Missão |
Maria João e Gonçalo Botelho de Sousa
Uma caminhada de fé em família
<<
1/
>>
Imagem

Maria João nasceu a 31 de julho de 1968 e Gonçalo Botelho de Sousa a 22 de abril de 1966. Conheceram-se na faculdade, há 29 anos, e são ambos licenciados em Direito. Estão casados há 24 anos e têm dois filhos. Participaram este ano na Missão Família 2018, promovida pela Paróquia do Campo Grande, e estiveram uma semana em missão em Samora Correia.


Ambos trabalham como juristas em organismos da Administração Pública “há mais de 25 anos, tendo ambos desenvolvido funções técnicas e dirigentes”. Têm dois filhos: o Francisco, com 21 anos, e o Manuel, com 18 anos. “O Campo Grande é a paróquia que adotámos há cerca de 18 anos. É a nossa paróquia do coração, mas não de residência (aliás esta é uma das características da Paróquia do Campo Grande, a maioria dos paroquianos não residem na área geográfica). Os nossos filhos eram ainda muito pequenos quando começámos a assistir às celebrações na Paróquia do Campo Grande muito motivados pelas homilias do padre Victor Feytor Pinto e pela alegria das suas celebrações. Como íamos à Missa em família (aliás como continuamos a fazê-lo ainda hoje, na maioria das vezes), há cerca de 16 anos, fomos convidados a ler a oração de ação de graças no dia da família, acompanhados pelos nossos filhos ainda pequenos. A partir daí iniciou-se a nossa caminhada na Paróquia do Campo Grande”, partilham.

 

“Atividades que queremos realizar em família”

Foram desafiados a “participar na celebração em vários Ministérios, primeiro como Leitores e, um pouco mais tarde, também como Ministros Extraordinários da Comunhão”. Por integrarem uma das equipas litúrgicas da paróquia, a Maria João foi “desafiada para representar a equipa no secretariado da liturgia da paróquia e, nessa sequência, tem coordenado a equipa responsável pela organização da Vigília Pascal e colaborado nas equipas responsáveis por outros eventos litúrgicos.” O Gonçalo é sempre chamado a participar nessas celebrações. Nos últimos anos, com a entrada dos seus filhos para os Grupos de Jovens da Família Missionária Verbum Dei, têm vindo a fazer “uma caminhada de fé em família” e partilham: “Tudo começou quando a Maria João teve a oportunidade de ser integrada nas peregrinações dos Grupos de Jovens e foi peregrinar com os filhos, o que, graças a Deus, tem vindo a repetir-se todos os anos desde então. Mas, finalmente, este ano, houve disponibilidade do Gonçalo para acompanhar a família e fizemos a peregrinação os quatro. Simultaneamente, começámos a participar no Grupo ‘Pais à Procura’, que é organizado pela Família Missionária Verbum Dei, para pais e educadores, destinando-se a ajudar os mesmos na educação/ relação com os seus filhos e, por isso, os convidados abordam os mais variados temas nessa ótica. Começámos a assistir às reuniões deste grupo já há cerca de quatro anos e, no ano passado, fomos convidados a integrar a equipa coordenadora. Há cerca de um ano, fomos desafiados pelo nosso prior (padre Hugo Gonçalves) para integrar a equipa da Pastoral Familiar na Paróquia. O trabalho nessa equipa tem sido muito desafiante pois temos desenvolvido vários projetos e alguns estão em preparação. Mas o ano tem sido de tal modo intenso que nos parece muito mais tempo. O primeiro projeto desenvolvido pela equipa da Pastoral Familiar na Paróquia designa-se ‘Famílias Visitadoras’ e teve início em dezembro de 2017, encontrando-se ainda em execução. Através deste projeto pretende-se contribuir para mitigar a solidão e o isolamento dos idosos, através de visitas periódicas de uma família e, simultaneamente, sensibilizar os mais jovens para os problemas e dificuldades dos idosos que podem ser minimizados com a nossa ajuda. São visitados os idosos que manifestam interesse nas visitas. Para nós os projetos da Pastoral Familiar não são apenas projetos que coordenamos, mas consistem em atividades que queremos realizar em família. Por isso, em família temos visitado uma idosa que é apoiada pelo Centro Social da Paróquia do Campo Grande e que simultaneamente é visitada semanalmente pelo nosso filho mais novo, no âmbito de um programa de voluntariado jovem também da Paróquia”.

 

Missão Família 2018

A Missão Família 2018 foi o segundo projeto da equipa da Pastoral Familiar que abraçaram “com entusiasmo”. “Pensámos logo como seria bom dispormos de um tempo de férias, em família, para nos darmos aos outros. Certamente um tempo diferente, mas muito mais enriquecedor. Para dar corpo a este projeto, no qual também participámos, constituímos uma equipa de cerca de 38 pessoas, tendo por base 3 casais, com os respetivos filhos, amigos e o padre Hugo Gonçalves. Estivemos uma semana em Samora Correia, de 26 de agosto a 2 de setembro, no Lar, nos ATL e em porta-a-porta. O lema da missão era ‘Alegra-te Deus ama-te’. E, durante uma semana, levámos às pessoas de Samora Correia com quem nos cruzámos a alegria do amor de Deus. Tivemos entre os missionários um ambiente verdadeiramente familiar, mas também uma genuína alegria que, como nos disseram, transparecia a quem encontrávamos. Mas, no balanço desta semana, verificamos que trazemos muito mais do que demos. Trazemos os ensinamentos de verdadeiras vivências de fé, pessoas que apesar das dificuldades da vida não perdem a alegria de viver nem o amor a Deus. Trazemos os sorrisos nas caras das pessoas depois de conversarmos um pouco, apesar das amarguras da vida que marcaram o início da conversa. Trazemos o sorriso das crianças que têm vivências difíceis às quais demos atenção e carinho. Trazemos o sorriso na nossa presença e as lágrimas da despedida. Trazemos o sentimento que um pouco de nós faz a diferença para muitas pessoas. Trazemos os laços que se criaram entre os missionários. Trazemos o caminho espiritual que cada um fez na sua oração. E, como pais, trazemos a certeza de uma semente na educação dos filhos que queremos que sejam pessoas sensíveis e interessadas no bem dos outros. Esta foi a primeira Missão Família da Paróquia do Campo Grande, mas é manifestamente uma experiência a repetir já no próximo verão”, partilham.

texto por Catarina António, FEC | Fundação Fé e Cooperação
A OPINIÃO DE
José Luís Nunes Martins
Nestes dias incertos, peço-Te que me ajudes a ter mais confiança. A acreditar mais nas minhas forças e nos meus talentos.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
A grave pandemia que vivemos em emergência confina-nos em espaços fechados, mas esse estado, pela humanidade...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES