Sínodo 2016 |
Conferência de imprensa
“Mais acolhimento, mais missão, mais trabalho em conjunto”
<<
1/
>>
Imagem

O Cardeal-Patriarca de Lisboa definiu o acolhimento, a missão e o trabalho em conjunto como as prioridades para a diocese. Em conferência de imprensa, no final da Assembleia Sinodal que decorreu de 30 de novembro a 4 de dezembro, D. Manuel Clemente frisou que o Sínodo Diocesano aponta para a necessidade de haver “paróquias mais acolhedoras, mais disponíveis e mais atentas ao que se passa à volta em tempo de crise”, que sejam “uma porta aberta a todos”.

 

Aos jornalistas presentes no Centro Diocesano de Espiritualidade, no Turcifal, o Cardeal-Patriarca referiu-se também à dimensão missionária de todas as paróquias, tanto em sítios longínquos como “do outro lado da rua”, desafiando quem participa numa comunidade cristã a “chegar onde o outro não chega”. D. Manuel Clemente lembrou que na sociedade há muita gente sozinha, que “não tem companhia, precisa serviços mínimos” e lembrou que cada crente deve sair das celebrações “motivado para ir ao encontro de alguém” que precise de ajuda ou esteja doente. O Cardeal-Patriarca fez também questão de ressalvar que quando fala em comunidades mais missionárias “não é preciso ir para a Tanzânia”, pois a missão está, muitas vezes, “no vizinho ou no colega do lado”. E chamou a atenção para o facto de a Diocese de Lisboa, “que vai da capital a Alcobaça e de Azambuja até ao litoral, ter no seu território 100 nacionalidades distintas, com todas as diferenças culturais que isso implica”. “Não queremos que seja cada um para seu lado, em guetos”, observou.

Nesta conferência de imprensa, D. Manuel Clemente referiu ainda que a terceira grande ideia do Sínodo Diocesano é a palavra sinodalidade – de origem grega e que se traduz em português como “o caminho que se faz em conjunto” – revelando que estão previstas na Igreja “instâncias de participação, de sinodalidade, de trabalho em conjunto em geral”. “Na aplicação, ainda há muito para fazer”, assumiu.

A partir de “toda a reflexão” que foi produzida e “votada parágrafo por parágrafo”, no Documento Final, o Cardeal-Patriarca vai agora elaborar a ‘Constituição Sinodal de Lisboa’, que vai ser apresentada esta quinta-feira, dia 8 de dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, durante a celebração das Ordenações, no Mosteiro dos Jerónimos.

 

Nova temporada do musical ‘Partimos. Vamos. Somos.’

Durante a conferência de imprensa, a diretora do Serviço da Juventude do Patriarcado de Lisboa, Cláudia Lourenço, anunciou que o musical ‘PARTIMOS. VAMOS. SOMOS. O musical dos 300 anos do Patriarcado’ vai voltar a subir ao palco do Teatro Tivoli BBVA. Depois de em novembro ter esgotado as seis sessões, o musical vai estar novamente em cena de 12 a 15 de janeiro de 2017, também no Tivoli. “As sessões correram tão bem que fomos desafiados pelo senhor Patriarca para ter mais uma temporada do musical, para que quem não teve oportunidade possa agora ir ver o musical”, explicou esta leiga, que pertence à produção do ‘PARTIMOS. VAMOS. SOMOS.’, que é encenado por Matilde Trocado e com texto do padre Hugo Gonçalves. Os bilhetes vão estar à venda brevemente.

A OPINIÃO DE
P. Duarte da Cunha
Talvez não sejam os temas mais urgentes, mas são, certamente, emblemáticos, para explicar a necessidade...
ver [+]

Isilda Pegado
1. Está já anunciado na Comunicação Social que deram entrada no Parlamento dois projectos de Lei para ampliar os prazos para a prática do Aborto.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES