Família |
Mensagem do Cardeal-Patriarca
Festa da Família: 17 de Maio no Mucifal, Colares
<<
1/
>>
Imagem

Aproxima-se 17 de maio, Domingo da Ascensão e Festa Diocesana da Família! Excelente oportunidade para nos encontrarmos e celebrarmos a verdadeira "ascensão" das nossas vidas com Cristo para Deus.

Ascensão que começa precisamente nas famílias em que nascemos e onde aprendemos a viver uns dos outros e uns para os outros, na variedade das pessoas e das gerações que se sucedem e acompanham. A família, tão potenciada pela graça de Cristo no sacramento do Matrimónio, torna-se assim em "Igreja doméstica" e escola de vida eterna, pois o verdadeiro amor nunca acabará.

Isto festejaremos a 17 de maio. Partilhando e realçando a vida de tantos casais que comemoram bodas mais marcantes, mostrando como é bom e possível viver o sacramento do Matrimónio e levar por diante os propósitos com que constituíram as suas famílias. Aliás, para nos reconstituirmos como sociedade, precisamos do contributo de casais e famílias estáveis, como escolas de fidelidade e solidariedade.

Na Igreja Católica prossegue o Sínodo dos Bispos, para reforçar a missão da família na Igreja e na sociedade. No nosso Patriarcado de Lisboa preparamos o Sínodo Diocesano de 2016, para concretizar "o sonho missionário de chegar a todos". Na próxima "Festa da Família" esse sonho incide muito especialmente em "chegar a todas as famílias".

- Lá vos espero!

+ Manuel, Cardeal-Patriarca

 

- - - - - - - -


Testemunhos: A preparação da Festa da Família

 

Queremos convidá-los a todos para a nossa Festa da Família onde todos são importantes. Têm que cá estar!

Paula e Zé Luís Bernardino, Rio de Mouro

 

Queremos que seja um dia de festa onde toda a gente fale, comunique, se conheça. Venham que podemos todos crescer um pouco mais em conjunto.

José Miguel e Emília, São Marcos

 

Venho convidar todas as famílias a estarem connosco no dia 17 de Maio no Mucifal. Venham porque vale a pena.

José Delgado, Agualva

 

Estamos muito felizes pois vamos também entrar nos casais com 50 anos de casados.

Maria dos Prazeres Ritto e José, Mira Sintra

 

É bonito ver a união que existe entre as famílias. O ano passado foi em Mafra e ver muitas famílias juntas com bastantes filhos pequeninos é muito bonito. Que este pic-nic ajude a sociedade a dar um valor maior à família do que ela tem hoje.

Casal Rodrigues, Cacém

 

Nestes tempos complicados que o nosso país tem atravessado, as coisas em Portugal não atingiram o ponto de complicação que poderiam ter atingido exatamente porque existe a tradição de uma família unida e forte e acho que é essa riqueza que temos que ajudar a desenvolver.

Frederico Melo Franco, Colares

 

Estou envolvido neste projeto da Festa da Família, dando seguimento a esta prioridade do Sr. Patriarca, que apontou nesta caminhada sinodal diocesana dois pilares que são o acolhimento e a família. E neste contexto de sínodo de família, é com muita alegria que recebo na Paróquia de Colares e na Vigararia de Sintra este encontro que pretende ser mais uma vez um convívio entre famílias tendo consciência da missão importante que a família tem hoje no mundo na sociedade e também na Igreja para que todos possamos descobrir a importância deste chamamento em família e cada um procure viver na família a sua missão.

P. José António, pároco de Colares

 

- - - - - - - -


Celebração das bodas matrimoniais

Na festa da família serão comemoradas as Bodas Matrimoniais (10º, 25º e 50º aniversários do Matrimónio) de todos os casais que celebrem este aniversário durante o ano de 2015. Caso conheça algum casal que celebre este ano alguma destas bodas, poderá fazer a sua inscrição através do site http://familia.patriarcado-lisboa.pt/festa-da-família/inscrição.

 

- - - - - - - -


Exposição das cruzes floridas

A Pastoral da Família convida todas as famílias a trazerem a sua cruz florida à Festa da Família para podermos fazer uma grande exposição, partilhando assim a beleza dos trabalhos que se foram desenvolvendo neste tempo pascal em cada família. Essas cruzes serão abençoadas pelo Senhor Patriarca para que depois cada família leve a cruz a uma pessoa, família ou instituição como sinal de ressurreição, esperança e alegria.

  

 ____________________


Familarmente: O namoro cristão

 

Muito se fala acerca do matrimónio, ouvimos muitos testemunhos acerca do que é ser uma família verdadeiramente cristã, existem grupos e movimentos direccionados a casais, mas pouco ainda se fala acerca do namoro cristão. Qual é o lugar que Cristo pode ter na vida de um par de namorados?

O namoro é um tempo próprio para conhecer o outro, as características da sua personalidade, o seu passado, os seus gostos, as suas maiores preocupações, a forma como cada um projecta o futuro, o olhar que têm sobre o futuro a dois, e a família que ambicionam constituir. O tempo do namoro é o momento propício para o discernimento acerca de uma relação que no futuro pode culminar no matrimónio e na construção de uma família cristã.

Quando os namorados deixam que Deus entre na sua relação, estão a começar a construir os alicerces fundamentais para a constituição de uma família centrada no Essencial. E como é que Deus entra no dia-a-dia dos namorados? Através da entrega do dom de si ao outro, perceber quem somos, o que Deus quer de nós e como posso fazer da minha vida um dom para aquele que escolhi para meu namorado/namorada; através da partilha de experiências comunitárias, em que ambos se empenham numa tarefa ou projecto em prol do bem do outro; através da leitura e estudo acerca dos ensinamentos da Igreja em matérias relacionadas com o namoro e o matrimónio; e sobretudo através da oração, tão necessária para a fortificação do dia-a-dia.

Devemos olhar o Amor de Cristo por cada um de nós. Ele deu-nos o exemplo para que possamos fazer o mesmo com quem está ao nosso lado, construindo um amor verdadeiro sobre a rocha firme. É bonito ter a preocupação de viver o namoro à imagem daquilo que Deus sonhou para cada um, e que o namoro vivido possa ser exemplo e frutificar. 

O Amor para ser autêntico e verdadeiro, carece de diálogo, de amadurecimento, de querer o bem do outro (em vez do querer sentir-me bem primeiro a mim). “O Amor vive de gratuidade, de sacrifício de si, de perdão e de respeito pelo outro (…) O verdadeiro Amor promete o infinito” (Papa Bento XVI).

O caminho passa inevitavelmente, pela correcta preparação das nossas das famílias. E quando começa? Desde o nascimento em Família, e na Igreja desde a catequese infantil. Se adiamos falar aos nossos jovens, da maravilha, do dom, que é vivermos um namoro em Igreja, sempre inspirado pelo Espírito Santo, ao jeito de Cristo, percebemos e vivenciamos que a nossa vida enquanto namorados, mas também em relação com os outros, pode ter outra dimensão… a dimensão do Amor verdadeiro.

Queixamo-nos muito do estado da sociedade onde vivemos, mas pouco do estado das nossas famílias. A melhor maneira de curar a ferida é tratar dela; usando a expressão, é: “Colocar o dedo na ferida”. Quantos casais, vivem o seu casamento de acordo, com o que a Igreja nos pede? Certamente menos, do que o desejaríamos.

Mas por haver caminho a fazer, é que o podemos fazer. Queremos? Primeiro passo, que pode ajudar: criem um grupo de namorados em cada paróquia, acompanhado de um casal. Na próxima geração estaremos melhores no que há família diz respeito.

Semeamos para alguém colher J

 

texto escrito por Sofia e Bruno de Jesus

 

- - - - - - - -


Testemunho sobre o retiro para namorados (11 e 12 de Abril)

Ouvimos dizer que iria haver um retiro para namorados – pensámos: “há pouca oferta e é algo que nos faz sentido fazer, boa!”. Pesquisamos na internet e descobrimos o tema: Da Castidade à Liberdade para o Dom. Nome complicado, e mais uma vez… Sobre Castidade. Comentámos um com o outro: “espero que o fim-de-semana não seja todo à volta da Castidade, disso já estamos nós habituados em ouvir falar”.

Claramente, não sabíamos do que estávamos a falar! Ainda assim, decidimos arriscar. No dia 11 de Abril às 10h da manhã estávamos no Seminário de Almada. Esse foi o primeiro impacto – uma vista inacreditável sobre o rio Tejo e Lisboa, mesmo junto aos sempre abertos braços do Cristo Rei que como sempre e, especialmente ali, nos estava a abraçar. Contámos também com o apoio de um casal já casado e com 2 filhos, e um padre. Foram todos fantásticos e incansáveis!

Começámos o retiro com missa e, foi aí que percebemos que este retiro tinha tudo para ser especial. Aquilo que nos estava a ser proposto era uma experiência de encontro com Jesus – ver no Bernardo um Dom de Deus para a Raquel, e ver na Raquel um Dom de Deus para o Bernardo. Isto é: ver o outro, não através dos meus olhos “míopes”, mas através dos olhos de Jesus. Encarar o outro, como criação de Deus e por isso, amado por Ele. Não será que isto só faz sentido no casamento ou quando o namoro já está num estágio “mais sério"? Faz sentido encarar o meu namorado/a desta forma desde o primeiro segundo?

Não, este retiro não é só para namorados prontinhos a ir para o CPM (Curso de Preparação para o Matrimónio). Este é um retiro para quem quer viver com Jesus – não a part time, mas a full time. Em todas as componentes da vida! O namoro é um tempo de discernimento – conhecimento do outro, claro. Mas também, de nós próprios e da diferença do homem e da mulher, o namoro é, um caminho de Santidade e, aquela que foi a verdadeira descoberta deste retiro é que, a Castidade é a virtude que defende o amor de todas as formas de egoísmo. No fundo, a Castidade é aquilo que nos permite Amar!

 

texto escrito por Raquel e Bernardo

 

 ____________________


Vai acontecer

Semana da Vida

De 10 a 17 de Maio de 2014 celebra-se a semana da vida, este ano sob o tema "Vida com dignidade – opção pelos mais fracos". A Semana da Vida procura “suscitar o reconhecimento do sentido e valor da vida humana em todos os seus momentos e condições, com uma atenção muito especial à gravidade do aborto e da eutanásia, sem descurar outros momentos e aspetos da vida.”

O Departamento Nacional da Pastoral Familiar elaborou algumas sugestões para cada dia e deixa a todos o desfio de as aperfeiçoarem e até de criarem os seus próprios meios, para conseguirem momentos, pessoais e comuns, de interioridade e partilha. Podemos encontrar algumas destas sugestões nos sites http://familia.patriarcado-lisboa.pt/SemanaVida ou www.leigos.pt.

 

Encontro Mundial das Famílias

A Pastoral da Família do Patriarcado de Lisboa juntamente com o Departamento Nacional da Pastoral Familiar está a organizar uma peregrinação ao próximo encontro Mundial das Famílias que se vai realizar em Filadélfia em Setembro. Neste sentido, estão planeadas duas propostas que pode encontrar em em http://familia.patriarcado-lisboa.pt/EMF. O prazo de inscrições termina a 31 de Maio.

 

Retiro para famílias

Porque por vezes precisamos de parar, abraçar, valorizar e recomeçar. Ou simplesmente porque todos precisamos de espaço de oração e de diversão em família.
Quando e onde: 27 e 28 de Junho no centro diocesano de espiritualidade do Turcifal.
Tema: Ser uma melhor família: transformar crises em oportunidades
Inscrições: http://família.patriarcado-lisboa.pt/Retiro

textos pela Pastoral Familiar de Lisboa
A OPINIÃO DE
Pe. Alexandre Palma
Vivendo numa época pródiga em tantos progressos tecnológicos, talvez nos surpreenda verificar que a...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Grande clamor e indignação suscitou a proposta (entretanto retirada) da Comissão Europeia de aconselhar/proibir...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES