Juventude |
Jornada Diocesana da Juventude
A caminho da Lourinhã
<<
1/
>>
Imagem

No dia 15 de Abril a Lourinhã vai receber mais uma Jornada Diocesana da Juventude.

Um dia de encontro dos jovens da nossa Diocese com o seu Bispo, com momentos de oração, partilha e celebração.

Este encontro está já a ser preparado pela equipa do Serviço da Juventude e pelos grupos de jovens locais, e o tema será aquele que orienta este ano pastoral: “Da Palavra nasce a fé”.

 

 _______________

 

Celebração Ecuménica Nacional: Liberdade, com as Caraíbas

 

O mundo viveu, de 18 a 25 de Janeiro, a Semana da Unidade dos Cristãos. Multiplicaram-se encontros e celebrações por todo o país, dando corpo a uma vontade de Cristo: ‘Que haja um só Rebanho e um só Pastor!’.

 

O Guião da Semana é construído, ano após ano, numa terra onde a realidade ecuménica tem expressão. Coube às Igrejas das Caraíbas traçar as grandes linhas de reflexão e oração ecuménicas.

Lisboa acolheu, na Igreja de Santa Joana Princesa, a Celebração Ecuménica Nacional, integrada na já tradicional Vigília Ecuménica Jovem. Os departamentos juvenis das Igrejas Católica, Lusitana, Presbiteriana e Metodista prepararam a celebração, contando com a participação da Igreja Evangélica Alemã que, com o seu coro, animou dois momentos da Vigília.

Tudo começou com a apresentação do tema preparado nas Caraíbas, terra marcada pela escravatura e pela pobreza de boa parte dos seus habitantes. O tema escolhido foi a ’Liberdade’. Por isso, os jovens fizeram preces de reconciliação e libertação, levando placas com cadeias, a dizer ‘Exploração’, ‘Medo’ e ‘Pobreza’. Após leitura da prece, deixaram cair, com estrondo, as placas e as cadeias.

O texto do Êxodo, que fala da libertação do povo escravo no Egipto por Moisés, foi completado com o Evangelho que fala da libertação da doença e da morte, com a cura da mulher com fluxo de sangue e do regresso à vida da filha de Jairo.

O Credo e a Oração Universal antecederam o Pai Nosso, rezado de mãos dadas e o momento simbólico do abraço da paz.

A Celebração terminou com o compromisso de todos por mais e melhor ecumenismo e luta pela libertação de todas as formas de escravatura que vitimam pessoas nos tempos que correm.

A Igreja de Santa Joana estava a rebentar pelas costuras e, finda a celebração, abriu-se um espaço de confraternização para chá, bolachas e dois dedos de conversa. Tudo com a convicção de que a unidade dos cristãos se vai construindo com pequenos gestos. E, claro está, com oração e compromisso cristão.

texto por Tony Neves

Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Nuno Amador
Joker, de Todd Phillips, é um filme sublime e perturbador. Sublime na lentidão certa com que nos dá...
ver [+]

Isilda Pegado
1. Na Universidade diziam-nos que quando entra a Justiça, já não há Família. E por isso, o chamado...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES