Migrações |
Migrações
A Igreja do Corpo Santo e os Católicos de Língua Inglesa
<<
1/
>>
Imagem

A Igreja do Corpo Santo, perto do Cais de Sodré, é hoje o domicílio espiritual de uma animada comunidade de Católicos de língua inglesa e de um considerável grupo de Filipinos, que se juntam como uma só paróquia, sob a proteção dos frades dominicanos portugueses que residem no Convento de Nossa Senhora do Rosário, de que o edifício da igreja faz parte. A nossa paróquia também recebe, todas as semanas, muitos visitantes, uma vez que somos a única igreja no centro de Lisboa que oferece uma Missa semanal, regular, em Inglês.

 

A manutenção desta Missa não tem sido fácil nos tempos de hoje. Perto do fim do Séc. XX, os frades dominicanos irlandeses tomaram a difícil decisão de se transferirem para o Centro de Atividades da paróquia em São Pedro do Estoril com o fim de proporcionar apoio pastoral para as muitas famílias de língua inglesa que residem no Estoril e em Cascais. O decréscimo do número de padres disponíveis para trabalhar fora da Irlanda, significou que no princípio do Séc. XXI já não podiam garantir a disponibilidade de uma Missa de fim-de-semana no Corpo Santo. Mas o Senhor é grande na Sua bondade e, desde então, tem-nos providenciado sacerdotes de um grande número de origens, incluindo três secretários da Nunciatura Apostólica em Lisboa que deram generosamente do seu tempo e da sua amizade para apoiar a nossa paróquia. Hoje, afortunadamente, temos a assistência de dois sacerdotes do Verbo Divino e um da Congregação dos padres do Divino Espirito Santo. Com a sua assistência temos uma garantia não só de uma Missa Dominical mas também da catequese das nossas crianças, em colaboração com o nosso pároco irlandês, o Padre Gus Champion O.P. Somos ainda abençoados com o apoio constante do prior da comunidade de Dominicanos Portugueses residentes no Corpo Santo e, ainda, das Religiosas Dominicanas Irlandesas do Convento de Nossa Senhora do Bom Sucesso.

Foi no Séc. XVII que os dominicanos irlandeses, de baixo da liderança do padre Dominic O’Daly O.P., fundaram em Lisboa um colégio e uma igreja, cuja finalidade era a de receber, hospedar e formar jovens irlandeses que queriam ser ordenados sacerdotes, o que era impossível no seu país. Após a sua ordenação voltavam para a Irlanda clandestinamente. Nessa altura o seminário era conhecido como o Seminário dos Mártires porque muitos dos padres ordenados em Portugal vieram a enfrentar o martírio da Irlanda.

O Padre Dominic O’Daly também esteve envolvido no estabelecimento do Convento de Nossa Senhora de Bom Sucesso, fundado por uma senhora da nobreza portuguesa, D. Iria de Brito, Condessa de Atalaya, para dar guarida às jovens mulheres irlandesas que desejavam dedicar as suas vidas a Deus, uma vocação que era impossível na Irlanda nesses tempos conturbados. Hoje as oito Irmãs Dominicanas dão à nossa paróquia grande apoio espiritual e moral, e ajudando-nos na área de catequese de adultos. Providenciam também um centro para a nossa fraternidade de leigos dominicanos. Numa altura em que há um decréscimo pronunciado de vocações religiosas, juntamos as nossas vozes às das Irmãs, na procura de uma forma de dar continuidade ao trabalho importante que desenvolvem nas áreas da educação e na de auxilio social e pastoral quando a idade e a enfermidade são obstáculo a que a comunidade possa continuar o seu trabalho.

A presente igreja de Corpo Santo não é a original, que foi destruída pelo terramoto de 1755. A presente igreja foi construída em 1770. Hoje, o Convento de Nossa Senhora do Rosário e a sua igreja do Corpo Santo encontram-se precisamente no Largo do mesmo nome, perto do Tejo.

Curiosamente, no princípio do Séc. XX tornou-se também o refúgio de famílias católicas portuguesas, quando as autoridades encerraram todas as igrejas, com a exceção das que eram propriedade estrangeira como, por exemplo, as de Nossa Senhora do Loreto (italiana) e S. Luís dos Franceses (francesa). Além destas, a igreja era frequentada por gente de língua inglesa e era nesta igreja que uns e outros traziam as suas famílias para que os seus filhos fossem formados e preparados para receber os sacramentos.

E foi no Corpo Santo que, em 1916 e com grande pompa, a Ordem Dominicana, em Portugal, celebrou os 700 anos da sua fundação.

Foi no período pós II Guerra Mundial, no fim da década de 40, que começavam a vir para Portugal refugiados da China, mas de origem portuguesa, que estavam habituados a ter paróquias de língua inglesa na China, e que foram autorizados a fazer do Corpo Santo o seu local de culto e, em parte, de vida social.

Seguiram-se outras ondas de “refugiados” quer por razões políticas, quer económicas.

Na década de 60 vieram Católicos de Goa, na década de 80 Católicos das Filipinas e a partir de 1990 começaram a vir para Portugal Católicos da Nigéria, para além de outros de outros países de África.

Em 1971, o Cardeal-Patriarca, D. António Ribeiro, estabeleceu o Corpo Santo como paróquia dos Católicos de Língua Inglesa na Diocese de Lisboa.

Em 2000, na Missa de Ação de Graças na Sé, para celebrar o Jubileu do Milénio, o grupo do Corpo Santo representava quinze nacionalidades: Alemãs, Austríacos, Dinamarqueses, Escoceses, Ingleses, Franceses, Portugueses e Ucranianos; da China e de Goa; da África do Sul, da Nigéria e do Zimbabue; dos EUA e do Canadá.

Assim, como dizemos no nosso “Vision Statement” somos uma família multi-étnica e multi-cultural, constituindo uma comunidade de língua inglesa que procura uma verdadeira integração e inculturação dos seus membros e, também, um espirito ecuménico, pela participação em atos de culto com outras igrejas Cristãs, de língua inglesa, na Diocese de Lisboa. E colaboramos com a Igreja em Portugal, particularmente na Diocese.

Acima de tudo tentamos que a nossa paróquia seja uma comunidade de oração, solidariedade e amor.

 

Informações: www.irishdominicansinportugal.com

texto pela Comunidade Inglesa no Patriarcado de Lisboa
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Na semana passada li uma entrevista com um candidato a deputado (cabeça-de-lista) pelo circulo eleitoral do Porto.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Com “missão nas férias” não quero propor programas de férias missionárias, nem dizer que a missão está de férias.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES