Missão |
Luís Filipe de Sousa e Silva, do Projeto Sabi
“Sabias que podes dar mais?”
<<
1/
>>
Imagem

Luís Filipe de Sousa e Silva nasceu em Angola, no distrito de Quanza-Sul, no dia 16 de fevereiro de 1963 e é licenciado em Audiologia pela Escola Superior de Tecnologias da Saúde de Coimbra. Pertence ao sector Sabi Graúdo, do Projeto Sabi.


A sua formação académica ligada à saúde, e mais concretamente aos problemas ligados à deficiência auditiva e vestibular, foi determinante para Luís perceber “a importância da forma como interagimos com os outros e como o carinho que lhes damos é fundamental para o seu bem-estar. Daqui até querer ajudar o próximo duma forma mais efetiva e eficiente, e poder dar de mim para o benefício de quem precisasse, foi um processo que passo a passo foi crescendo dentro de mim.”

 

“Porque não te juntas ao grupo Sabi?”

O desejo de ajudar e estar ao serviço dos outros concretizou-se através de um desafio feito pelo filho. “Um dia, um dos meus filhos, escuteiro marítimo na paróquia do Parque das Nações perguntou-me: ‘Já que queres tanto ajudar as pessoas porque não te juntas ao grupo Sabi?’ Quando soube que o grupo Sabi era um Projeto de voluntariado missionário para ajudar precisamente quem precisava, resolvi aderir com toda a minha vontade e com toda a minha disponibilidade.” Luís entrou para o Projeto Sabi em janeiro de 2016.

O Projeto Sabi desenvolve atividades voluntárias durante todo o ano com crianças e idosos, na distribuição de alimentos, em projetos de construção, em campos de trabalho na Casa de Saúde do Telhal ou em Fetais / Camarate, e termina com a “grande missão de verão” em vários locais como em São Tomé e Príncipe (Paróquia de Santana) ou em Portugal (Aldeia do Cachopo, Gradil, Lar da Bafureira na Parede e Fajã de Cima nos Açores).

 

Sabi Graúdo

O Projeto Sabi tem 3 setores: o Sabi Formação, o Sabi Serviço e o Sabi Graúdo. Luís pertence ao Sabi Graúdo e, em 2017, foi-lhes atribuída a missão partir para a Fajã de Cima nos Açores de 19 a 26 de Agosto de 2017. Luís recorda com ternura e emoção esta semana de dádiva e de serviço aos outros: “Deus deu-nos esta missão/projecto de amor e nós dissemos que sim e partimos rumo aos Açores. Fomos quatro elementos dispostos a tudo, sem sabermos ao que íamos, mas com o objetivo de dar. Fomos um grupo tão coeso que me é difícil falar no singular. Com o acolhimento que tivemos, com a retribuição do amor que demos, com o carinho com que nos mimaram em todas as atividades da Paróquia que realizámos, o que senti foi que recebi muito mais do que dei. E este é um sentimento partilhado pelos quatro elementos do grupo.”

De regresso a casa, Luís continua a recordar-se dos idosos da Fajã de Cima com os quais partilhou a vida em agosto do ano passado: “voltei para casa cheio com o carinho que os idosos do Centro de Dia me deram, cheio de admiração pelo trabalho que os técnicos do Centro Paroquial desenvolvem, agradecido pela forma como fomos recebidos pelas famílias que nos acolheram  e grato ao Padre Marco pela forma alegre e calorosa que nos fez sentir em casa.”

No seu quotidiano, Luís continua a viver os lemas que marcam a missão do Projeto Sabi: “Sabias que podes dar mais?” e “Juntos somos um”.

texto por Emanuel Oliveira Soeiro, FEC | Fundação Fé e Cooperação
A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Há poucos meses, a actual legislatura começou com a excitada prioridade dada à eutanásia travestida de morte clinicamente assistida.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Na normalidade possível da situação de pandemia que vivemos e das férias para quem delas puder usufruir,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES