Na Tua Palavra |
D. Nuno Brás
Os valores

“Hoje o que importa é ter valores”, escutamos tantas vezes. Ou, então: “O que queremos é transmitir valores às novas gerações”. Certamente, os valores são importantes. Mas o que significa isso?

A maior parte das vezes significa apenas a adesão teórica a um conjunto de ideias. E nisso o tempo em que vivemos é fértil. Todos dizem que é bom ser honesto. Todos dizem que é bom ser autêntico. Todos dizem que é bom ser democrata. Todos dizem que é bom ser tolerante. Todos dizem que é bom defender os mais pobres. E a lista poderia continuar, tão grande ela é. É bom “ser verde”; é bom ter cuidado com o corpo…

Mais: ai de quem disser o contrário, e ousar colocar em causa um qualquer desses valores, verdadeiros dogmas dos tempos contemporâneos, proclamados não se sabe bem por quem. Esse será olhado por todos como um herege. Apontado na praça pública que são os meios de comunicação ou as redes sociais; o seu nome será “queimado para sempre” na fogueira das novas inquisições; será impedido de dizer qualquer coisa, mesmo em sua defesa. Nem é preciso que tenha, de facto, dito que não gosta de um valor: basta que sobre ele se erga uma qualquer suspeita de “heresia”.

Outra coisa, bem diferente, é viver esses valores. Porque desde que eles sejam defendidos em teoria, tudo parece andar bem. Se, depois, se “escorrega” na prática de algum, foi apenas um “pequeno esquecimento” temporário. O importante é que não se saiba.

Sem nos darmos conta, vivemos um tempo de voluntarismo, em que parece bastar dizer alguma coisa para que tudo aconteça, supondo-se como óbvio que àquilo que se diz corresponde imediatamente a vontade de o pôr em prática. Quanto à Graça, parece que podemos passar sem ela…

Tudo isto tem muito pouco de cristão. Tudo isto tem muito pouco de misericórdia. Tudo isto tem muito pouco de humano.

Os santos não são aqueles que defendem valores. Os santos, quando muito, defendem pessoas. Eles foram e são pecadores que reconheceram a sua incoerência e aceitaram percorrer o caminho da conversão. A sua meta não foram os valores mas Jesus Cristo. Até porque nunca ninguém foi salvo pelos valores ou por uma qualquer ideia. Apenas Jesus Cristo é o salvador.

A OPINIÃO DE
P. Duarte da Cunha
No tempo do Advento rezamos muitas vezes: Vem Senhor Jesus. É um grito do coração de quem sente que precisa mesmo de ser salvo.
ver [+]

Isilda Pegado
1 – Caminhamos pela auto-estrada em direcção à Serra (da Estrela) para ali passar uns dias. Pelo...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES