Especiais |
Nova sede da Rádio Renascença
Uma rádio que emite e escuta
<<
1/
>>
Imagem
Video

Não muda apenas a casa. Para a nova sede do Grupo Renascença, na Quinta do Bom Pastor, vão quase 80 anos de história e uma marca reconhecida que pretende “evoluir” e tornar-se “profundamente comunicativa”. Conheça o novo espaço, na antiga Casa de Retiros da Buraca, em Lisboa, que “vem cimentar a marca Renascença”.

 

O dia 13 de maio de 2016 marca uma nova era para o Grupo Renascença. É na Quinta do Bom Pastor, a norte da cidade de Lisboa, que as rádios e empresas do grupo se preparam para responder aos novos desafios da comunicação em Portugal. As instalações históricas da Rua Ivens, em pleno Chiado, deram lugar a uma sede moderna e pensada para projetar uma rádio que não se limite a emitir. “Pretendemos que a mudança não aconteça apenas ao nível das instalações. A antiga sede já não correspondia àquilo que eram as necessidades de expansão das empresas e rádios do grupo”. Quem o diz é o presidente do Conselho de Gerência da Renascença, cónego João Aguiar Campos, que foi o cicerone nesta visita do Jornal VOZ DA VERDADE às novas instalações do grupo que é detido pelo Patriarcado de Lisboa (60%) e pela Conferência Episcopal Portuguesa (40%).

Para o sacerdote, nestas funções desde 2005, a mudança de casa traz muitas vantagens para o futuro. “As pessoas que trabalhavam à distância, embora no mesmo local, podem agora fazê-lo ‘olhos nos olhos’”. No grande open space da rádio Renascença, que é apontado como uma das mais-valias deste novo espaço, não estarão apenas os profissionais ligados à informação mas também todos os comunicadores da emissora. Assim, “o produto já poderá nascer como elaborado, por todos, desde a semente. Desta forma, o resultado final será muito mais condizente”, garante o cónego João Aguiar Campos.

 

História

O quadro que falta pendurar na parede, os telefones que faltam instalar, os televisores que faltam colocar ou os equipamentos que faltam testar, marcam o frenesim próprio de uma equipa empenhada, dia e noite, para ter tudo pronto a tempo da inauguração do dia 13, sem comprometer as emissões regulares. “Nestes dias, temos gente a trabalhar dentro e fora de horas para que tudo esteja pronto, sem nunca sair do ar porque uma rádio emite durante 24 horas. Isto tem exigido um grande esforço de coordenação e capacidade de sacrifício das próprias pessoas”, salienta o cónego João.

A inauguração da nova casa acontece no momento em que a Renascença está prestes a completar 80 anos. No gabinete do cónego João Aguiar Campos, um dos quadros que falta colocar na parede é o que tem a foto de monsenhor Manuel Lopes da Cruz, fundador da Rádio Renascença e, mais tarde, pároco da Basílica dos Mártires, em Lisboa. “Penso que naquele local terá soltado muitas alegrias e, provavelmente, algumas lágrimas – motivadas pelo esforço que o Cardeal Cerejeira lhe pediu para a Renascença, quando lhe disse: ‘Agora, sonha em grande!’. Ele sonhou e, felizmente, continuamos a crescer!”, constata o sacerdote.

 

Rádio que marca

‘Jogo da malaaaa!

O telefone vai tocar

e o Sala vai falar

para um número qualquer.

Vamos lá ver, pois então

Se alguém leva este malão.

O telefone vai tocaaaaaar...

...e já estamos a ligar!’.

São certamente muitos os portugueses que se lembram deste que foi o indicativo do sorteio que acontecia diariamente nas manhãs da Rádio Renascença, no programa ‘Despertar’, de António Sala e Olga Cardoso. Esta e outras memórias da rádio, sinais primeiros de uma interatividade que o grupo quer manter, fazem parte de uma história que ainda hoje marca. “Queremos que a rádio continue a ser relevante, pelas audiências, mas sobretudo pelo impacto, pelo seu serviço à Igreja e à comunidade”, sublinha o presidente do Conselho de Gerência da Renascença, garantindo: “Esta é uma rádio que emite e que escuta. Se quisermos ser uma empresa que tenha obrigação de ser um agente de sentido, temos que perceber quais as grandes questões que a nossa sociedade coloca para podermos responder ou iluminar com os critérios evangélicos que desafiam todo o nosso comportamento”, garante o cónego Aguiar Campos.

Para este sacerdote de 66 anos, proveniente da Arquidiocese de Braga, este novo espaço situado na freguesia de Benfica “vem cimentar a marca Renascença”. “Apesar de ser um canal mais de palavra, queremos que a palavra não seja apenas palavreado mas que seja relevante, e onde a música também seja um pilar imprescindível do próprio canal. Com iniciativas especiais às quais aderimos e com outras, criadas e dinamizadas por nós, a Renascença será uma rádio cada vez mais próxima do país”, projeta.

 

A VISITA COMEÇA AQUI

Conheçamos então as novas instalações... Da Casa de Retiros da Buraca foi mantido o seu traço original e o interior ajustado às exigências de funcionamento do grupo. Por entre os últimos preparos, o cónego João Aguiar mostra, ao Jornal VOZ DA VERDADE, as mais-valias do novo espaço. No auditório, realça as condições e a maior capacidade do espaço que pode “contribuir para fazer uma rádio muito mais interativa”, ao ter a possibilidade de acolher “cantores ao vivo, com público, sessões de informação, debates e programas em direto”.

Também no “corpo central” do edifício, entrando pela receção, encontramos os novos estúdios das rádios do grupo – Renascença, RFM, Mega Hits e Rádio Sim –, que asseguram a “emissão do dia-a-dia, grandes debates ou programas de entretenimento”. Em cada estúdio, uma luz colorida sobre a mesa evidencia a identidade da rádio a que o estúdio pertence. Nestas novas condições, os estúdios ‘abrem-se’ ao exterior através dos vidros que dão para o corredor, permitindo assim a entrada de luz natural. Pelo corredor que circunda os locais de emissão é possível encontrar cabines de apoio e áreas técnicas com oficinas, com acesso direto ao exterior, que garantem a manutenção de todos os equipamentos.

No piso superior aos estúdios encontrámos a nova redação da Rádio Renascença. Trata-se de um open space, organizado em ilhas, onde trabalham juntos os profissionais ligados à informação e entretenimento, nos diferentes horários. Com acesso direto ao exterior, é possível usufruir de um espaço lounge, onde se “podem gravar programas e ter conversas entre colegas”. A separar a redação do corredor existem vitrines que “desfiam a memória da Rádio Renascença”, com prémios e outras lembranças de momentos marcantes da Emissora Católica Portuguesa.

 

Outras condições

Atualmente, o Grupo Renascença conta com cerca de 240 trabalhadores que, nas instalações de Vila Nova de Gaia e, em grande maioria, nas instalações de Lisboa, dão voz e vida às quatro rádios ‘tradicionais’: Renascença, RFM, Mega Hits e Rádio Sim, à promotora ‘Genius y Meios’ e à empresa comercial ‘Intervoz’, e mantêm todas as outras plataformas de comunicação, tais como as redes sociais e os sites das rádios do grupo, cujo volume de visitas tem sido “extraordinário”. Existe “uma grande vantagem com esta mudança”, explica o cónego João Aguiar Campos. “Proporcionamos aos nossos colaboradores outras condições... e até sem a pressão do estacionamento, por exemplo”.

Também os espaços comuns são contemplados no novo edifício, na Quinta do Bom Pastor. No piso térreo, o bar tem capacidade para 40 a 50 pessoas em simultâneo. Nesse espaço, para além de se poderem tomar as refeições diárias, preparadas por profissionais, existem espaços para guardar e aquecer a marmita, trazida de casa. Ao longo de todo o edifício existem também máquinas com refeições simples e mais ligeiras para “alguma necessidade mais premente”.

 

Capital humano

Sem nunca perder a identidade original de uma quinta, o novo edifício está envolvido por espaços verdes, com um pequeno pomar e um “prado já semeado”, aponta João Aguiar Campos, durante a visita. Subindo ao primeiro andar de uma nova casa ‘grande’, mas onde “os espaços não sobram”, o sacerdote destaca a importância dos Recursos Humanos para a empresa. “Queremos que o espaço dos Recursos Humanos não sejam apenas um escritório de processamento de salários mas, desde o recrutamento à formação, tudo tenha de passar por aqui porque são os promotores daquilo que mais importante temos que é o capital humano”, sublinha. Neste primeiro andar de um dos ‘braços’ do corpo central do edifício, encontram-se também salas de reunião, gabinetes da gerência e outros gabinetes de produção e trabalho.

No outro ‘braço’ do edifício, encontram-se os espaços de trabalho destinados a cada uma das rádios, bem como a direção de conteúdos do grupo que, “com reuniões semanais de coordenação, assegura a presença dos assuntos nas diferentes plataformas, cada uma com a sua linguagem própria”, explica o presidente do Conselho de Gerência da Rádio. A publicidade do grupo é gerida pela ‘Intervoz’, que juntamente com o Marketing e a Comunicação e Relações Públicas partilham os espaços seguintes.

Fora da zona de maior bulício, próprio das zonas mais frequentadas, encontra-se o gabinete do assistente religioso, o padre Vítor Gonçalves, pároco de São Domingos, na Baixa, e colaborador semanal do Jornal VOZ DA VERDADE. A seguir, o Centro de Documentação é o local onde se conserva a história. “Preserva-se o essencial. Aqui temos livros, documentos e até vinis… 35 mil!, do tempo do início da rádio. Muitos podem ainda ser tocados!”, frisa, satisfeito, o cónego João Aguiar Campos, a terminar a visita guiada à nova casa do Grupo Renascença, na Quinta do Bom Pastor, em Lisboa.

 

____________________


Cónego João Aguiar Campos

66 anos

Presidente do Conselho de Gerência da Renascença, desde 2005

 

“Tenho a consciência de que foi feito um esforço para melhorar as condições de trabalho dos colaboradores e, sobretudo, para consolidar as condições para que o grupo se desenvolva e cresça nas diversas plataformas, nas suas linguagens para poder prestar um melhor serviço. Fico contente, porque neste tempo de gerência conseguimos fazer isso também no Porto e, agora, em Lisboa. Tenho tido bons ecos e isso consola-me porque o que desejo é que todos se sintam bem e entusiasmados. Nenhum de nós faz rádio para si mesmo... fazemos para quem está do outro lado, prestando um melhor serviço, porque é de serviço que se trata.”

 

____________________


António Mendes, Diretor da RFM

“Aqui encontramos melhores condições, com o espaço, estúdio, equipamento e o ambiente cá fora que nos dá para respirar de forma diferente e para fazer coisas diferentes. Ao olharmos pelas janelas, dá-nos vontade de irmos lá para fora fazer reuniões, programas... O auditório é a jóia da coroa. Tem belíssimas condições!

O desafio da RFM é consolidar o caminho da liderança que está praticamente assegurado. A RFM é uma marca de confiança, temos recebido inúmeros prémios. O ano 2015 foi o nosso melhor ano de audiências, de sempre. Nas redes sociais estamos entre as rádios com mais seguidores no Facebook, com um milhão e meio de pessoas e estamos a crescer bastante no Instagram e no YouTube. É fundamental para as rádios terem pontos de contacto com os seus ouvintes.”

 

Graça Franco, Diretora Editorial da Rádio Renascença

“Este novo espaço vem permitir uma cooperação muito maior com uma diluição dos sectores. Uma rádio é uma rádio e, portanto, é informação, programação e entretenimento. Vamos ter muito mais capacidade de transmitir aos nossos ouvintes que somos uma rádio única, onde colaboramos todos uns com os outros. Esta proximidade física que antigamente nos fazia andar a subir e descer escadas, agora torna a comunicação muito mais fácil. Creio que isso também se irá transmitir aos nossos ouvintes. Temos também muitas capacidades de fazer, neste espaço, muitas iniciativas, incluindo algumas que permitem uma maior interatividade com os nossos ouvintes, por exemplo, com um auditório que nos irá permitir ter debates ao vivo, muitos eventos musicais... vamos poder fazer aqui muito mais festa. A rádio hoje é, sobretudo, multimédia, ou seja, a Rádio Renascença tem vários suportes e todos eles pretendem passar a visão cristã da atualidade... agora com mais meios.”

 

Óscar Daniel, Animador da Rádio Renascença

“Estamos muito entusiasmados! Este espaço representa uma vida nova para todos nós. Estamos a conhecer os cantos à casa, mas creio que a Renascença vai ganhar, quer em termos de espaço, quer a nível de novas condições técnicas de trabalho.

A Renascença tem no seu ADN a proximidade com os ouvintes. Está inscrito em nós.”

 

Joana Gama, Animadora da Mega Hits

“A nossa equipa está muito feliz e grata com esta mudança! Antes, tínhamos também um espaço ótimo mas sentimos que aqui abrimos mais horizontes. Faz-nos ter maior criatividade para desenvolvermos os nossos projetos. Esta é uma das mais-valias deste espaço. Outra, acredito que estimula a cooperação entre vários departamentos. Todos nós temos uma experiência de rádio e temos, por isso, uma linha condutora da nossa ‘espécie’ e, por isso, a sabedoria dos mais velhos alia-se à criatividade não só dos mais novos, mas também ao nosso espírito mais dinâmico. Daqui, podem surgir ótimas ideias em conjunto. Assim, também mostramos para o exterior que sabemos renovar e estamos a par das novas tendências.”


____________________


Capela de São Francisco de Sales

Na Quinta do Bom Pastor, a capela foi mantida tal como se encontrava no espaço que antigamente foi a Casa de Retiros da Buraca. Apenas alguns pormenores foram acrescentados e melhorados. A capela da Renascença terá como patrono São Francisco de Sales, padroeiro dos comunicadores. Terá também uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, lembrando a consagração da rádio. Duas vezes por semana, nas manhãs de segunda e quarta-feira, será celebrada Missa pelo padre Vítor Gonçalves, assistente da Renascença, e pelo padre Dâmaso, sacerdote de 85 anos ligado à história da instituição. A capela estará sempre aberta para ser um espaço de reflexão e oração individual.

texto e fotos por Filipe Teixeira
A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
1. Estamos em plena fase diocesana do processo sinodal, que vai até ao verão de 2022. Importa recordar...
ver [+]

António Bagão Félix
Há uns dias, deparei com um belo texto do sacerdote e teólogo italiano Ermes Ronchi. A certa altura,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES