Roma |
Roma
Papa aos jovens: “Sinto um grande desejo de vos encontrar”
<<
1/
>>
Imagem
Video
O Papa Francisco enviou uma mensagem-vídeo aos jovens que vão participar na Jornada Mundial da Juventude, em Cracóvia, na Polónia, em que Portugal será o nono país mais representado. Na semana em que enviou uma mensagem pelos 800 anos dos Dominicanos, o Papa expressou “dor pelo massacre” de Nice e chegou aos 30 milhões de seguidores no Twitter.

 

1. O Papa divulgou uma mensagem aos participantes na próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ), confessando a sua expectativa pelo encontro em Cracóvia. “Sinto um grande desejo de vos encontrar para oferecer ao mundo um novo sinal de harmonia, um mosaico de rostos diferentes, de tantas raças, línguas, povos e culturas, mas todos unidos no nome de Jesus, que é o Rosto da Misericórdia”, afirmou, num vídeo disponível no YouTube. A intervenção foi publicada esta terça-feira, 19 de julho, a uma semana do início da JMJ, que decorre de 26 a 31 de julho. “Queridos jovens de várias partes da Europa, África, América, Ásia e Oceânia! Abençoo também os vossos países, anseios e passos rumo a Cracóvia, para que seja uma peregrinação de fé e fraternidade”, referiu. Francisco agradeceu também aos jovens polacos que estão a preparar o evento “por tudo aquilo que estão a fazer e pelo amor com o qual fazem”.

A mensagem evoca ainda o tema desta JMJ, ‘Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia’. “Tudo será vivido sob o signo da Misericórdia, neste Ano Jubilar, e com grata e devota memória de São João Paulo II, o artífice das Jornadas Mundiais da Juventude e guia do povo polaco no seu caminho histórico recente rumo à liberdade”, realçou o Papa. A intervenção deixou depois uma palavra para a população polaca: “Sinto que é um grande dom do Senhor ir até vós, porque são um povo que na sua história passou por muitas provações, algumas muito duras, mas avançou com a força da fé, sustentado pela mão materna da Virgem Maria”.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha) e Rio de Janeiro (Brasil), em 2013.

 

2. A organização da Jornada Mundial da Juventude 2016 (www.krakow2016.com/pt), que vai decorrer na cidade polaca de Cracóvia, anunciou esta terça-feira que mais de 335 mil peregrinos de 185 países e territórios confirmaram a sua inscrição no evento. A delegação portuguesa, com cerca de sete mil elementos, é a 9ª mais numerosa entre os inscritos, que, pela primeira vez na história da JMJ, iniciada em 1987, inclui peregrinos do Kosovo, Bangladesh, Gibraltar, Mianmar ou Sudão do Sul. O Brasil aparece nesta lista na 7ª posição, fazendo do português uma das línguas mais faladas na JMJ 2016, a par do polaco, italiano, espanhol e inglês.

O porta-voz da Conferência Episcopal Polaca, padre Pawel Rytel Adrianik, adiantou à Rádio Vaticano que o encontro de Cracóvia será uma “JMJ social”, potenciada pela presença do Papa Francisco. “Esperamos dois milhões de jovens. Se cada um deles tiver pelo menos 500 amigos, alcançar mil milhões de pessoas não é uma utopia”, aponta.

A página da JMJ 2016 no Facebook (www.facebook.com/jornadamundialdajuventude), traduzida em 20 línguas, teve mais de 1,5 milhões de ‘Gostos’ em todo o mundo; a conta no Twitter (www.twitter.com/jmj_pt), em 13 línguas, conta com 220 mil seguidores. Voluntários de 31 países estão empenhados em levar para as redes sociais a mensagem da JMJ.

 

3. O Papa enviou uma mensagem ao Capítulo Geral dos Dominicanos, a decorrer na Itália, em que sublinha a importância da “misericórdia” como fator de credibilidade para a ação da Igreja Católica. “O pilar que sustenta a vida da Igreja é a misericórdia: toda a sua ação pastoral deve ser envolvida pela ternura e nenhum anúncio ou testemunho no mundo pode ser privado da misericórdia”, assinala, num telegrama enviado através do Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin.

A mensagem é dirigida ao mestre da Ordem Dominicana, frei Bruno Cadore, e todos os frades participantes no Capítulo Geral 2016, reunidos na cidade italiana de Bolonha, que termina a 5 de agosto, com uma audiência especial do Papa. “A credibilidade da Igreja passa através das vias do amor misericordioso e compassivo que dá nova vida e coragem para olhar ao futuro com esperança”, sustenta o Papa.

A Ordem Dominicana está a celebrar um ano jubilar, nos 800 anos da sua fundação, com o tema ‘Enviados para pregar o Evangelho’. Francisco deseja que todos os que seguem o carisma de São Domingos de Gusmão (1170-1221), fundador da Ordem dos Pregadores, “compassivo com os pobres e ardente defensor da verdade”, possam testemunhar a misericórdia, para que a sociedade de hoje possa “redescobrir a urgência da solidariedade, do amor e do perdão”.

 

4. O Papa Francisco manifestou, no passado Domingo, 17 de julho, a sua solidariedade à população francesa após o atentado de quinta-feira à noite em Nice, condenando quaisquer projetos de “terror e de morte”. “Nos nossos corações está viva a dor pelo massacre que, na noite da última quinta-feira, em Nice, ceifou tantas vidas inocentes, mesmo de muitas crianças”, declarou, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação da oração do Angelus. Francisco disse estar próximo “de cada família” em luto e de toda a nação francesa, rezando para que “Deus acolha as vítimas na sua paz, apoie os feridos e conforte os familiares”. “Que Ele dissolva qualquer projeto de terror e de morte, para que nenhum homem volte a ousar derramar o sangue do irmão”, acrescentou.

 

5. A conta do Papa na rede social Twitter, ‘@Pontifex’,atingiu a marca de 30 milhões de seguidores, com mais de 2,2 milhões em língua portuguesa, revelou esta semana a Rádio Vaticano. No início deste ano, os seguidores eram 26 milhões; nos últimos dois meses, a conta ganhou um milhão de novos seguidores, atingindo uma média de 16.100 pessoas a cada 24 horas, informa a emissora pontifícia.

A conta do Papa tem atualmente páginas em nove línguas: português, espanhol, inglês, italiano, francês, polaco, latim, alemão e árabe.

Aura Miguel, à conversa com Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Pedro Vaz Patto
L´Église peut-elle disparaitre? – é o título de um livro recentemente publicado pelo historiador...
ver [+]

Tony Neves
‘Comunhão, Participação, Missão’ são as três palavras-chave para a caminhada sinodal que o Papa Francisco propôs para a Igreja.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES