Roma |
Roma
Papa não quer cristãos fechados ao Espírito
<<
1/
>>
Imagem

O Papa Francisco lembrou que “sempre haverá resistência ao Espírito Santo”. Na semana em que mandou distribuir gelados pelos necessitados, o Papa pediu aos novos sacerdotes para não se cansarem de ser misericordiosos, mostrou-se preocupado com a violência na Nicarágua e nomeou três mulheres para a Congregação para a Doutrina da Fé.

 

1. O Papa recordou que os filhos de Deus são homens livres, capazes de “discernir os sinais dos tempos”, e que na história do homem “sempre haverá resistência ao Espírito Santo”, oposições às novidades e às “mudanças”. Na homilia da Missa celebrada na Casa de Santa Marta, no Vaticano, na manhã do passado dia 24 de abril, Francisco lembrou o exemplo dos primeiros discípulos. “A Igreja era uma Igreja em movimento, uma Igreja que ia além de si mesma. Não era um grupo fechado de eleitos, mas uma Igreja missionária: na verdade, o equilíbrio da Igreja, por assim dizer, está precisamente na mobilidade, na fidelidade ao Espírito Santo. Alguns dizem que o equilíbrio da Igreja se assemelha ao equilíbrio da bicicleta: está parada e vai bem quando está em movimento; se você a deixa parada, cai. É um bom exemplo”, apontou o Papa, destacando que “sempre haverá resistência ao Espírito Santo, sempre, sempre, até o fim do mundo”. “Que o Senhor nos conceda a graça para saber resistir ao que devemos resistir, ao que vem do maligno, ao que que nos tira a liberdade e saibamo-nos abrir às novidades, mas somente àquelas que vêm de Deus, com o poder do Espírito Santo e nos conceda a graça de discernir os sinais dos tempos para tomar as decisões que deveremos tomar naquele momento”, terminou.

 

2. No dia de São Jorge, onomástico do Papa Francisco (Jorge Bergoglio), a 23 de abril, a Esmolaria Apostólica distribuiu três mil sorvetes pelos necessitados. “O Papa Francisco deseja comemorar o dia do seu nome onomástico junto com os mais necessitados e os sem-abrigo de Roma. Portanto, a Esmolaria Apostólica irá distribuir hoje, no dia em que o Igreja recorda São Jorge, 3.000 sorvetes às pessoas que são recebidas diariamente nos refeitórios, nos dormitórios e nas estruturas da Capital italiana, administradas em grande parte pela Cáritas”, informou a Esmolaria Apostólica, em comunicado.

 

3. “Por favor, não se cansem de ser misericordiosos. Pensem nos pecados de vocês, nas misérias de vocês que Jesus perdoa. Sejam misericordiosos. Com o óleo santo darão alívio aos enfermos. Celebrando os ritos sagrados e oferecendo nas várias horas do dia a oração de louvor com ações de graças e súplicas, serão voz do Povo de Deus e de toda a humanidade”, desafiou o Papa, aos 16 novos sacerdotes que ordenou no passado Domingo, 22 de abril, Dia Mundial de Oração pelas Vocações. “Conscientes de terem sido escolhidos entre os homens e postos ao serviço dos homens nas coisas que são de Deus, realizem com verdadeira caridade e alegria constante a obra sacerdotal de Cristo, unicamente intentos a agradar a Deus e não a vocês mesmos ou aos homens, por outros interesses. Somente serviço a Deus, para o bem do Santo povo fiel de Deus”, pediu, na homilia, na Basílica de São Pedro.

Esta celebração decorreu no Domingo IV da Páscoa, o Domingo do Bom Pastor. “Tenham sempre diante dos olhos o exemplo do Bom Pastor, que não veio para ser servido, mas para servir e para buscar e salvar o que estava perdido”, lembrou Francisco.

Cinco dos novos presbíteros estudaram no Seminário Maior Romano, seis foram formados no colégio diocesano ‘Redemptoris Mater’, quatro pertencem à Família dos Discípulos e um à Pequena Obra da Divina Providência. Madagáscar, Croácia, Vietname, Colômbia, Mianmar ou El Salvador estão entre os países de origem dos sacerdotes.

 

4. O Papa Francisco apelou ao fim da violência na Nicarágua, na América Central. “Estou preocupado com o que está a acontecer, estes dias, na Nicarágua, onde, após um protesto social, se verificaram confrontos, que causaram também algumas vítimas. Expresso a minha proximidade àquele amado país, e me uno aos Bispos a pedir que cesse toda e qualquer violência, se evite inútil derramamento de sangue e as questões abertas sejam resolvidas pacificamente e com sentido de responsabilidade”, apelou o Papa, durante o Regina Coeli – oração mariana do período pascal que substitui o Angelus –, no passado Domingo, 22 de abril.

Explicando também o Evangelho dominical, Francisco garantiu: “O Senhor nos aceita como somos, também com os nossos pecados, para nos curar, para nos perdoar, guia-nos com amor, para que possamos atravessar estradas impérvias sem perder o caminho. Ele nos acompanha”.

 

5. O Papa nomeou três mulheres como consultoras da Congregação para a Doutrina da Fé, um dos organismos mais importantes da Cúria Romana. As escolhas do Papa, reveladas no passado dia 21 de abril, recaíram sobre a italiana Linda Ghisoni, susbcertária do Dicastério para os Leigos, Família e Vida (Santa Sé), especialista em Direito Canónico; Michelina Tenace, professora de Teologia na Universidade Pontifícia Gregoriana, de Roma; e a belga Laetitia Calmeyn, professora de Teologia no Colégio dos Bernardinos, em Paris.

Aura Miguel, jornalista da Renascença, à conversa com Diogo Paiva Brandão
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Nuno Amador
Joker, de Todd Phillips, é um filme sublime e perturbador. Sublime na lentidão certa com que nos dá...
ver [+]

Isilda Pegado
1. Na Universidade diziam-nos que quando entra a Justiça, já não há Família. E por isso, o chamado...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES