Mundo |
Prenda de Natal dos benfeitores portugueses para os Cristãos Iraquianos
Migalhas de amor
<<
1/
>>
Imagem

O que podemos fazer por cada cristão que foi vítima da violência jihadista no Iraque? Quanto vale, mesmo, a nossa solidariedade para com as famílias dos cristãos que foram assassinados? E para as mulheres e crianças violadas? Neste Natal, vamos fingir que não vimos, que não ouvimos, que não sabemos o que aconteceu? 


“O Regresso às Raízes” é uma campanha que a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) está a promover a nível internacional e tem como objectivo principal criar as condições suficientes para que os cerca de 120 mil cristãos que foram forçados a fugir, no Verão de 2014, perante a invasão das suas aldeias e vilas pelos jihadistas do auto-proclamado Estado Islâmico, possam regressar a casa. É uma das maiores iniciativas de solidariedade alguma vez promovida pela Fundação AIS nos seus 70 anos de história. Para que este regresso a casa possa acontecer é necessário reconstruir muitas dessas habitações e recuperar infra-estruturas básicas de abastecimento de electricidade e de água.

 

Campanha urgente

Esta campanha é tão ambiciosa como urgente. Se não se realizar, poderá significar o fim da presença cristã nas terras bíblicas da Planície de Nínive. Leu bem: podemos estar perante o fim da presença cristã na Planície de Nínive. Já apelidada de segundo “Plano Marshall”, pelas semelhanças com o processo de reconstrução que ocorreu na Europa após a II Guerra Mundial, a campanha “Regresso às Raízes” só poderá ter sucesso, no entanto, se houver uma enorme mobilização de vontades, uma expressiva generosidade dos benfeitores e amigos da Fundação AIS.

Em causa está o futuro imediato destes 120 mil cristãos. Estes cristãos, estas famílias, foram vítimas de um dos ataques mais brutais com motivação religiosa de que há memória na História da Humanidade.

 

Sinais de violência

Há três anos, quando foram forçados a fugir de suas casas, numa debandada caótica, deixaram tudo para trás. Muitos, nem os documentos conseguiram salvar. Não havia tempo. Os jihadistas tinham um plano metódico de ataque, procuraram materializar um verdadeiro genocídio. Nesse Verão de 2014, quando tudo se precipitou na Planície de Nínive, em lugares e aldeias onde ainda se falava a língua do tempo de Jesus Cristo, ninguém defendeu estas famílias cristãs. Nenhum exército, nenhuma milícia, nenhum país. Ninguém. Hoje, três anos depois, quando o sonho do regresso a casa ganha corpo, será que estes cristãos, estas famílias, vão ser outra vez abandonados?

 

O exemplo do Papa

A Fundação AIS lança, neste Natal, por isso, um apelo enorme à generosidade dos seus benfeitores e amigos. Estes cristãos, no Iraque, precisam da nossa ajuda, precisam de voltar a suas casas. O Papa Francisco está profundamente empenhado em ajudar a Fundação AIS nesta missão. Ainda recentemente foi-lhe oferecido um automóvel desportivo excepcional, um Lamborghini Huracan, e o Santo Padre decidiu imediatamente que a viatura iria ser leiloada para fins caritativos e que uma parte das receitas seria destinada à Fundação AIS, precisamente para a campanha “Regresso às Raízes”. A Fundação AIS é, de facto, uma das instituições que lidera no terreno esta Campanha. Calcula-se que são necessários apenas cerca de 2 mil euros, em média, para a reconstrução de cada uma das casas dos cristãos. Esta verba inclui a substituição de telhados, portas, janelas e instalações sanitárias.

 

Ajudar é fácil

A violência que foi exercida sobre a comunidade cristã ultrapassa tudo aquilo que se possa imaginar. As aldeias onde viviam tranquilamente são hoje, em tantos lugares, apenas um amontoado de ruínas, de casas destruídas, de igrejas profanadas. O regresso a casa de todos e de cada um destes cristãos depende agora apenas de cada um de nós. Depende de si. Depende de todos. A Fundação AIS lança, por isso, um veemente apelo à generosidade dos portugueses para que, neste Natal, venha a acontecer mais um milagre de amor. Para que, neste Natal, estes cristãos possam – como desejam e merecem – voltar a casa. Ajudar é muito fácil. Todas as migalhas contam nesta Campanha que não nos pode deixar indiferentes. Sabia, por exemplo, que, com apenas 30 euros, pode oferecer um cabaz para alimentar uma família durante 1 mês? Toda a informação sobre esta Campanha “Regresso às Raízes” está disponível em: www.fundacao-ais.pt.

texto por Paulo Aido, Fundação Ajuda à Igreja que Sofre
A OPINIÃO DE
Pe. Alexandre Palma
Não aprecio o género. Não só por isso, mas também por isso, nem sequer sou conhecedor da matéria. Mas,...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
A comunicação social vem acompanhando com todo o interesse, quase como se de uma novela se tratasse,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES