Missão |
Mariana Machado
Ver Cristo pela Comunidade Verbum Dei
<<
1/
>>
Imagem
Para esta semana, vamos dar a conhecer na primeira pessoa a Mariana Machado, da Família Missionária Verbum Dei e o seu percurso de vida e missão!

 

Natural do Porto, com o coração dividido com Lisboa

Chamo-me Mariana, tenho 22 anos, sou licenciada em ciências psicológicas e encontro-me neste momento no último ano de mestrado em Psicologia da Saúde. Sou natural do Porto, mas desde muito cedo mudei para Lisboa, mas confesso que tenho o coração dividido entre Lisboa e Porto.

 

Crescer num ambiente católico e assumir-se como tal

Sempre cresci num ambiente Católico, desde a minha família aos colégios que frequentei, mas posso dizer que só a partir de 2007 (14 anos) é que realmente me ‘assumi’ como Católica. Foi o ano da minha entrada para a Comunidade Verbum Dei, mais precisamente para Grupos de Jovens Fraternos do Campo Grande. Esta entrada é, sem dúvida, uma das minhas marcas de vida. Foi aqui que descobri o meu Eu, o meu espaço para ser quem eu era e poder partilhar aquilo que ia sentindo e vivendo por dentro, o meu crescimento e acima de tudo foi quando iniciei a minha relação com Deus. A Comunidade Verbum Dei proporciona-me um crescimento interior profundo e integral através da Oração, Palavra de Deus, e testemunho de vida, além de uma vivência com uma família de Fé. A 30 de maio de 2010 recebi o Sacramento do Crisma, mais um marco neste meu percurso. A confirmação de dizer sim, e de receber o Espírito Santo e de querer continuar a viver com Jesus. Foi um dia intenso e muito bonito.

Estive cinco anos como “ animanda”, trocando por miúdos, estive apenas a receber aquilo que os grupos me tinham para oferecer, anos de conhecimento, crescimento, aprofundamento de mim, da minha relação com os outros e com Deus, até que chegou ao dia em que também era a minha vez de dar àqueles que entravam nos grupos. Assim, em 2011 (até hoje), comecei animar e a também integrar a Equipa Coordenadora dos Grupos de Jovens do Campo Grande. Novos desafios, novas perguntas, novas inquietações. Agora era a altura de ajudar os outros a terem um caminho também nesta comunidade, a poderem conhecer um Deus que é Pai e que diz a cada um que é ‘Precioso aos Seus Olhos’, que tem tanto Amor aos seus filhos que não os abandona. A responsabilidade é grande(!), mas é com muito gosto e orgulho, e acima de tudo por sentir que é um convite de Deus a estar aqui, que estou.

 

Missão em três palavras: Oração, Agradecimento, Semear

Outro marco na minha vida aconteceu este ano, a 23 de julho de 2014, rumei a Cabo Verde com mais 25 jovens para termos uma experiência de Missão Verbum Dei durante um mês. Fomos convidados pelo Bispo de Mindelo, Dom Ildo Fortes, a ter esta experiência, e aceitámos! Estivemos em duas ilhas: São Vicente – Mindelo (15 dias) e em Santo Antão (15 dias). Durante os nossos dias tivemos sempre com jovens Cabo-Verdianos. De manhã, tínhamos formação, onde trabalhámos, entre outras coisas, o ser Igreja, as imagens de Deus, o Pai-Nosso; e, à tarde, preparávamos os campos de férias que fizemos com os mais pequenos na semana a seguir.

E acho que resumia este mês em três palavras: Oração, Agradecimento, Semear. Foi uma experiência de Oração diária, e que bem que soube! Saber que todos os dias tinha espaço e tempo para a minha oração, e ver a diferença que fazia o poder centrar-me todos os dias na missão, em mim, nos outros e sempre com Jesus. Foi um privilégio imenso! Ajudou-me a perceber que uma vida orante faz toda a diferença na forma como estamos, como nos damos aos outros, como nos comprometemos com as diferentes dimensões da nossa vida e acima de tudo, dá-nos outra perspetiva da nossa vida e daquilo que vamos vivendo. Vim de Cabo Verde a ser conscientemente agradecida, por aquilo que sou (ainda que falhe muitas vezes neste agradecimento), por aquilo que tenho, e por aquilo que Deus vê em mim e faz de mim. Acho que precisamos de mais tempo de silêncio para sabermos agradecer… Somos uns privilegiados! E semear, acho que foi o grande objetivo da missão, semear a Oração, semear a Palavra de Deus, semear o testemunho de vida no povo cabo-verdiano. Mas semeámos e recebemos muito também: a generosidade de um povo que, comparado connosco, pouco tem, mas ainda assim tem sempre um sorriso para dar, um abraço, um lanche; uma simplicidade de acolhimento muito grande, fizeram de Cabo Verde rapidamente a nossa casa; uma entrega gigante, testemunhos de vida muito grandes, e acima de tudo recebi a noção de que aquilo que é diferente de mim é tão Sagrado como aquilo que é semelhante a mim.

 

Uma proposta de vida: o amor!

Hoje sei que a há um Deus que acolhe todos, sem exceção, se tivermos disponíveis para isso. E que tem um grande convite para uma proposta de vida que nos deixa muito mais felizes, que é ‘tão simples’ como: O Amor.

testemunho de Mariana Machado
A OPINIÃO DE
Pe. Alexandre Palma
Seria mau sinal se já tivéssemos arrumado o tema do Sínodo. Não estamos livres de que isso aconteça.
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Vão-se multiplicando os exemplos e sinais de que o diálogo inter-religioso é hoje um poderoso meio de construção da paz.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES