Especiais |
Encontro ACEGE Next, em Lisboa
Construir um modelo empresarial mais sustentável e justo
<<
1/
>>
Imagem
Video

A Fundação Oriente, em Lisboa, recebeu na manhã do passado dia 25 de março o primeiro encontro da ACEGE Next, com o membro-fundador desta associação de jovens profissionais católicos, Luís Lobo Xavier, a destacar a mensagem positiva que o encontro levou.

 

“O encontro correspondeu às expectativas e tivemos a sala cheia. Nós tínhamos três objetivos, o primeiro era juntar um grupo de pessoas que partilhasse estas preocupações e estes desafios, e de facto juntámos quase 150 pessoas na Fundação Oriente e conseguimos – e este era o segundo objetivo – debater e aprofundar esses temas. Tivemos vários oradores que nos ajudaram a lançar algumas pistas sobre estas questões, nomeadamente a conciliação da vida pessoal e profissional, que modelo é que podemos ter para conseguirmos ser não só bons profissionais, mas também bons pais, boas mães, e mesmo os solteiros, ter uma boa vida pessoal. O nosso terceiro objetivo, que eu penso que também foi conseguido, era que este encontro fosse um momento inspirador, ou seja, espero que as pessoas que estiveram no encontro e as que assistiram em casa – porque o encontro foi transmitido em direto, em streaming – tenham ido trabalhar hoje de uma maneira diferente, porque um dos nossos objetivos é transmitir uma mensagem positiva e inspiradora que consiga fazer as pessoas darem um bocadinho o salto de uma realidade que muitas vezes é difícil”, resumiu, à Renascença, este jovem, sublinhando ainda a mensagem positiva do encontro em Lisboa: “Todos sabemos que para as pessoas mais jovens o mercado de trabalho é difícil, há muito desemprego e precariedade, mas ter aqui uma mensagem positiva e inspiradora que nos faça olhar para isto de uma forma construtiva e também que nos ajude a querer ir à procura de soluções que nos ajudem a construir um modelo empresarial mais sustentável e justo para todos”.

Neste primeiro encontro da ACEGE Next foi ainda apresentado um inquérito (ver caixa), elaborado pela Netsonda. “Foram inquiridos 400 jovens de todo o país, licenciados, com pelo menos um ano de experiência profissional, entre os 20 e os 40 anos. Para lhe dizer duas dessas preocupações que de facto nos marcaram: a primeira está relacionada com esta questão da conciliação da vida pessoal e profissional, apenas 30% destes jovens têm filhos. (…) Outro ponto também que nos marcou foi a questão de mais de metade destes jovens terem dito que as suas competências não eram aproveitadas em ambiente profissional, portanto sentimos que há aqui também muito que se pode explorar”, sintetizou Luís Lobo Xavier, a propósito do estudo ‘Jovens e o mundo profissional’.

 

______________


Estudo ‘Jovens e o mundo profissional’

 

Preocupações

- Ter saúde é a principal preocupação, seguindo-se a situação económica/garantir independência financeira.

- Por outro lado, as menores preocupações prendem-se com fatores sobre a vida espiritual e a sua missão no mundo.

- No plano profissional a principal preocupação é o nível de remuneração.

- Ter que ir trabalhar para o estrangeiro e o curso não ter saída profissional são o que menos preocupa.

 

Trabalho & empresa

- A maioria dos inquiridos afirma ter vida para além da empresa e acredita nos produtos/serviços que a sua empresa fornece.

- Apenas metade considera que está a ser potenciado nas suas capacidades.

- 50% trabalha semanalmente entre 20 a 40 horas, sendo que a restante maioria apresenta valores superiores.

- Não é exigindo que estejam contactáveis fora do horário de trabalho e quase ninguém viajou nos últimos 12 meses em trabalho, principalmente as mulheres.

- Dois em cada três inquiridos afirma que a organização em que trabalha preocupa-se com a sustentabilidade.

 

Qualificações & trabalho

- 2/3 pretendem continuar periodicamente a estudar ao longo da vida.

- 4 em cada 5 inquiridos presentemente trabalha em algo relacionado com o que estudou.

- Apenas 1/3 dos inquiridos tomaria as mesmas opções no seu percurso académico se pudesse voltar atrás.

- A maioria considera importante a educação/formação para o seu crescimento enquanto pessoa.

 

Trabalho & família

- Metade dos inquiridos tem (ou acredita vir a ter) o número de filhos que gostaria.

- 1/3 teria mais filhos se a organização onde trabalha tivesse uma melhor política de conciliação família/trabalho, principalmente as mulheres -no caso dos homens este fator é indiferente.

- A maioria gozou a sua licença de parentalidade na totalidade, embora 1/3 refira que sente que acompanhou pouco o crescimento dos filhos.

- O acesso à educação e valorização pessoal são os atributos que consideram que mais melhoraram comparativamente à geração anterior.

- A carga horária de trabalho/stress é o fator que sentem que piorou mais. As mulheres são quem mais refere que a conciliação entre o trabalho/família e a justiça salarial está pior.

 

Trabalho & valores

- 78% afirma que o mundo profissional dá cada vez menos importância aos valores humanos.

- Ter capacidade de resolver problemas é a competência que ¾ da amostra refere como a característica que os define melhor.

- Pelo menos metade já foi confrontado profissionalmente com algum dilema ético, principalmente relativamente à atuação de um colega.

- A maioria dos inquiridos tem uma grande preocupação com a sustentabilidade sendo que, pelo menos metade evita consumos excessivos.

 

Trabalho & religião

- 15% afirma ir à missa com alguma regularidade e 23% refere rezar diariamente.

- Para 17% é difícil ser cristão no mundo empresarial, pelos valores serem diferentes dos ideais cristãos.

- Temas “cristãos” são pouco falados com os colegas de trabalho. Ser-se católico é referido como não tendo influência para chegar a um cargo diretivo numa organização.

- 1 em cada 4 considera que no seu trabalho está a contribuir para construir o Reino de Deus, maioritariamente na criação de um ambiente mais humano na organização.

- 12% faz parte de algum grupo ou comunidade cristã e 18% gostaria que existissem grupos específicos para ajudar a ser cristão no trabalho.

- 1 em cada 5 inquiridos gostaria que existissem conferências sobre Ser Cristão no trabalho e gostaria de participar numa Comunidade online que disponibilizasse textos, pensamentos, reflexões e outras propostas neste sentido.

 

ACEGE

- A maioria dos inquiridos nunca ouviu falar da ACEGE, mas 41% considera a sua existência relevante tendo em conta a ideia que tinham e a descrição apresentada desta Associação.

- De todas as atividades da ACEGE apresentadas, a mais interessante é o apoio a novos projetos de empresas com impacto social.

- Conferências com oradores de referência sobre ser um profissional cristão e grupos de partilha mensal que desafiem e inspirem a viver como gestores à luz dos critérios de Cristo são as menos referenciadas como interessantes.

______________


Vídeos do primeiro encontro da ACEGE Next

- Parte 1: http://bit.ly/acegenext_parte1

- Parte 2: http://bit.ly/acegenext_parte2

A OPINIÃO DE
Padre Fernando Sampaio
Nenhum pecador pode permanecer na presença de Deus. O Profeta Isaías, depois da visão de Deus, sentiu-se...
ver [+]

Maria José Vilaça
Vivemos estes últimos meses marcados por várias notícias que merecem alguma reflexão. Desde as eleições...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES