Lisboa |
Visita Pastoral às paróquias de Carvoeira e São Domingos de Carmões
“Uma casa de Deus que seja casa de todos”
<<
1/
>>
Imagem

O encerramento da Visita Pastoral às paróquias de Carvoeira e São Domingos de Carmões ficou marcado pela conclusão das obras de restauro da igreja de Carmões que, na opinião do Cardeal-Patriarca, oferece a todos “um sinal de Deus”. O pároco destas duas paróquias da Vigararia de Torres Vedras, padre Diamantino Teixeira, destaca a “mobilização” conseguida pela Visita Pastoral.

A Visita Pastoral às paróquias de Carvoeira e São Domingos de Carmões, na Vigararia de Torres Vedras, decorreu entre 23 e 28 de janeiro e levou o Bispo Auxiliar de Lisboa, D. Nuno Brás, a conhecer, participar, escutar e conhecer estas realidades paroquiais. No último dia, o Cardeal-Patriarca de Lisboa presidiu à Missa de conclusão da iniciativa, que também pretendeu assinalar o final das obras de restauro da igreja de São Domingos de Carmões.

Entre paisagens a perder de vista e um céu profundamente azul, a igreja de São Domingos de Carmões ergue-se e distingue-se da paisagem, em pleno concelho de Torres Vedras. No seu interior, as obras de melhoramento causam a admiração de quem entra. Para o Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, “o restauro é uma bonita surpresa, está esplendorosa”. “Quando se restauram templos, como esta linda igreja, o que queremos oferecer aos da terra e aos forasteiros é um sinal de Deus. Por isso é que a igreja é um espaço diferente”, explicou. E se é verdade que “em qualquer lugar se pode rezar desde que seja em espírito e verdade”, as igrejas, “pela sua construção, pela disposição do espaço, pela decoração, elevam-nos com Jesus Cristo para o Pai”, destacou o Cardeal-Patriarca, na Missa de encerramento da Visita Pastoral. “Quando reconstruímos as igrejas é para significar que, entre as nossas casas, há de haver uma casa de Deus que seja casa de todos, onde nos reunimos, onde ouvimos a sua Palavra e recebemos os seus sacramentos que são a Palavra concretizada em sinais salvadores”, frisou D. Manuel Clemente, perante uma igreja repleta de fiéis. “Que as vossas vidas, segundo a Palavra de Deus, sejam vidas que maravilhem porque são a vitória do bem, da verdade e da paz”, desejou.

 

Para chegar a todos

Pároco das paróquias de Carvoeira e São Domingos de Carmões há três anos, o padre Diamantino Teixeira garante que a Visita Pastoral de D. Nuno Brás foi um “sucesso” porque “as pessoas aderiram e a Palavra que convoca para a missão foi anunciada”. Para este sacerdote de 45 anos, as pessoas “mobilizaram-se, abriram-se, acolheram, disponibilizaram-se” numa visita onde se procurou “chegar a tudo e a todos”. “Visitámos empresas, instituições, administrámos sacramentos da unção dos doentes, almoçámos com uma família, e até tivemos uma edição extraordinária da revista das Carreiras, cujo lucro reverteu a favor das nossas obras”, descreveu. Esta Visita Pastoral, que decorreu entre 23 e 28 de janeiro, serviu até para o próprio pároco conhecer e descobrir outras particularidades sobre as duas paróquias que tem a cargo. “Eu próprio fiquei surpreendido, por exemplo, com a quantidade de empresas a atuar no território das paróquias”, aponta.

 

Dar testemunho

Carvoeira e São Domingos de Carmões são duas paróquias que se dividem em onze povoados muito pequenos, com “poucos jovens e poucas crianças”, mas são comunidades que “colaboram”, sublinha o padre Diamantino. Prova disso foi a Visita Pastoral que “mostrou como as pessoas se abrem, arregaçam as mangas, participam”. “No meio da nossa pobreza, a nossa riqueza são os que temos cá. Não são muitos mas são bons e dão testemunho”, garante o pároco. Entre catequese, visita aos doentes e liturgia, o sacerdote garante que o principal desafio dos paroquianos é serem sempre “testemunhas de Jesus Cristo, todos os dias, a todas as horas”. “Testemunho permanente, coerente, verdadeiro, sincero e junto do povo de Deus, junto de todos aqueles que nos quiserem ouvir”. Os outros projetos, garante o padre Diamantino Teixeira, nascem daí: “reconstruir, restaurar, criar obras de caridade”.

 

---------

 

Visita Pastoral à paróquia de Matacães

Servir os outros é a ‘marca’ da comunidade

A paróquia de Matacães, na Vigararia de Torres Vedras, recebeu a Visita Pastoral, com D. Joaquim Mendes a desafiar os cristãos a levarem o “conforto da Palavra de Deus”, sobretudo aos mais idosos, e a serem um “sinal vivo do amor de Deus, que não os abandona”.

 

texto por Clara Nogueira; fotos por Jornal Badaladas

 

Entre 26 e 28 de janeiro, a paróquia de Matacães, na Vigararia de Torres Vedras, recebeu a Visita Pastoral. A paróquia, com uma comunidade de cerca de mil pessoas, recebeu o Bispo Auxiliar de Lisboa, que também teve oportunidade de visitar o Santuário do Senhor do Calvário, as Capelas de Santo Amaro e de Nossa Senhora do Amparo, a Associação Solidariedade e Ação Social, o Lar de São Gonçalo, e outras associações locais. D. Joaquim Mendes encontrou-se ainda com os catequistas, com as crianças da catequese e as suas famílias, com os ministros extraordinários da comunhão, os acólitos, os leitores, os membros do grupo coral, zeladoras e membros da comissão de obras de conservação do património da comunidade.

Na conclusão da Visita Pastoral, D. Joaquim Mendes sublinhou a importância das instituições que estão na paróquia e “promovem o encontro, o convívio, a ajuda fraterna, e o bem da comunidade” e indicou o desafio deixado por esta Visita Pastoral: “é um convite a cada cristão, a cada família, a cada comunidade cristã a crescer no conhecimento das Escrituras, no amor e na adesão ao Senhor, que nasce e cresce na relação com a Palavra, e leva à missão, ao anúncio e testemunho do Evangelho”. “Dou graças a Deus pelas ‘obras da fé’ manifestadas em todos aqueles que amam o Senhor e servem a comunidade, que se preocupam com os outros, sobretudo com os mais frágeis e necessitados de atenção, de acompanhamento e de ajuda fraterna”, referiu D. Joaquim, na Missa de encerramento da Visita Pastoral.

Na sua homilia, D. Joaquim Mendes desejou ainda que o zelo pelo outro seja a “marca” desta comunidade. “Como família de Deus, que somos, temos de cuidar uns dos outros. Continuai a fazê-lo, e que esta seja uma ‘marca’ da vossa comunidade cristã, onde é grande o número de idosos. Levai-lhe o conforto da Palavra de Deus, de Jesus Eucaristia, da solicitude da comunidade cristã, que a vossa presença seja para eles um sinal vivo do amor de Deus, que não os abandona”, pediu o Bispo Auxiliar de Lisboa, agradecendo “o acolhimento caloroso e fraterno” que garante ser testemunho “da fé, da caridade, e sentido de pertença e amor à Igreja e aos seus pastores”.

 

Um novo alento

O Cónego Daniel Batalha Henriques, pároco de Matacães, garante que a Visita Pastoral “foi muito feliz”. Para esta pequena comunidade paroquial, a visita foi “muito tranquila e muito rica”. “A paróquia de Matacães é uma comunidade muito pequenina, portanto foi possível chegar a todos”, aponta o pároco que sublinha o facto desta Visita Pastoral também ter servido para a comunidade receber “uma palavra de alento, de ânimo por parte do Bispo”. Foram três dias que deixaram a comunidade da paróquia “muito agradada e incentivada com a presença do bispo”, apontou o Cónego Daniel Batalha Henriques.

texto por Clara Nogueira e fotos por Clara Nogueira e Jornal Badaladas
Na Tua Palavra
O Santo do Concílio
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
Por iniciativa de Leonor Xavier, um grupo de cristãos e de pessoas de boa vontade reuniu-se ao fim...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Para além dos fiéis que formalmente pertencem, pelo Baptismo ou pela profissão de fé, à Igreja católica,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES