Roma |
Roma
“O carinho é o remédio mais importante que a família pode dar”
<<
1/
>>
Imagem

O Papa Francisco recebeu um grupo de crianças e jovens internados no Hospital Pediátrico Bambino Gesù. Na semana em que o Papa inaugurou uma lavandaria para os sem-abrigo, o Vaticano confirmou a viagem papal ao Egito apesar dos atentados. Francisco presidiu, em Roma, às celebrações de Domingo de Ramos e, na véspera, esteve em vigília de oração com os jovens.

 

1. O Papa recebeu, no Vaticano, um grupo de crianças e jovens internados no Hospital Pediátrico Bambino Gesù, em Roma, tendo destacado o “testemunho humano” e de “família” que os mais novos encontraram naquela instituição. “O carinho é o remédio mais importante que a família pode dar. E mais do que um hospital, vocês parecem uma família”, salientou o Papa, no passado dia 10 de abril, na Sala Paulo VI.

As crianças e jovens que visitaram Francisco – e estão a participar num programa de televisão onde contam como lidam com a doença e a perspetiva da cura – ofereceram ao Papa um bilhete escrito por todos e um livro com uma dedicatória especial. Depois de agradecer os presentes, o Papa Francisco reforçou, junto dos mais novos, a importância do “espírito de família”, que “é contagioso”, abençoou-os e pediu-lhes que não se esqueçam também de rezar por ele.

 

2. O Papa Francisco inaugurou em Roma, a 10 de abril, uma lavandaria para os sem-abrigo, que tem serviços de lavagem, secagem e engomagem para quem não tem lar ou uma situação de vida estável. O local, que até já ganhou o nome de ‘A Lavandaria do Papa’, é organizada pelo escritório de caridade papal, em parceria com a Comunidade de Sant'Egídio, e é dirigido por voluntários que vão lavar, secar e passar as roupas e cobertores daqueles que de outra forma não podem lavar os seus pertences. A iniciativa nasceu do convite do Papa Francisco, na carta apostólica ‘Misericordia et misera’, para “dar uma experiência concreta da graça do Ano Jubilar da Misericórdia”, refere um comunicado do Vaticano, divulgado esta segunda-feira.

Localizada num antigo hospital no bairro Trastevere de Roma, a lavandaria ‘People of Peace Center’ inclui seis máquinas de lavar e secadoras novas, doadas por uma conhecida marca. Os ferros de engomar, os detergentes e outros produtos necessários para o serviço também foram oferecidos. Nos próximos meses, há ainda planos para, a estes serviços, somar um barbeiro, roupas gratuitas e clínicas médicas.

 

3. O Vaticano confirmou oficialmente, no passado dia 10, que o Papa Francisco vai manter a viagem ao Egito, prevista para o fim de abril, apesar dos atentados contra duas igrejas coptas, que fizeram perto de meia centena de mortos e mais de 100 feridos. “Não há dúvidas de que o Santo Padre manterá o seu programa de visita ao Egipto”, nos dias 28 e 29 de abril, afirmou o vice-secretário de Estado do Vaticano, monsenhor Angelo Becciu, em entrevista ao jornal italiano Corriere della Sera. “O que acaba de acontecer causou muita desordem e sofrimento, mas isso não pode impedir a missão de paz do Papa”, acrescentou. Com o lema ‘O Papa da paz no Egito da paz’, a visita de Francisco a este país africano visa defender o diálogo entre as religiões e prestar homenagem aos cristãos coptas vítimas de atentados no país.

Entretanto, no dia 11, uma delegação do Vaticano foi recebido por Tawadrós II, Patriarca da Igreja Ortodoxa Copta, que escapou ao ataque no último Domingo, na Catedral de São Marcos em Alexandria. A delegação do Vaticano foi composta pelo cardeal Kurt Koch, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, o Núncio Apostólico no Egipto, monsenhor Bruno Musarò, e o secretário do Papa, Yoannis Lahzi Gaid.

 

4. Jesus não era um profeta “new age”, mas sim o messias “bem definido”, presente nos mais fracos e nos “descartados”, frisou, em Domingo de Ramos, o Papa Francisco, durante a homilia da Missa a que presidiu, em Roma. “Este Jesus, cuja entrada na Cidade Santa estava prevista precisamente assim nas Escrituras, não é um iludido que apregoa ilusões, um profeta ‘new age’, um vendedor de fumaça. Longe disso! É um Messias bem definido, com a fisionomia concreta do servo, o servo de Deus e do homem que caminha para a paixão; é o grande Padecente da dor humana”, salientou Francisco. “Assim, enquanto festejamos o nosso Rei, pensemos nos sofrimentos que Ele deverá padecer nesta Semana. Pensemos nas calúnias, nos ultrajes, nas ciladas, nas traições, no abandono, no julgamento iníquo, nas bastonadas, na flagelação, na coroa de espinhos... e, por fim, no caminho da cruz até à crucifixão”, acrescentou, convidando a “seguir fielmente Jesus”. “Peçamos a graça de o fazer não por palavras mas com as obras, e ter a paciência de suportar a nossa cruz: não a recusar nem jogar fora, mas, com os olhos fixos n’Ele, aceitá-la e carregá-la dia após dia”, convidou.

Durante a celebração mariana do Angelus, o Papa lembrou as vítimas do terrorismo na Suécia e no Egipto. “A Cristo, que hoje entra na Paixão, e à Virgem Santa, entregamos as vítimas do atentado terrorista que aconteceu nesta sexta-feira em Estocolmo, na Suécia, como também para todos aqueles que ainda padecem a dura prova da guerra, chaga humanidade. E também às vítimas do atentado realizado infelizmente esta manhã em Cairo, no Egipto numa Igreja Copta. Ao meu caro irmão, Sua Santidade o Papa Tawadrós II, a toda a Igreja copta e a toda cara nação egipciana, exprimo o meu profundo pesar”, rezou o Papa.

O Vaticano divulgou, entretanto, que o Papa Francisco vai presidir à celebração de lava-pés, em Quinta-feira Santa, 13 de abril, com alguns presos da Casa de Reclusão de Paliano, na Província de Frosinone e Diocese de Palestrina, a sul de Roma. De acordo com a informação divulgada pela Sala de Imprensa da Santa Sé, a celebração e a visita do Papa é “estritamente privada”.

 

5. Numa vigília de oração com os jovens, na Basílica de Santa Maria Maior, na tarde do passado dia 8 de abril, o Papa lembrou a caminhada juvenil dos próximos anos. “Esta noite, tem um duplo início de caminho rumo ao Sínodo que tem um tema longo: jovens, fé, discernimento vocacional. O Sínodo dos jovens”, lembrou o Papa, a propósito da XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, marcada para outubro de 2018, sobre o tema ‘Os jovens, a fé e o discernimento vocacional’, e recordando também “o início do caminho rumo ao Panamá”, para a Jornada Mundial da Juventude, em janeiro de 2019.

Aura Miguel, jornalista da Renascença, à conversa com Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Padre Fernando Sampaio
Nenhum pecador pode permanecer na presença de Deus. O Profeta Isaías, depois da visão de Deus, sentiu-se...
ver [+]

Maria José Vilaça
Vivemos estes últimos meses marcados por várias notícias que merecem alguma reflexão. Desde as eleições...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES