Especiais |
Missão País
Jovens universitários que incendeiam o coração dos que precisam
<<
1/
>>
Imagem

Através da Missão País, mais de 1800 jovens universitários tentaram, mais um ano, responder ao convite do Papa Francisco: “Sair ao encontro do outro”! Foram 32 as faculdades que aceitaram o desafio de evangelizar Portugal, através do testemunho de Fé, esperança e caridade.

 

Motivados pela alegria de O encontrar, estes jovens missionários continuam a dar uma semanas das suas férias entre semestres para se aproximar de quem mais precisa e das realidades mais sozinhas e afastadas de Deus. “Sair ao encontro do outro”, pede-nos tantas vezes o Papa Francisco! Como podemos recusar este convite que o Santo Padre nos faz? Como podemos não levar esta alegria que levamos nos nossos corações? Este arder de coração que sentimos quando reconhecemos a presença de Jesus nas nossas vidas?

“Não te ardia o coração?” foi o lema que guiou a Missão País este ano. Uma pergunta lançada a todos os que são capazes de reconhecer a presença de Cristo nalgum momento da sua vida, sentindo algo interiormente que não se explica. Recebida esta chama que arde no nosso coração, somos chamados a levá-la em missão e incendiar o coração daqueles que encontramos no nosso caminho.

 

Levar Cristo por Portugal fora

A Missão País nasceu da vontade que uns estudantes tinham de ter, na sua faculdade, algo que os pudesse aproximar de Deus. Sendo o seu local de estudo o sítio onde passavam uma grande parte do seu tempo, sentiam a necessidade de aí poderem falar sobre uma parte tão importante da sua vida - Jesus. Assim, seguindo o exemplo de Nossa Senhora, Ela que é a Grande Missionária, deixam tudo e partem a levar Cristo por Portugal fora. À primeira vista, poderá não ser claro como uma semana de missão poderia satisfazer tal desejo; no entanto, embora só estejam juntos em missão durante uma semana, o grupo e a amizade aí criados continuam a dar frutos no dia-a-dia da faculdade.

No fundo, estes missionários não fazem mais do que estar presentes, dar o seu tempo e alegria e testemunhar de uma forma viva o amor de Deus por cada um.

Os habitantes das terras e cidades missionadas sentem-se profundamente agradecidos com a sua presença e vêm neles uma mensagem de esperança. O que não sabem é que a experiência de missão e o contacto com os habitantes locais é uma experiência talvez ainda mais enriquecedora para os missionários. Este laço que se estabelece entre missionários e habitantes, jovens e velhos, pessoas de fé e pessoas sem fé, é a prova viva de que a Missão País é um projecto de Deus e que é um instrumento para a salvação de muitos. E é com esta experiência que se abrem à experiência de Jesus na faculdade.

 

Destacar pela positiva no meio da sociedade

Também nas faculdades de onde estes missionários partem se faz notar a diferença. Muitos começam os chamados “núcleos católicos”, formando grupos de oração, de partilha e também de discussão sobre temas que relacionem os seus estudos e a fé, formando católicos mais próximos de Cristo e que se destaquem pela positiva no meio da sociedade. Destes grupos, surgem também iniciativas sociais, conferências, terços nas faculdades, animação das capelanias das respetivas instituições universitárias. Resumindo: Deus é trazido para a faculdade e é vivido no dia-a-dia de mais e mais estudantes universitários.

Para além de tudo isto, a Missão País está já a contagiar outros países da Europa! Este ano, apoiados no exemplo da Missão País de Portugal, a Universidade de Direito de Madrid fez já a sua segunda missão, criando um vínculo entre os jovens dos dois países e provando que a Missão País é, de facto, um projeto e ação de Deus.

 

“Maratona” de Adoração

Para concluir este ano de Missão, no passado dia 14 de março, tal como todos os anos, realizou-se a Missa de Ação de Graças da Missão País. Tradicionalmente, trata-se de uma Missa que reúne os missionários de todas as diferentes missões, dando graças por tudo o que, através de Deus, lhes foi permitido construir. Este ano, respondendo ao desafio do Papa Francisco, decidiram ir ainda mais longe. A Missa foi precedida por uma “maratona” de Adoração ao Santíssimo (perto de 24 horas) na Igreja de São Domingos, no Rossio, organizada por turnos das várias missões, velando junto do Senhor toda a noite. É incrível constatar que Jesus é um argumento suficientemente válido para juntar mais de 800 jovens em oração e que também em Lisboa se pode transmitir um exemplo de fé para os que os rodeiam. Como já tem sido hábito, a celebração deste ano foi presidida pelo Cardeal-Patriarca, D. Manuel Clemente, que tão amigo é da Missão País, e que recordou a enorme responsabilidade que é levar a Cruz do missionário ao peito. Na verdade, todos somos “o rosto e as mãos de Cristo na terra” e, através de nós, Ele fará milagres. Somos nós jovens que devemos levar Cristo a todo o lado e que Lhe devemos entregar as nossas vidas, para que Ele possa atuar no Mundo.
Todos os que vivem esta alegria em Cristo são chamados a missionar e contagiar os corações dos que precisam. E, para isso, não é preciso ir para longe, para os confins do Mundo. Podemos e devemos missionar aqui, no nosso país, que tanto precisa de nós para continuar a inspirar gerações que vivam a Fé Católica em Missão”!

texto por Margarida Barreiros Cardoso e Tomás Líbano Monteiro, Missão País
A OPINIÃO DE
José Luís Nunes Martins
Aquilo que somos depende do que fazemos com o que recebemos. A nossa primeira responsabilidade será...
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Dialogar, escutar, discernir: três atitudes a marcar o processo sinodal iniciado em outubro de 2021 com as fases diocesana e nacional.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES