Missão |
Sara Teixeira
Viver para os outros em nome do amor
<<
1/
>>
Imagem

Sara Teixeira nasceu a 5 de outro de 1986, em Lisboa. É licenciada em Gestão pela Universidade Nova de Lisboa e Mestre em Gestão pelo ISCTE. Em 2014, e durante um ano, fez a formação dos Leigos para o Desenvolvimento e, a 17 de setembro de 2015, partiu por um ano para S. Tomé e Príncipe.

 

Um pilar na sua vida

Nascida numa família católica, foi batizada com cerca de dois meses. Frequentou a catequese do 1º ao 7º catecismo na Paróquia de Santo Agostinho de Marvila e fez a Primeira Comunhão e a Profissão de fé. Após este período afastou-se um pouco da Igreja e da fé para só se voltar a aproximar por volta dos 21 anos de idade. Tem duas irmãs (uma mais velha e uma mais nova) com as quais sempre teve uma relação de forte união e confiança e considera-as um grande pilar na sua vida. O seu percurso profissional foi “sempre na área financeira, tendo trabalhado em multinacionais e numa microempresa”.

 

“Uma nova abertura ao Amor de Deus”

Em 2007 viu um cartaz sobre a sessão de apresentação dos Leigos para o Desenvolvimento e, apesar de não ter feito a formação nesse ano, sente que foi “o ponto de viragem” na sua vida. Nesse ano letivo, fez a formação para o Crisma e “o mais importante: a reaproximação à Fé Cristã”. “Este foi o meu primeiro contacto com a Espiritualidade Inaciana e uma nova abertura ao Amor de Deus”, partilha. Em 2008 recebeu o Sacramento do Crisma, apesar do seu caminho espiritual ter continuado “com altos e baixos”. “Em Outubro de 2014 propus-me novamente fazer a formação pelos Leigos para o Desenvolvimento, pois todos os anos, pela altura do início da formação, algo me chamava, mas eu encontrava sempre alguma desculpa para não O ouvir. Foi um ano de formação muito rico, de grande aprendizagem, um ano de nova reaproximação ao Pai que nos ama e que nos chama a fazer com Ele caminho. Ao longo do ano a vontade de partir ia-se tornando cada vez maior e foi com grande felicidade que confirmei o meu ‘sim’ e fui chamada a ir para S. Tomé e Príncipe”, conta-nos.

 

Viver em missão

No dia 17 de Setembro de 2015 partiu rumo a S. Tomé e Príncipe por um ano. Partiu com “expectativas, anseios, mas principalmente com uma sensação de felicidade e paz”. Sobre o ano de missão, partilha connosco: “Durante este ano trabalhei em projetos na área da educação, ligados à Escola Básica da Boa Morte e com os jovens da comunidade. Desde a gestão do Programa de Apoio Escolar, à formação de professores e à realização de Cursos de Férias era-me pedido para ajudar na capacitação de professores e jovens, numa lógica de continuidade e sustentabilidade dos projetos. No terreno encontramos diversas dificuldades, mas sabemos que contamos com a graça de Deus, que confia em nós e nos pede para ‘semear’. A cada dia que passa sinto-me cada vez mais agradecida por tantas graças recebidas em missão, pelo tanto que aprendi, pelo tanto que recebi. Na comunidade da Boa Morte sentia-me em casa. Que saudades de descer a Boa Morte e ir parando para falar com as pessoas, simplesmente estar presente, andar pelas ruas e ouvir as crianças ‘Sarra’, a sorrirem e com aqueles olhos tão cheios de expressão. Que saudades daquele povo, daquelas ruas, daquela forma simples de vida. Viver em missão, viver para os outros em nome do amor, do Reino de Deus. Ao longo do ano vivi em comunidade com mais seis missionários Leigos para o Desenvolvimento e nem sempre foi fácil conciliar opiniões e gostos de sete pessoas, mas aprendi que quando estamos focados ‘num bem maior’, podemos ultrapassar as diferenças e as dificuldades, ter boas surpresas e viver bons momentos de partilha. Partir como missionária nem sempre fez parte dos meus planos, não era um sonho de infância, mas agora, após o meu regresso a dia 9 de Outubro de 2016, após este ano de missão estou feliz e principalmente agradecida, sabendo que a missão continuará de alguma forma em Portugal”.

texto por Catarina António, FEC – Fundação Fé e Cooperação
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
A encíclica «Fratelli tutti» (FT) é uma corajosa invocação de S. Francisco de Assis, a lembrar-nos que...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Deo gratias! No passado dia 10 de Outubro, foi beatificado Carlo Acutis, um jovem italiano de 15 anos, falecido em 2006.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES