Editorial |
P. Nuno Rosário Fernandes
O Menino que nos trouxe a festa do Natal
<<
1/
>>
Imagem

É tempo de Natal. Percebemos isso pelas campanhas publicitárias, as ornamentações nas ruas, a movimentação comercial, as campanhas de solidariedade e tantos outros motivos que nos mostram cheiros e cores de Natal. No entanto, vamos percebendo, cada vez mais, que ou por ignorância ou por verdadeira intenção, Jesus, a origem do Natal, está a ser posto de parte para ser substituído por qualquer outra coisa. Mas a isso poderão chamar tudo, menos Natal.

Natal não é época de desfiles ao jeito de carnaval. Natal não é um jardim de gnomos carregando presentes para distribuir, mas um Presépio simples, onde um Menino pobre nasce num ‘berço’ também ele pobre, oferecendo-se ao mundo como o verdadeiro presente.

Natal é tempo de amor verdadeiro, actualização do Amor que veio até nós há mais de dois mil anos para dar a vida por nós e nos salvar. Natal não é tempo de mostrar os actos de solidariedade, mas de celebrar a caridade que aprendemos com Aquele que iniciou o Natal e que somos chamados a viver todos os dias.

Por vezes até as canções que se difundem nesta quadra não expressam o que é o Natal mas apelam para um determinado consumo, para uma determinada intenção. Deixam-nos longe do Natal ou fazem do Natal um mero sentimento que preenche o coração, mas não é lugar de transformação. Porque viver o Natal é também tomada de consciência da fragilidade pessoal e humana, que pode ser transformadora para alcançar uma vida nova. Celebrar o Natal é iniciar uma vida de entrega e doação sujeita à dor e sofrimento que tem o seu cume na Cruz redentora de Jesus Cristo, o Menino que nos trouxe a festa do Natal.

 

Editorial, pelo P. Nuno Rosário Fernandes, diretor

p.nunorfernandes@patriarcado-lisboa.pt

A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Há poucos meses, a actual legislatura começou com a excitada prioridade dada à eutanásia travestida de morte clinicamente assistida.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Na normalidade possível da situação de pandemia que vivemos e das férias para quem delas puder usufruir,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES