Família |
Dia 8 de maio, na Casa do Gaiato
Convite de D. Manuel Clemente para a Festa da Família
<<
1/
>>
Imagem

Em plena alegria pascal, convido-vos a todos para a Festa da Família. Este ano, desenrola-se sob o lema: «Viu-o e encheu-se de compaixão», que refere a parábola do Bom Samaritano e a maneira como olhou para aquele homem caído no meio da estrada, e depois o levantou e cuidou dele.

Sabemos bem que o Bom Samaritano por excelência é Jesus Cristo, que assim olhou para todos, especialmente para os mais maltratados e sofridos no corpo ou no espírito. E também sabemos como, agora ressuscitado, nos olha da mesma maneira pelos olhos de quem é tocado pela sua compaixão e a reflete para os outros.

Uma família, pela graça do sacramento do Matrimónio, recebe essa mesma compaixão de Cristo, para a ativar entre si e a alargar em redor. Por isso mesmo, a família é "Igreja doméstica", coração de Cristo no mundo e olhar de Cristo para todos. Grande graça, grande missão e grande responsabilidade!

E muitas conseguem ser assim, como eu próprio tenho testemunhado. Cuidam uns dos outros, sãos ou doentes, mais novos ou mais velhos. Perdoam-se e reencontram-se, "puxam" uns pelos outros no sentido do bem. Algumas famílias chegam a partir para outras terras em missão ou voluntariado durante mais ou menos tempo. Outras dedicam parte do Verão em campos de férias para gente nova, que são ocasião de alegria sã e edificante para todos...

Na Festa da Família também daremos graças por casais que perfazem várias etapas da sua vida familiar, de 10 a 25, 50 ou mais anos. Em todos celebraremos a compaixão de Cristo que os apaixonou a eles e assim os mantém!

Este ano, também será a Festa da Vida, com os adolescentes do 8º ano da catequese. É sempre da mesma realidade que se trata, a compaixão de Cristo que nos faz viver – pois viver é conviver. Por isso os convido também para esse grande dia de nós todos.

Até 8 de Maio!

 

+ Manuel, Cardeal-Patriarca

 

 

_____________


Festa da Família e da Vida

No Domingo da Ascensão, dia 8 de Maio de 2016, celebraremos a Festa da Vida e da Família (Jornada Diocesana da Família).

A Festa decorrerá na Vigararia de Loures-Odivelas, na Casa do Gaiato (Santo Antão do Tojal), sob o tema "Viu-o e encheu-se de compaixão" (Lc 10,33).

Este ano o Departamento da Catequese associa-se a esta celebração. Os adolescentes do 8º volume da catequese de toda a Diocese são convidados a celebrar a Festa da Vida na manhã de dia 8, na Escola João Vilaret no Infantado (Loures), e a participar na Festa da Família durante a tarde desse dia.

 

O Programa da Festa é o seguinte:

10h00: Acolhimento

10h30: Oração da manhã

11h00: Feira Familiar

13h00: Piquenique

14h00: Animação Musical e Testemunhos

16h30: Eucaristia com celebração das bodas matrimoniais

18h00: Regresso a casa

 

Programa da Feira Familiar

A partir das 11h estão disponíveis muitas atividades na Feira Familiar. Poderão, por exemplo, visitar a Quinta Pedagógica, participar nos jogos tradicionais e no Geocaching. Podem também visitar os stands informativos e o espaço de oração, participar num dos workshops ou assistir à apresentação de um livro. Haverão também atividades específicas para os mais novos.

Workshops: Apreciação da fertilidade (Associação dos Enfermeiros Católicos); "A misericórdia na ligação emocional com os filhos" (Família e Sociedade); “Como viver as obras da misericórdia na família” (CENOFA); “O que é a Vida Eterna?” (Comunidade Emanuel); "A política como misericórdia" (Federação Portuguesa pela Vida); "Sinais de alerta no vida do casal" (Movimento das Famílias Novas - Focolares); Encontro Mundial das Famílias em Filadélfia - um testemunho (Elsa e Ricardo Irédio - SNPF); “A fé em Família” (Equipas de Nossa Senhora); “Comunicação na vida do Casal” (Encontro Matrimonial); “Comunicar em família” (Equipa da Pastoral da Família da Vigararia de Sintra). Apresentação de um livro para crianças: “As minhas orações” (Booksmile); e Apresentação do livro “A família gera o mundo” - catequeses do Papa Francisco sobre a família (Paulus).

 

Celebração das bodas matrimoniais

Todos os casais da Diocese que celebram 10, 25 e 50 e mais anos de casamento ao longo do ano 2016 são convidados a celebrar as Bodas Matrimoniais durante a Eucaristia da Festa da Vida e da Família.

As inscrições devem ser efetuadas até dia 5 de Maio em www.familia.patriarcado-lisboa.pt/festadafamilia.

 

Atividade de preparação – Dezenas de Famílias

Desafiamos as famílias da nossa Diocese a construir uma dezena do Rosário, e participar de uma novena pelas Famílias: 9 dias de oração pelo bem da Sua e de todas as famílias da Diocese.

A dezena construída servirá de suporte à oração da Sua família durante a novena e deverá ser levada para a Eucaristia da Festa da Família, onde será benzida e oferecida a outra família. Cada dezena deverá ser acompanhada por um boletim indicando “Dezena feita pela família….” e “Pedimos que rezem por…”.

Queremos construir uma corrente de oração. A Igreja é uma grande família de famílias!

 

_____________

 

1ª Catequese Preparatória para a Festa da Família: O Matrimónio

 

Para melhor preparar a Festa da Família, propomos algumas catequeses que podem servir de base à oração familiar ou à reflexão em grupos.

 

Nas suas audiências gerais de quarta-feira, o Papa Francisco tem vindo a partilhar connosco a sua reflexão sobre diversas temáticas relacionadas com a Família. Hoje destacamos duas catequeses sobre o Matrimónio, proferidas em 29 de Abril e 6 de Maio de 2015.

Recorda-nos o Papa Francisco que “a obra-prima da sociedade é a família: o homem e a mulher que se amam”.

Porém, as pessoas casam cada vez menos e aumentam as separações - inclusive entre os batizados. Porquê, se sabemos que “quase todos os homens e mulheres gostariam de ter uma segurança afetiva estável, um matrimónio sólido e uma família feliz”? Diz-nos o Papa que prevalece uma cultura do provisório, que muitos cristãos, pelo receio de errar, não pensam no matrimónio sacramental, e esse receio torna-se um obstáculo para receber a palavra de Cristo, que promete a sua graça à união conjugal e à família.

Precisamos, portanto, de dar bom testemunho sobre como é bom e belo ser esposos cristãos! Como diz o Papa, “ não há modo melhor para transmitir a beleza do Sacramento!”

Sim, o matrimónio cristão é um sacramento, um sinal visível da graça de Deus. O amor entre os cônjuges é imagem do amor entre Cristo e a Igreja, pelo que os casais são chamados a um amor fiel, fecundo e perseverante, entregando-se constantemente pelo bem do outro. Tomar conscientemente a decisão de «desposar no Senhor» é uma decisão corajosa e que tem em si “uma dimensão missionária, que significa ter no coração a disponibilidade a ser porta-voz da Bênção de Deus e da graça do Senhor para todos.”

A fidelidade dos esposos à graça do seu sacramento é no mundo um grande sinal de esperança.

 

texto por Catarina Luís Fortes

 

Catequeses na íntegra

Poderá ler as catequeses na íntegra em http://goo.gl/yg9Csa e http://goo.gl/4PDkgw.

 

_____________

 

Catequese Doméstica: A Família no plano de Deus (nºs 35 a 41 do Relatório final do Sínodo dos Bispos)

 

Depois de olhar para a realidade familiar no nosso tempo, a segunda parte do relatório final do sínodo dos Bispos contempla a família no desígnio de Deus. Afirma o documento que é fundamental que saibamos o que a Igreja ensina sobre a família à luz da Sagrada Escritura e da Tradição. Os participantes do Sínodo afirmam que esta «palavra corresponde às expetativas humanas mais profundas de amor, verdade e misericórdia, e desperta potencialidades de dom e de acolhimento, inclusive nos corações feridos e humilhados» (nº35).

Este primeiro capítulo da segunda parte deste documento aborda a temática da família na história da salvação. Começa por afirmar que devemos compreender o sacramento do matrimónio na continuidade com matrimónio das origens, baseado na ordem da criação (cf. nº37).

Nas palavras de Jesus sobre o matrimónio podemos reconhecer três etapas fundamentais no plano de Deus. Ao princípio, quando Deus criador instituiu o matrimónio primordial. Deus não só criou o ser humano masculino e feminino, mas também os abençoou para que fossem fecundos e se multiplicassem. A segunda etapa refere-se a esta união ferida por causa do pecado, e aqui no seio da tradição de Israel, encontramos a monogamia e a poligamia, a estabilidade e o divórcio. É também nesta fase que encontramos a concessão de Moisés sobre a possibilidade do divórcio. Por fim, a reconciliação do mundo caído, com a vinda do Salvador, onde se reintegra o projeto divino originário e se conduz a história do Povo de Deus a uma nova realização. (cf. nº40) Assim o matrimónio torna-se sinal do amor de Cristo pela Igreja, um amor uno, fiel, indissolúvel e fecundo.

Em toda a vida de Jesus a realidade familiar está presente. A maior parte da vida de Jesus acontece no seio da Sagrada Família em Nazaré. O início da vida pública acontece nas Bodas de Caná, vemos Jesus presente na família de Lazaro, de Pedro. Jesus atende os prantos dos pais pelos filhos doentes, revela o Evangelho da misericórdia na vida familiar com o perdão da mulher adúltera, no encontro com a Samaritana.

Por fim, a Palavra e o comportamento de Jesus mostram claramente que o Reino de Deus é o horizonte de todas as relações. Os laços familiares, sendo fundamentais, não são porém absolutos, pois todos são chamados a fazer parte da família de Deus - essa é a realidade definitiva (cf. nº41).

 

texto por P. Rui Pedro Trigo Carvalho

A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
1. Em setembro de 2008, cerca de 800 pessoas de todas as Dioceses de Portugal participaram em Fátima...
ver [+]

José Luís Nunes Martins
A vida é feita de inúmeras perdas. Todos os dias o nosso caminho segue enquanto há algo que temos de deixar para trás.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES