Roma |
Roma
“Paraíso é a experiência do abraço de Deus”
<<
1/
>>
Imagem

O Papa Francisco falou do Paraíso. Na semana em que pediu respostas rápidas e eficazes face às mudanças climáticas, o Papa recebeu o Patriarca greco-ortodoxo de Jerusalém, lembrou João Paulo II e agradeceu ao Politécnico de Leiria o trabalho desenvolvido no centenário das Aparições de Fátima.

 

1. O Papa Francisco encerrou, no Vaticano, o ciclo de catequeses sobre a esperança cristã, com uma reflexão sobre a morte e o Paraíso. “Ao concluir hoje as catequeses sobre a esperança cristã, vamos refletir sobre o Paraíso como meta da nossa esperança. Do alto da cruz, naquela sexta-feira trágica e santa, Jesus atendeu o pedido de um dos condenados à crucifixão: «Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu reino». Essas palavras eram o reconhecimento humilde de alguém que sabia não ter feito nada de bom, mas se confia à misericórdia de Jesus. Ele se compadece e promete que, naquele mesmo dia, o ladrão arrependido estaria com Ele no Paraíso. Deus sempre tem compaixão dos seus filhos e, mesmo que não tenhamos nada de bom para apresentar diante d’Ele, devemos sempre nos confiar à sua misericórdia. De facto, o Paraíso é a experiência do abraço de Deus, que nos ama com amor infinito. Por isso, certos de que, mesmo que nos sintamos sozinhos, Jesus está ao nosso lado, não devemos temer a morte, mas sim desejar o encontro final com Deus, onde o veremos ‘cara-a-cara’, vivendo o amor perfeito”, salientou o Papa Francisco, na audiência-geral da passada quarta-feira, dia 25 de outubro.

Francisco evocou ainda o final do mês de outubro, recomendando aos católicos a recitação do Rosário.

 

2. Respostas rápidas e eficazes: é este o pedido do Papa Francisco aos participantes do Congresso internacional ‘Água e Clima. Os grandes rios do mundo se encontram’. De 23 a 25 de outubro, pela primeira vez, representantes governamentais das principais bacias fluviais do mundo reuniram-se em Roma para debater o futuro da água perante as mudanças climáticas. A mensagem do Papa Francisco foi lida pelo Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, que participou na inauguração do evento. O Papa expressou votos de que o trabalho dos participantes para sensibilizar a consciência da comunidade internacional leve não só a soluções práticas, mas evidencie também a necessidade de uma abordagem mais integrada com vista à promoção do desenvolvimento e da difusão de uma “cultura do cuidado”. De modo especial, Francisco espera que a ameaça representada pelas mudanças climáticas nos países mais vulneráveis possa encontrar “respostas rápidas e eficazes”.

 

3. O Papa Francisco recebeu no Vaticano, no passado dia 23 de outubro, o Patriarca greco-ortodoxo de Jerusalém, Teófilo III, tendo deixado um apelo à paz na Terra Santa. “Reitero a minha proximidade aos irmãos cristãos da Terra Santa e o meu afeto pelos amigos das outras grandes religiões presentes na região, esperando e rezando para que chegue em breve, para todos, o dia de uma paz estável e duradoura”, declarou. “É preciso rejeitar com firmeza o recurso a qualquer tipo de violência, todos as formas de discriminação e a manifestação de intolerância contra pessoas ou lugares de culto judaicos, cristãos e muçulmanos”, acrescentou.

O Papa sublinhou que o ‘status quo’ de Jerusalém deve ser “defendido e preservado” para que a cidade se torne “um lugar onde todos possam conviver pacificamente”. “A incerteza da situação e a incompreensão entre as partes continuam a causar insegurança, limite dos direitos fundamentais e abandono da própria terra por parte de muitos”, assinalou.

Francisco dirigiu um “pensamento especial” aos membros das várias comunidades cristãs da Terra Santa, desejando “que sejam sempre reconhecidos parte integrante da sociedade”.

 

4. O Papa assinalou, no passado Domingo, 22 de outubro, o Dia Mundial das Missões, este ano com o tema ‘A missão no coração da Igreja’. “Exorto todos a viver a alegria da missão testemunhando o Evangelho nos ambientes em que cada um vive e trabalha. Ao mesmo tempo, somos chamados a apoiar com afeto, ajuda concreta e oração os missionários que partiram para anunciar Cristo aos que ainda não o conhecem”, sublinhou Francisco, na Praça de São Pedro.

Na oração do Angelus, o Papa lembrou a iniciativa convocada para outubro de 2019: “Recordo que é minha intenção promover um Mês Extraordinário Missionário em outubro de 2019, para alimentar o ardor da atividade evangelizadora da Igreja”. O Vaticano publicou, entretanto, uma nota sobre este Mês Extraordinário Missionário, que tem como objetivo despertar maior consciência de missão e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral. A iniciativa serve também para assinalar os 100 anos da Carta Apostólica ‘Maximum illud’, que exorta a sair das fronteiras das nações, para testemunhar a vontade salvífica de Deus através da missão universal da Igreja. Que “a aproximação do seu centenário sirva de estímulo para superar a tentação frequente que se esconde por detrás de cada introversão eclesial, de todo o fechamento autorreferencial nas próprias fronteiras seguras, de qualquer forma de pessimismo pastoral, de toda a estéril nostalgia do passado, para, em vez disso, nos abrirmos à jubilosa novidade do Evangelho”, afirmou o Papa.

Ainda nesse dia, o Papa Francisco evocou a figura de São João Paulo II (1920-2005), no dia da sua festa litúrgica (22 de outubro), recordando o santo polaco como um “Papa missionário”. “Confiemos à sua intercessão a missão da Igreja no mundo”, disse, perante milhares de pessoas reunidas para a recitação da oração do Angelus.

 

5. O Papa Francisco agradeceu ao Centro de Recursos para a Inclusão Digital do Politécnico de Leiria (CRID/IPLeiria) o trabalho desenvolvido no âmbito das comemorações do Centenário das Aparições de Fátima. Na carta, dirigida à coordenadora do CRID, Célia Sousa, e assinada por monsenhor Paolo Borgia, assessor, o Santo Padre deseja ainda as maiores felicidades à equipa do CRID/IPLeiria e à comunidade académica do Politécnico de Leiria, “a fim de cooperarem sempre com espírito fraterno para o maior bem de todos os homens”.

Aura Miguel, jornalista da Renascença, à conversa com Diogo Paiva Brandão
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Nuno Amador
Joker, de Todd Phillips, é um filme sublime e perturbador. Sublime na lentidão certa com que nos dá...
ver [+]

Isilda Pegado
1. Na Universidade diziam-nos que quando entra a Justiça, já não há Família. E por isso, o chamado...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES