Lisboa |
Jubileus matrimoniais na Festa da Família
A perseverança e fidelidade dos casais cristãos
<<
1/
>>
Imagem

É sempre um dos momentos altos da Festa da Família. Os jubileus matrimoniais reúnem casais que celebram 10, 25, 50 ou mais anos de casados e que dão testemunho de como é uma vida a três, que tem Deus como parceiro. Nesta edição, o Jornal VOZ DA VERDADE partilha a história de vida de três casais jubilares que, no dia 16 de junho, vão estar no parque da Quinta das Conchas, em Lisboa, na Festa da Família.

 


10 anos de matrimónio: Cláudia Vinagre e David Ribeiro

“As Festas da Família são uma bênção”

Colaboraram na equipa da primeira Festa da Família, em 2014, em Mafra, e também na equipa da última edição, no ano passado, em Torres Vedras. Cláudia Vinagre, arquiteta de 38 anos, e David Ribeiro, agente da PSP um ano mais novo, celebram, em 2019, 10 anos de matrimónio e vão receber a bênção na Festa da Família que vai decorrer no próximo dia 16 de junho, no parque da Quinta das Conchas, em Lisboa. “Foi sempre desejo um dia, também, receber a bênção do nosso Bispo por mais um aniversário matrimonial, onde, com todas as famílias unidas no mesmo espírito e no mesmo amor, pudéssemos dizer novamente o nosso ‘Sim’ a Deus”, refere este casal, ao Jornal VOZ DA VERDADE. Cláudia e David destacam a presença dos três filhos – Margarida Maria, de 8 anos, Madalena Maria, com 5, e Simão Pedro, de 18 meses – na Festa da Família. “Nesta renovação do nosso ‘Sim’, será uma grande alegria termos por companhia os nossos três filhos, que são a prova do nosso amor e do amor de Deus na nossa vida conjugal”, frisam.

Cláudia e David casaram a 13 de junho de 2009, na Igreja Nossa Senhora do Livramento, na Paróquia de São Pedro dos Grilhões de Azueira. “O que mais recordamos do dia do nosso casamento foi o grande abraço que demos um ao outro após o sacerdote nos declarar marido e mulher. Recordamos também a hora de adoração ao Santíssimo Sacramento que fizemos com toda comunidade e com amigos de outras paróquias que se quiseram juntar naquele momento de oração”, revela este jovem casal, da Paróquia de Torres Vedras. Desde que estão juntos, Cláudia e David destacam a importância da presença de Deus na sua união. “Deus teve sempre o primeiro lugar na nossa caminhada conjugal desde o namoro, onde nos comprometemos a viver castamente até ao matrimónio e, após o matrimónio, a estar abertos à vida, pois o Senhor providenciará e nunca nos pede nada sem estar ao nosso lado a caminhar. Na nossa caminhada matrimonial nunca sentimos que fosse uma caminhada a dois, mas sim a muitos, pois Deus foi sempre colocando na nossa vida, desde sacerdotes, religiosas e leigos, comprometidos e não comprometidos, pessoas que nos fazem cada vez mais ter o desejo de amarmos mais a Deus e um ao outro”, testemunham.

Das Festas da Família em que participaram, o que mais guardam é “o testemunho de muitos casais, da sua perseverança e fidelidade”. “As Festas da Família são uma bênção, pois apresentam-nos sempre realidades e desafios novos, para cada vez mais entregarmos a nossa vida um ao outro, aos filhos e, especialmente, a Deus”, afirmam Cláudia Vinagre e David Ribeiro, que daqui por duas semanas serão um dos casais jubilares que vão receber a bênção, durante a Festa da Família na cidade de Lisboa.

 

 

25 anos de matrimónio: Teresa Salgueiro Antunes e Miguel Rosa

“É importante que a Família seja valorizada e festejada”

Teresa Salgueiro Antunes e Miguel Rosa estão casados há 25 anos e vão receber a bênção na sua paróquia. “Inscrevemo-nos nos jubileus matrimoniais porque estamos gratos pela nossa vida. Gostaríamos de participar na celebração com outros casais em circunstâncias semelhantes e ter a bênção do nosso Bispo”, refere ao Jornal VOZ DA VERDADE este casal, da Paróquia do Lumiar, que vai participar na Festa da Família, na Quinta das Conchas, que fica situada no espaço geográfico da sua paróquia. A presença do casal nesta iniciativa do Patriarcado de Lisboa vai ter um tom de agradecimento, em especial para a mãe desta família. “O nosso casamento tem tido momentos bons e momentos difíceis. Em 2017, foi-me diagnosticado um cancro, com necessidade de quimioterapia, cirurgia e radioterapia. São experiências que nos tornam mais atentos ao valor do tempo e da vida e à importância de celebrar”, manifesta Teresa.

Médicos de profissão, Teresa e Miguel casaram-se a 2 de outubro de 1994, na capela do Santuário de Santa Maria d’el Carmen, na Paróquia de São Lourenço de Azeitão, na Diocese de Setúbal. “Sempre que refletimos e fazemos ‘balanços’, sentimos que Deus está presente, que nos vai fazendo propostas e lançando desafios”, frisam, sublinhando “a tranquilidade dos dias” vividos há 25 anos, mas também “a celebração” em si. Pais de três filhos – João Pedro (23 anos), Ana Maria (21 anos) e Luís Filipe (18 anos) – todos solteiros, Teresa e Miguel mostram-se satisfeitos pela presença dos filhos e também dos pais/sogros na bênção. Para outubro próximo, fica a celebração com a restante família. “Estamos a planear uma celebração, no aniversário do nosso casamento, um pouco mais alargada, com família e amigos chegados, porque queremos festejar com aqueles que têm sido mais importantes na nossa vida”, projeta este casal.

Teresa e Miguel Rosa são o casal de ligação da Paróquia do Lumiar para a Pastoral Familiar da Vigararia IV do Patriarcado de Lisboa. Sendo também casal jubilar, “fazia todo o sentido participar, pela primeira vez”, na Festa da Família. “Achámos que devíamos participar, recebendo os outros casais jubilares”, referem. “A família é a célula fundamental da sociedade. É importante que seja valorizada por todos e festejada”, acrescentam.

Neste Domingo, 2 de junho, a Paróquia de São João Batista do Lumiar recebe, durante uma semana, o ícone da Sagrada Família, que anda a peregrinar pelas paróquias da vigararia. “A comunidade tem sido informada da Festa da Família. Tem havido reuniões mensais com os pais da Catequese, sob inspiração da Exortação Apostólica ‘Amoris laetitia’, há casais jubilares a inscreverem-se para a bênção e há grupos que estão em movimento para participar, nomeadamente os escuteiros do Lumiar”, assinala este casal, que pertence à paróquia que vai ‘receber’ a Festa da Família 2019.

 

 

50 anos de matrimónio: Maria Lisete e Natércio Pereira

“O casamento tem de ser vivido todos os dias”

A participação do casal Maria Lisete e Natércio Pereira na Festa da Família deve-se a um aviso paroquial, feito pelo sacerdote. “No final da Missa, o padre disse que os casais que fizessem 10, 25 ou 50 anos poderiam participar numa festa, com o Cardeal-Patriarca, que entregava um diploma, e que, quem quisesse ir e receber a bênção, só teria de se inscrever na secretaria da igreja”, conta Natércio, ao Jornal VOZ DA VERDADE. Foi desta forma, “simples”, que o casal Pereira, da Paróquia da Ramada, se inscreveu nos jubileus matrimoniais, para celebrar os 50 anos de casamento. Maria Lisete e Natércio casaram em 1969, são pais de dois filhos, Pedro, com 47 anos, e Rita, de 45, e têm ainda dois netos, rapazes, com 12 e 8 anos. Este casal destaca a “fé em Deus e em Nossa Senhora” na vivência do matrimónio. “Sempre que podemos, vamos à Missa, sempre que podemos, vamos a Fátima. Temos a nossa devoção, a nossa fé e somos cristãos desde que nascemos, e batizámos os filhos e os netos logo que nasceram”, afirmam.

Alentejano de nascença, Natércio Pereira, hoje com “57 anos ao contrário”, pertence à Paróquia da Ramada há seis anos, depois de “muitos anos em Campolide”, onde passou “grande parte da vida a trabalhar” e de onde é natural a esposa, Maria Lisete, de 73 anos. “A minha mulher é nascida e criada em Campolide. Vivemos lá desde os 20 anos até nos reformarmos, e agora os netos ‘obrigaram-nos’, no bom sentido da palavra, a vir para perto da filha, na Ramada. Se Deus quiser, por aqui ficaremos até à última morada”, deseja.

Questionado sobre qual o segredo para um casamento com meio século, Natércio responde: “O casamento é algo que tem de ser vivido todos os dias. Tem coisas boas e, todos os dias, tem também coisas más. Tem que haver muita paciência. Tem que haver muito gosto, muito sacrifício, mas hoje em dia as pessoas não estão para isso, não aguentam um sacrifício, não aguentam uma discussão e depois vai cada um para o seu lado”.  Natércio lamenta que o casamento esteja “na moda durante três dias”. “Hoje, é um dia para casar, um dia para passear e um dia para divorciar”, considera.

Maria Lisete e Natércio casaram-se a 9 de fevereiro de 1969, na Igreja de São João de Brito, em Lisboa. “Lembro-me perfeitamente do dia do nosso casamento! Choveu todo o dia e não conseguimos fazer uma fotografia de grupo na rua. Tirámos somente fotos na igreja e no copo-de-água. Após o casamento, fomos para Fátima, depois passámos uns dias no Algarve, regressámos e ficámos a viver, nos primeiros tempos, em casa dos meus sogros”, recorda Natércio, sublinhando, desta vida passada ao lado de Maria Lisete, “o dia do casamento”, mas também “o nascimento dos filhos e dos netos”.

Este casal considera importante iniciativas como a Festa da Família, que mostram o casamento cristão e a vida familiar. “É muito bom o Patriarcado organizar isto, porque é um bom testemunho para mais pessoas poderem seguir também por este caminho que nós seguimos”, desejam.

 

______________


Patriarcado de Lisboa convida casais para os jubileus matrimoniais

O Patriarcado de Lisboa convidou os casais que, neste ano de 2019, completam 10, 25, 50 ou mais anos de matrimónio a participarem nos jubileus matrimoniais, durante a Festa Diocesana da Família, que vai ter lugar no dia 16 de junho, Domingo, no parque da Quinta das Conchas, no Lumiar, em Lisboa. “O desejo do Senhor Patriarca é que haja mais casais nesta festa Diocesana a celebrar os jubileus matrimoniais. Se todos nos empenharmos podemos chegar a ‘1000 casais jubilares’. Seria uma forma de testemunhar ao mundo a beleza da vivência do matrimónio”, refere uma carta da Pastoral Familiar de Lisboa, que organiza a Festa da Família.

Informações e inscrições: http://familia.patriarcado-lisboa.pt

texto por Diogo Paiva Brandão
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Nuno Amador
Joker, de Todd Phillips, é um filme sublime e perturbador. Sublime na lentidão certa com que nos dá...
ver [+]

Isilda Pegado
1. Na Universidade diziam-nos que quando entra a Justiça, já não há Família. E por isso, o chamado...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES