendo catequista, de que forma a Igreja está a educar na fé as crianças de forma a sensibilizá-las para a importância dos seminários e dos seminaristas?

A catequese vai falando, vai despertando. Mas é evidente que sozinha não faz nada… a família tem que ajudar, os pais têm que ajudar. E a vivência de família como família cristã, em união com a Igreja, através também da oração em família, faz despertar os miúdos para as suas vocações. Não fazemos milagres sozinhos…

 

Acredita que a catequese pode despertar ou lançar a semente para uma posterior inquietação vocacional?

Vamos tentando, mas toda a comunidade cristã e a família devem ser exemplos para as crianças. Na catequese digo muitas vezes que Deus chama cada um no silêncio da oração. “Rezem! Rezem muito…”, “Ponham Deus acima de tudo”.

 

A paróquia de Algés – Miraflores acolhe desde há dois anos o seminarista Ivo Santos, que no próximo domingo será ordenado diácono. De que forma a paróquia está a viver este momento?

O Ivo é uma pessoa muito alegre, em paz consigo e na sua entrega a Deus. E um cristão triste não convence ninguém! Gostamos muito dele. Principalmente o grupo de jovens, que ele ajudou a formar: estão todos muito felizes com a ordenação do Ivo e já muito programados para irem à ordenação nos Jerónimos, no dia 28 de Novembro. Neste momento tão importante para a vida do Ivo, importa sobretudo estar ao lado dele e rezar muito por ele e pela sua santidade, claro! 

 

______________________________


Perfil

Maria José Secca pertence à paróquia de Algés – Miraflores. Casada há quase 30 anos e mãe de três filhos, Maria José foi designer mas diz que agora se quer dedicar apenas à família e à Igreja. “Creio que é uma profissão bonita!”, refere. É catequista há sete anos, sendo que neste ano pastoral dá catequese ao 4º volume. Na paróquia, faz ainda parte do grupo de animadores vocacionais, além de ser voluntária no centro de convívio dos mais velhos e ajudar no arranjo floral da igreja.

 

______________________________


Seminário dos Olivais abre as portas à diocese: “Desmitificar a vivência dos seminaristas e dos padres”

 

O Seminário dos Olivais assinala a Semana de Oração pelos Seminários abrindo as portas à diocese para receber as comunidades originárias dos seminaristas e aquelas onde estes exercem trabalho pastoral. Como é que vê esta iniciativa, em que participou nestes últimos dois anos?

Acho uma iniciativa interessante. Porque assim, as pessoas têm uma oportunidade para ver como é o seminário por dentro. Para desmitificar a vivência dos seminaristas, dos padres, como se fossem umas pessoas à parte da nossa vida, mas que são pessoas como nós, que vivem como qualquer pessoa a vivência das dificuldades. Com este Dia dos Seminários cria-se uma ligação e uma aproximação.

 

O que mais a marcou na actividade do ano passado, recorda-se?

É bonita toda a vivência! A alegria de fazer festa – como nós fazemos festa em família – e de receber as comunidades cristãs na sua casa de formação. Marcou-me especialmente a felicidade marcada nos rostos dos jovens seminaristas, e os testemunhos dos seus chamamentos, mas também dos padres formadores.

 

______________________________


24 horas de adoração

O Seminário de São José de Caparide promoveu 24 horas de Adoração do Santíssimo, numa iniciativa decorreu em plena Semana dos Seminários. “É a especial semana de oração e ajuda aos nossos seminários diocesanos porque eles preparam o futuro da Igreja”, salienta o vice-reitor do seminário, padre Ricardo Neves.

As 24 horas de Adoração do Santíssimo foram abertas a todos os que quiseram participar e iniciaram-se dia 11, com a missa às 19h. O Santíssimo ficou exposto até ao dia seguinte, com alguns tempos de oração comunitária e muitos tempos de oração particular. “Precisamos de pedir a Deus pela santificação dos sacerdotes e pelas vocações sacerdotais!”, acrescentava o padre Ricardo.

 

______________________________


Revista Novellae Olivarum

O Seminário dos Olivais publicou mais um número da revista Novellae Olivarum. Nesta edição da revista semestral o tema de capa é dedicado ao crescimento da comunidade de seminário com o acolhimento das novas dioceses. A Carta do Papa aos seminaristas, as razões do celibato sacerdotal e o balanço do Ano Sacerdotal são outros dos temas abordados. A revista pode ser adquirida no seminário ou pelo email: secretaria@seminariodosolivais.org.

Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
A mais recente Encíclica do Papa Francisco, Fratelli Tutti é um documento notável, que “não pretende...
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Redigo estas notas em Dia Mundial das Missões, após ter participado na Tarde Missionária em Alfragide com o Dr.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES